Violências nas escolas

share on:

29/08/2017 – FIQUE POR DENTRO

Os atos de violência contra professores e entre alunos, infelizmente, são comuns em escolas brasileiras. Vamos aos números!

Mais da metade dos educadores de escolas públicas no Brasil afirma ter presenciado agressões físicas ou verbais de estudantes a funcionários, incluindo professores, no ambiente escolar.

Entre os diretores, 55% relataram que casos como esses ocorreram na escola. Enquanto entre os professores o índice foi de 51%. Esses dados foram extraídos da Prova Brasil de 2015.

Trata-se de uma avaliação para diagnóstico, em larga escala, que analisa a qualidade do ensino oferecido pelo sistema educacional brasileiro.


Entrevista com a pedagoga, Adriana de Jesus Barreira. Confira:

 

Brasil é o número um no ranking da violência contra professores

Uma pesquisa global da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, apontou que 100 mil professores e diretores de escola do segundo ciclo do ensino fundamental e do ensino médio põem o Brasil no topo de um ranking de violência em escolas. O levantamento é o mais importante do tipo e considera dados de 2013.

Na enquete, mais de 12% dos professores ouvidos no Brasil afirmaram ser vítimas de agressões verbais ou de intimidação de alunos pelo menos uma vez por semana.

Uma segunda pesquisa feita em 2015 pelo Sindicato dos Professores de São Paulo, a Apeoesp, apontou que 44% dos docentes que atuavam no Estado disseram já ter sofrido algum tipo de agressão. Entre as ofensas relatadas pelos profissionais, 74% falam em agressão verbal, 60% em bullying, 53% em vandalismo e 52% em agressão física.


O Melhor é ter Deus ao Lado

Os patriarcas, invejosos de José, venderam-no para o Egito, mas Deus estava com ele” (At 7.8).

É difícil entendermos todas as circunstâncias pelas quais passamos. Muitas vezes estamos tão angustiados e desanimados que não vemos nada de bom ou de produtivo naquilo que está acontecendo conosco.

Isto é natural, porque a nossa tendência é sempre ver o que está perto. O futuro está longe e a nossa preocupação é entender e resolver o hoje.

O que será que se passou na mente de José quando ele foi vendido ao Egito? Sendo ainda um adolescente e traído justamente por seus irmãos, José com certeza via pouco futuro para a sua vida. Estava sendo levado como escravo para trabalhar em uma terra estranha, de línguas e costumes diferentes.

Sendo ainda jovem, ele não tinha estrutura para suportar as pressões desta nova situação. Qual foi então o segredo de uma vida tão bem sucedida quanto a que José alcançou no Egito?

Nada mais simples do que a declaração bíblica: “mas Deus estava com ele.” A presença de Deus sobrepuja todos os dilemas da vida. Ele dá graça para suportar todas as aflições, ele abre portas que estão fechadas ou então ele fecha portas que estão abertas para que não entremos por elas. Ele nos eleva diante dos outros; ele honra a nossa fé.

O maior privilégio que se pode ter na vida, não são as coisas que você possui, mas sim poder dizer: “Deus está comigo.”

As circunstâncias podem mudar, você pode ser levado de um lado para o outro, os invejosos podem maltratá-lo (a), mas ninguém jamais poderá tirar de você a presença de Deus.

Louve ao Senhor porque você poder dizer: “Bondade e misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida.”