Varizes

share on:

16/01/2019 – FIQUE POR DENTRO

Varizes são veias dilatadas e deformadas, de coloração púrpuro-azulada, que surgem nas pernas e podem causar dor e inchaço. Sua ocorrência é mais comum em pessoas que ficam em pé ou sentadas por longos períodos. As veias das pernas, que reconduzem o sangue ao coração após ter irrigado os membros inferiores, possuem válvulas cuja finalidade é impedir o retorno do sangue aos pés pela ação da gravidade. Às vezes, essas válvulas não funcionam com eficiência e o sangue empoça nas veias provocando deformação, inchaço e alterações na sensibilidade da pele. Nas mulheres, durante a menstruação e na gravidez, principalmente, os sintomas tendem a piorar.

Episódios de maior gravidade podem ocorrer tanto por dilatação das veias profundas quanto das superficiais. Nesses casos de insuficiência venosa, podem surgir edema persistente nos pés, úlceras nas pernas e alterações na pigmentação da pele. Varizes superficiais podem ser facilmente reconhecidas observando-se a pessoa em pé. O tratamento mais comum é a remoção cirúrgica das veias comprometidas. O cirurgião faz diversas incisões, retira as veias afetadas e protege as pernas com bandagens. O procedimento cirúrgico é rápido, o tempo de hospitalização é curto e a recuperação em casa pode durar algumas semanas.

Nos casos de varizes superficiais, é possível injetar drogas para necrosar as veias para que não mais conduzam sangue. Esse procedimento requer normalmente duas ou três aplicações, mas não é indicado para o tratamento de varizes maiores nem para aquelas localizadas em veias profundas. Seja qual for o tratamento adotado, é recomendável caminhar diariamente para estimular a circulação do sangue e o crescimento de novos vasos saudáveis.

Varizes não costumam provocar complicações mais graves. Nos casos mais sérios, entretanto, para evitar dores, inchaço e problemas de pele, alguns cuidados devem ser tomados, como evitar ficar de pé, na mesma posição, por muito tempo. Diversas vezes por dia, procure elevar as pernas acima do nível do coração por alguns minutos para facilitar o retorno do sangue para o centro do corpo. Lembre-se de que é muito importante usar meias elásticas. Caminhar é fundamental para prevenir varizes.

Uma advertência: ferir uma veia com varizes pode provocar sangramento abundante. Nesse caso, deite-se imediatamente e eleve a perna ferida. Comprima o ferimento com uma toalha limpa até que o sangramento estanque. Em seguida, lave com água corrente e sabão e proteja a área com um curativo compressivo. Se a dor for intensa e contínua, procure um médico rápido.

Fontes: drauziovarella.uol.com.br e tuasaude.com

Entrevista com o médico André Moreira de Assis. Ele é radiologista intervencionista e angiorradiologista do CRIEP (Carnevale Radiologia Intervencionista Ensino e Pesquisa) Confira:

Dorme menos de 6 horas por noite? Estudo indica que você tem mais chances de ter problemas de saúde

Um estudo divulgado recentemente pode tirar ainda mais o sono de quem já dorme pouco. De acordo com os pesquisadores, quem dorme menos de seis horas por noite tem maior risco de ter aterosclerose em comparação com aqueles que têm sono considerado normal, ou seja, de sete a oito horas por noite. A doença vascular crônica e progressiva geralmente aparece em adultos e idosos. É uma inflamação da camada mais interna das artérias, também chamada de túnica íntima – justamente a parte que fica em contato direto com o sangue. O problema ocorre como consequência do acúmulo e oxidação de lipoproteínas nas paredes arteriais.

O estudo mostrou que os que dormem menos de seis horas têm 27% mais chance de ter aterosclerose em todo o corpo do que aqueles que dormem de sete a oito horas. E aqueles que têm um sono de má qualidade estão 34% mais propensos a ter a doença em comparação aos que dormem bem. A pesquisa avaliou a qualidade do sono considerando quantas vezes por noite a pessoa acordou e a frequência de movimentos enquanto estava dormindo.

