Violão

share on:

22/06/2018

Uma casca de tartaruga fechada com couro de boi, tendo como cordas as tripas de um carneiro esticadas: assim era o antepassado mais remoto do violão, na Grécia de 2.000 anos antes de Cristo. Foi este rústico instrumento que, com o passar do tempo, transformou-se na lira – que, por sua vez, ganhou o nome de guitarra romana durante o Império dos Césares.

Segundo Maurício Monteiro, musicólogo do Departamento de História da USP, “esta versão do instrumento praticamente desapareceu com a decadência de Roma, mas ressurgiu, bem mais parecido com o violão atual, na Arábia do século XVIII, quando foi acrescentada a caixa de ressonância em forma de pêra”.

Este era o alaúde que, com as invasões árabes na Península Ibérica, acabou adotado pelos europeus sob o nome de guitarra mourisca. Foram, então, os povos ibéricos que reduziram seu tamanho, alteraram a caixa de ressonância para o seu formato atual, parecido com o número oito, e o rebatizaram de vihuela – a popular viola.

Nesta época, entre os séculos 10 e 12, ela se distinguia do violão de hoje por ter vários furinhos entalhados na caixa de ressonância, em vez de um único buraco – a roseta –, como o instrumento ficou mundialmente conhecido.

Fonte: Super Interessante

 

Entrevista com o violonista Robson Miguel. Confira:

 

População de onças-pintadas volta a crescer no México

A população de onças-pintadas silvestres do México, o maior felino das Américas, cresceu 20% e chegou a 4.800 exemplares nos últimos 8 anos. Isso ocorreu graças ao esforço combinado do governo e da sociedade civil para a conservação da espécie. O avanço se deve, entre outros fatores, ao programa de conservação das onças-pintadas implementado desde 2005.

Outro fator que impulsionou a proliferação de onças foi o aumento da superfície florestal do país agora em comparação com o que havia há duas décadas. Um maior esforço de amostragem em relação ao censo anterior de 2010 também elevou o número de animais encontrados. As onças-pintadas estão presentes em 18 dos 21 países americanos e são consideradas uma espécie “quase ameaçada”, com 64 mil exemplares na vida silvestre, número que está caindo, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.

Cerca de 90% das onças-pintadas estão na Amazônia. Este felino pode pesar mais de 100 kg, ainda que os animais mexicanos raramente superem 60 kg. A proteção do animal foi impulsionada no continente após o pronunciamento, no dia 1 de março, em que 14 países latinos se comprometeram na sede da ONU a implementar uma agenda de conservação regional do felino até 2030.

Fonte: UOL

 

Segundo Violino

Da mesma forma, jovens, sujeitem- se aos mais velhos. Sejam todos humildes uns para com os outros, porque “Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes”. (Primeira carta de Pedro 5.5).

Conta-se a história de um jovem estudante que deixou um grande exemplo de desprendimento para a sua geração. No período das férias de dezembro, quando a neve geralmente cobre o hemisfério norte, o rio que passava pela escola estava coberto por grossa camada de gelo. Os alunos estavam patinando, e um deles, ao romper a camada de gelo sob seus pés, afundou nas águas de morte. O colega imediatamente buscou salvar-lhe a vida, mas nesse ato perdeu a sua.

No funeral, havia tristeza e consternação geral. Quase todos falaram a respeito do nobre rapaz, mas a palavra que mais tocou a todos foi a de seu professor de música.

Ele contou que aquele jovem fazia parte da orquestra da escola. Era o segundo violino. Em qualquer momento poderia ser o primeiro violino, por sua capacidade, mas se contentava em ser o segundo como opção.

Ele dizia: “Os primeiros só podem fazer o melhor se os segundos sustentarem a nota; eu quero ser o segundo.”

Esse desprendimento caracterizou a vida daquele jovem cristão.

Parece que todos querem ser os primeiros violinos. Poucos estão dispostos a sustentarem a nota para o outro. Entretanto a vida dos que se deram é a que e coou na história.

Que Jesus faça de você um herói da fé para que receba no dia da coroação, a recompensa, o galardão. Que ele o ensine a amar, perdoar, ajudar, fazendo com que sua vida seja um hino de louvor. Que nada tenha maior valor do que te servir, servindo ao meu irmão, ao meu próximo. Ajuda-me a ser desprendido das coisas materiais.