Tecnologia na educação

share on:

11/07/2017 – FIQUE POR DENTRO

A tecnologia está cada vez mais presente nas relações e no dia a dia do brasileiro. As relações interpessoais se adaptaram a esse novo modo de se comunicar. Porém, não é apenas nesse campo que a inovação ganha espaço. Atualmente, tecnologia e educação tem andado lado a lado de modo a auxiliar e aumentar o modo de aprendizagem.

Em meio às polêmicas que envolvem a reforma do currículo do Ensino Médio, as tendências para a educação em 2017 trazem metodologias cada vez mais conectadas e interativas. Adaptadas à realidade digital em que os alunos estão inseridos. Além disso, a preparação para o futuro está cada dia mais presente no dia a dia dos estudantes.

Para Rodrigo Baggio, fundador da ONG Recode, que estabelece parcerias com instituições e escolas públicas “o ideal é formar cidadãos digitais e não apenas dar as condições de acesso”.


Entrevista com o educador, José Manuel Moran. Ele fala sobre a tecnologia na educação. Confira:

 


Copypod é uma máquina que pode te digitalizar em 3D

A empresa People’s Industrial Design Office, de Beijing na China, criou uma máquina chamada Copypod 3D. O dromo geométrico tem a capacidade de capturar fotos múltiplas de diversos ângulos e digitalizar pessoas.

De acordo com a companhia, os objetos estão rodeados por uma disposição esférica de mais de 10 câmeras. Com um ajuste mínimo, o Copypod 3D pode escanear objetos pequenos e até expandir o próprio tamanho para escanear um grupo de pessoas.

A possibilidade de construir modelos digitais via fotos não é a única capacidade do aparelho, ele também pode ser usado para fazer impressões 3D.


CCJ, Comissão de Constituição e Justiça da Câmara

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania é uma comissão permanente da atividade legislativa do Senado Federal do Brasil. É formada por 27 senadores titulares e 27 suplentes. A CCJ é a mais importante comissão do Senado Federal.

No Senado, tem por objetivo analisar diversas atividades, como proposta de emendas constitucionais, através de audiências públicas.

Em 2016, no Senado, a CCJ analisou propostas como reforma da Previdência, a PEC do Teto dos Gastos Públicos, o fim do foro privilegiado, entre outras.


Era da informação?

Vivemos na era da informação. Esse tempo é caracterizado pela facilidade de acesso a variadas formas de informação. São raras as informações que uma pessoa não consegue em segundos através da internet. Algumas dessas informações são boas, outras nem tanto, e outras são destruidoras.

Diante desse fato, precisamos nos lembrar das palavras do apóstolo Paulo para os efésios: “Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem, não como insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade porque os dias são maus”.

A velocidade e a quantidade de informação que recebemos num só dia são enormes, tomando a maior parte do nosso tempo. Por um lado isso é bom, pois nos promoveu o acesso ao conhecimento, arte e entretenimento em escala nunca antes vista na história da humanidade. Por outro lado, toda essa informação nos tira a concentração das coisas simples e mais importantes da vida.

Não há livro ou site da internet que supere o valor de uma hora diária de leitura da Bíblia, a sós com Deus. Não é possível substituir o contato com os irmãos da igreja pela frieza do mundo virtual. Não existe tecnologia que substitua a oração. Nunca o ser humano poderá criar algo mais poderoso e transformador do que a oração e leitura bíblica.

Aproveite os benefícios do mundo da informação, mas não substitua nada pelas três ações mais simples e, ao mesmo tempo, mais fundamentais da vida do cristão: leitura bíblica, oração e comunhão.

Por: Israel Mazzacorati