Superbook

Compartilhe em:

11/10/2018 – FIQUE POR DENTRO

A Christian Broadcasting Network criou, em 1981, uma série bíblica animada para crianças, como parte de uma campanha para o Japão. A empresa mal sabia o impacto que o desenho teria em território japonês e no mundo. A série foi produzida pela Tatsunoko Productions no Japão em conjunto com a CBN nos Estados Unidos. Em inglês, a série é conhecida como Superbook.

Mais de 8 milhões de pessoas por noite assistiram ao Superbook no horário nobre japonês, e a Bíblia tornou-se o livro mais vendido do país. Em 1989, em meio a turbulências econômicas e políticas, o desenho começou a ser transmitido na União Soviética com resultados surpreendentes. Quando Superbook foi ao ar durante o horário nobre no Canal Nacional Soviético, a CBN recebeu mais de 6 milhões de cartas de crianças.

Do Japão e da Rússia, a série original do Superbook foi ao ar em todo o mundo. Mais de quinhentas milhões de pessoas assistiram, 52 episódios foram traduzidos em 43 idiomas e transmitidos em 106 países.
O Superbook ensina às crianças verdades morais atemporais e lições de vida por meio das cativantes aventuras baseadas na Bíblia de duas crianças que viajam no tempo e seu amigo robô.

O familiar e o futurista interagem com pessoas, lugares e eventos antigos para criar um senso de admiração, fortalecimento e avanço pessoal à medida que as crianças testemunham a interação de Deus com o homem.

Fonte: cbn.com


Entrevista com Julio Bonilla (diretor regional da Christian Broadcasting Network no Brasil) e Zandra Villegas (responsável pelo Superbook no Brasil). Confira:

 

 


Nave de turismo espacial fará primeiro voo-teste no espaço em semanas

O empresário britânico Richard Branson afirmou que sua nave de ‘turismo espacial’, há anos em projeto, fará finalmente os primeiros voos-teste no espaço em questão de “semanas, e não meses”. Ele disse que a Virgin Galactic, empresa de turismo espacial, está muito perto de conseguir concretizar seu sonho. O projeto, no entanto, não será para muitos consumidores. Uma eventual viagem ao espaço tem o preço estimado de 250 mil dólares.

Branson, no entanto, ressaltou que haverá demanda para os voos. “Em uma sala com dez pessoas, oito gostariam de ir ao espaço se pudessem pagar. Então acho que o mercado para as pessoas que querem virar astronautas e irem ao espaço é gigante. E cabe a nós produzir o máximo de naves espaciais para cuidar dessa demanda”, afirmou o empresário. Segundo ele, eventualmente o preço da tarifa deverá para cair para cerca de 50 mil dólares na próxima década. Branson aumentou o tom de otimismo depois do primeiro voo suborbital completo de uma nave da Virgin Galactic, a USS Unity, no último mês de abril.
A nave, pilotada pelo italiano Nicola Pecile e pelo norte-americano Mike Masucci, foi carregada por foguetes até certa altitude, onde se desprendeu e atingiu uma velocidade de 2 mil e 200 quilômetros por hora.

Foi o primeiro teste bem-sucedido depois do acidente com a aeronave USS Enterprise, há quatro anos, que caiu na Califórnia, e matou um piloto.

Fonte: UOL


O livro e a folha

Sobre uma mesa estava posta uma folha em branco, e logo ao seu lado um livro famoso, um best-seller. A folha tinha um ar de tristeza e melancolia, sentindo-se desprezada e oca. O livro, ao contrário, possuía um aspecto sereno e uma expressão de realização.

A folha após contemplar as condições do livro e perceber que havia sido muito manuseado, com aparência desgastada, porém feliz, indagou-lhe:
– Senhor livro, como poderei ser um dia, uma obra que desperte o interesse das pessoas e proporcione muitas emoções?
O livro continuando com o seu ar sereno e afável, fala à página vazia:
– Cara folha, um livro só é escrito quando a folha branca se deixa preencher pelas letras de hábil escritor.

Por muitas vezes, temos a nítida impressão que a escrita dos nossos dias culminou em uma página vazia e desinteressante. Olhamos ao redor e observamos os grandes vultos em seus grandes feitos compondo a história da humanidade com as suas próprias histórias. Fica então em nosso coração o desejo e o anseio de fazer de nossos dias uma narrativa relevante que venha inspirar outros.

Se almejamos construir estes dias, devemos entender e assumir o conceito que afirma que ser, é deixar de ser. Sempre há profundas marcas de renúncia na vida das pessoas que nos inspiram. Jesus nos ensinou esta verdade quando afirmou que: “Quem achar a sua vida perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim achá-la-á” (Mt 10.39). È necessário ter coragem para renunciar.

Assim, ser é arriscar-se. A vida é composta de escolhas e de posicionamentos. Afirmar esta verdade é reconhecer os ganhos e as perdas do cotidiano. No momento que optamos por alguma coisa, precisamos renunciar outras; quando nos posicionamos somos alvos de críticas ou elogios. Tornar-se um best-seller é deixar de ser uma folha vazia.

É importante saber que o Senhor deseja escrever histórias significativas em nossos dias. Ele quer compor a narrativa da humanidade com a biografia dos seus servos. Desta forma, com certeza, seremos best-sellers, vidas cheias de emoção e de amor que são capazes de inspirar o mundo.