Tapioca

share on:

17/01/2018 – FIQUE POR DENTRO

Nos últimos tempos a tapioca ganhou cada vez mais espaço no dia a dia das pessoas, substituindo alguns alimentos tradicionais como o pão do café da manhã.

O hábito de consumo começou pelos índios, e até pouco tempo era típico e restrito apenas as regiões norte e nordeste do país, mas hoje a tapioca recebe cada vez mais status de protagonista, e se espalha por todo o país compondo o cardápio do brasileiro.

A palavra é de origem indígena tupi-guarani e seu nome é derivado da palavra tipi’óka, que significa coágulo. Nas primeiras décadas pós-descobrimento, viajantes estrangeiros já registravam a existência da tapioca, preparadas pelos índios com a goma da mandioca. Ela era consumida logo pela manhã e ao longo do dia.
Há várias maneiras de preparação da massa e os recheios podem ser os mais diversos: salgados e doces. Os mais comuns são: manteiga, queijo, carne seca e coco com leite condensado.

Entrevista com a nutricionista funcional e esportiva, Andréa Marim. Ela fala sobre tapioca. Confira:

 


Sobe o número de mortos por febre amarela
O número de mortes por infecção por febre amarela registra um total de 175 mortes por febre amarela desde dezembro de 2016, com 523 casos confirmados.

No estado de São Paulo o número subiu para 21, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde. O último registro era de 13 óbitos. Também houve aumento nos casos quando a transmissão é interna, que passou de 29 para 40.

Segundo a pasta, o número se refere ao período de 2017 até o momento. Os casos que evoluíram para óbito foram contraídos em Américo Brasiliense, Amparo, Atibaia, Batatais, Itatiba, Jarinu, Mairiporã, Monte Alegre do Sul, Nazaré Paulista, Santa Lucia e São João da Boa Vista.


Lei do Feminicídio
Ano passado ao longo em uma semana 3 casos de feminicídio foram registrados no mês de novembro. O artigo 121, que define homicídio no Código Penal, foi alterado e teve feminicídio incluso como um tipo penal qualificador, ou seja, como um agravante ao crime.

A condição do feminicídio como uma circunstância qualificadora do homicídio o inclui na lista de crimes hediondos, cujo termo hediondo é usado para caracterizar crimes que são encarados de maneira ainda mais negativa pelo Estado.
Há circunstância em que a pena do feminicídio pode ser aumentada em um terço. Ou seja, se a pessoa for condenada por 15 anos de prisão e a situação do crime se encaixar em um dos motivos citados na emenda da lei, o acusado terá mais um terço da pena acrescida ao tempo de reclusão, totalizando 20 anos de prisão.

As situações agravantes são quando o crime é realizado durante a gestação ou nos 3 primeiros meses posteriores ao parto, contra menor de 14 anos ou maior de 60 anos de idade, contra uma mulher com deficiência e na presença de ascendentes ou descendentes da vítima.


A dinâmica da navegação

Para meu deleite e proveito, acabo de reler o livro de Atos. A gente volta aos tempos de criança! É impossível não dar asas à nossa imaginação quando nos colocamos ao lado de Paulo e sua equipe em suas viagens marítimas.

É bem verdade que a preocupação de Lucas não é ressaltar detalhes da viagem, mas sim enfatizar a ação do Espírito Santo na Igreja nascente. Mesmo assim, penso não ser exagero se colocarmos Paulo ao lado dos grandes descobridores marítimos; dando-lhe, merecidamente, o título de “apóstolo navegador”.

Ele fez três viagens missionárias e o livro de Atos termina com o relato de sua última para Roma. As viagens de Paulo são uma metáfora da “navegação” cristã. Assim como a Bíblia, os mestres da Igreja sempre usaram figuras para que os discípulos de Jesus Cristo pudessem compreender melhor as riquezas insondáveis do evangelho.

Consciente disso, é muito interessante lembrar que as palavras “vento” e “espírito” são a mesma palavra, tanto no hebraico, idioma do Antigo Testamento, bem como no grego, idioma do Novo Testamento. O Espírito é nosso vento! Ele age de forma dinâmica: impede e impele, são movimentos essenciais! Serve para dar velocidade ou corrigir a rota (espécie de freio/acelerador). Ele pode soprar com toda força as nossas velas nos empurrando (potência/entusiasmo/motivação), mas também pode nos impedir de navegar por determinadas águas (resistindo e controlando nosso ímpeto).

Quem deseja navegar no “oceano do Espírito” deve compreender que o ser humano também participa com sua resposta. Os movimentos humanos são determinação e submissão. Determinação significa coragem, ousadia e perseverança. É o movimento que nos faz seguir à frente mesmo diante das maiores dificuldades. Deus não se agrada de tímidos e covardes. Submissão é o tempero sadio da determinação! Pode livrar da obstinação, autossuficiência e loucura.

É assustador e magnífico saber que, em certo sentido, nossas decisões e posturas controlam o leme. O vento do Espírito era a grande bússola que norteava a vida de Paulo, a quem ele sempre respondia responsavelmente! Jesus é o modelo perfeito de determinação e submissão à vontade do Eterno.

Pr. Israel Sifoleli