Segundo o cardiologista Valentin Fuster, é “importante destacar que um sono mais curto, porém de boa qualidade, pode superar os efeitos prejudiciais”. Os pesquisadores monitoraram a rotina de 3 mil 974 adultos espanhóis, todos empregados em uma mesma instituição bancária – ou seja, com rotinas profissionais semelhantes. O especialista realizou exames de imagem para detectar a prevalência e as taxas de progressão de lesões vasculares.

Os participantes tinham idade média de 46 anos e nunca haviam sido diagnosticados com problemas cardíacos. Dois terços eram homens. Todos utilizaram um aparelho para monitorar atividades e movimentos, durante sete dias. O dispositivo mediu a rotina de sono de uma maneira objetiva e precisa – ao contrário de pesquisas que se baseiam em questionários declaratórios. Os participantes também fizeram um check-up do coração: ultrassonografia cardíaca 3D e tomografia computadorizada.

Se dormir pouco pode ser ruim, exagerar também não é um bom hábito. Embora entre os participantes fosse pequeno o número daqueles que dormem mais de oito horas, os pesquisadores concluíram que esse comportamento também estaria associado ao aumento na aterosclerose, sobretudo no caso das mulheres.

Fonte: BBC

Quebrando o vaso

“… Veio uma mulher trazendo um vaso de alabastro com preciosismo perfume de nardo puro; e, quebrando o alabastro, derramou o bálsamo sobre a cabeça de Jesus.” (Mc 14.3) (…) “e beijava-lhe os pés e os ungia com o perfume” (Lucas 7.38).

Uma mulher, provavelmente Maria, irmã de Lázaro e de Marta, vai até Jesus e quebra um vaso de alabastro cheio de um caríssimo perfume sobre a cabeça de Jesus. Qual o significado daquele ato e o que podemos aprender com ele?

Quando derramou todo aquele perfume, ela expressou a sua enorme gratidão e amor ao Senhor Jesus; pois depositou algo muito precioso diante dele, sem reservas. Jesus gostou muito daquele ato de dedicação.
Muito embora a atitude daquela serva tenha enchido de alegria o coração do Mestre, incomodou profundamente os que não alcançaram a dimensão do ato, por não serem íntimos com o Senhor, nem conhecerem a sua alma.

Há pessoas que além de viverem desfocadas da vontade de Deus, têm se especializado em julgar, opinar e até inibir a relação de outros com o Senhor: “Bem que este perfume poderia ser vendido e com o dinheiro ajudaríamos aos pobres”, disse Judas.

Por que além de derramar todo o perfume, a mulher quebrou o vaso? Por que não reclamaram do vaso quebrado, também tão caro? Por serem israelitas, todos ali sabiam que quebrar uma taça, um vaso, significava o mesmo que dizer publicamente: “Este objeto jamais será usado para outro propósito!” Foi exatamente isso que ela deixou claro ao quebrar o vaso. Não só o seu interior, coração, alma, sonhos, confiança, esperança e futuro, pertenciam àquele que jamais lhe poupou nada, mas também todo o seu exterior, seus relacionamentos, atitudes, projetos, tudo o que tinha e era, serviriam para qualquer outro propósito enquanto vivesse!

Quando reconhecemos realmente que Jesus entrelaçou sua preciosa vida às nossas, pagando um preço imensurável, nos levando a experimentar comunhão com o Pai, somos naturalmente compelidos a nos entregar completamente, e “quebrar” todo e qualquer outro fim que não seja servi-lo integralmente em santidade de vida…

Hoje, mais uma vez, cumpre-se a Palavra do Senhor Jesus: “Onde for pregado em todo mundo o evangelho, será também contado o que ela fez, para memória sua.” (Mc14.9).

Crédito: Pr. Ricardo Vasconcellos