Reforma Protestante

share on:

31/10/2018 – FIQUE POR DENTRO

A Reforma Protestante do século XVI foi um fenômeno variado e complexo, que incluiu fatores políticos, sociais e intelectuais. Todavia, o seu elemento principal foi religioso, ou seja, a busca de um novo entendimento sobre a relação entre Deus e os seres humanos.

A Reforma Protestante foi uma das inúmeras reformas cristãs que aconteceram após a Idade Média, quando o povo começou a questionar o que era imposto pela Igreja Católica, que tomava atitudes consideradas insatisfatórias e que fugiam dos seus princípios iniciais, fazendo-a entrar em grande contradição.

Essa reforma foi iniciada no começo do século XVI por Martinho Lutero, que publicou suas 95 teses em 31 de outubro de 1517. Ele protestou em frente à igreja do Castelo de Wittenberg, contra diversos pontos da doutrina da Igreja, entre ele – e se não o considerado principal as indulgências que eram praticadas na época.

Iniciado pelo humanista João Calvino e ex-integrante do Clero, a França começou sua reforma no ano de 1534. A Igreja Romana reagiu e o principal acontecimento dessa medida desesperada da igreja foi o massacre de São Bartolomeu, que vitimou cerca de 100 mil protestantes na França. E após toda essa luta pela reforma, o Protestantismo conseguiu tornar-se um dos principais ramos do cristianismo.

Fonte: voltemosaoevangelho.com.br e estudopratico.com.br


Entrevista com o historiador e pastor Marcelo Santos, que apresentará o programa “História da Igreja”. Confira:

 


Estudo mostra que podemos estar ‘contaminados’ por microplásticos, assim como os oceanos

Você já deve ter ouvido falar em microplásticos, estes pequenos vilões do meio ambiente. São resíduos degradados de diversos tipos de plásticos, com menos de 5 milímetros de comprimento. Originárias de fontes diversas como roupas sintéticas, pneus, tintas e escovas de dente, essas partículas estão se amontoando nos oceanos. Uma pesquisa inédita apresentada na última semana mostra o que muito se temia: até nós, seres humanos, podemos estar cheios desses minúsculos pedaços de plástico em nosso organismo.

O estudo, liderado por um pesquisador da Universidade de Medicina de Viena, é fruto de uma parceria com a Agência Ambiental da Áustria. A pesquisa foi realizada com base em coletas de fezes de oito pessoas de oito países diferentes. Em todas as amostras foram identificados microplásticos – de até nove tipos distintos.

Os participantes vivem na Finlândia, Itália, Japão, Holanda, Polônia, Rússia, Reino Unido e Áustria. Conforme ressaltam os pesquisadores, a presença de microplásticos no organismo humano pode afetar a saúde. Acumulados no trato gastrointestinal, esses materiais têm a possibilidade de interferir na resposta imunológica do intestino – além, é claro, do risco proporcional pela absorção de produtos químicos tóxicos pelo nosso corpo.

Dos oitos participantes, três eram mulheres e cinco homens. Dois deles eram usuários diários de gomas de mascar. Seis ingeriram peixes ou frutos do mar durante o período de observação. Todos tiveram contato com alimentos embalados com plásticos. Na média, eles tomaram 750 ml de água por dia de garrafas plásticas. Nenhum dos oito participantes era vegetariano.

Todos os participantes eram adultos saudáveis, sem nenhuma dieta médica. Eles também não podiam ter tomado antibióticos nas últimas duas semanas, nem feito nenhum tratamento odontológico no mesmo período. Cada um ficou incumbido de manter um diário alimentar na semana anterior à coleta das fezes. As informações deste diário revelam que todos eles estiveram expostos a plásticos consumindo alimentos embrulhados e tomando água de garrafas. Os resultados da pesquisa, segundo os autores, sinalizariam que pelo menos 50% da população mundial apresentaria microplásticos nas fezes.

Fonte: UOL


A Reforma Protestante

Porque no evangelho é revelada a justiça de Deus, uma justiça que do princípio ao fim é pela fé, como está escrito: “O justo viverá pela fé”. (Romanos 1.17)

Desejoso de uma sincera vida com Deus, um homem chamado Martinho Lutero, que era padre, aos 24 anos de idade esforçava-se para tornar-se merecedor da salvação. Estudando a Palavra de Deus, foi despertado para o fato de que somos salvos e justificados pela fé em Jesus e não por merecimento pessoal.

Para Lutero tornou-se evidente que Deus não faz barganha com a salvação; que Cristo foi enviado ao mundo para salvar os pecadores; que a salvação é ato divino sem a participação do homem.

Anos mais tarde, com trinta e cinco anos de idade, entusiasmado, determinado e desejoso de que sua pequena comunidade na cidade de Wittenberg retornasse à Palavra de Deus, Martinho Lutero pregou 95 propostas na porta de sua igreja, cada uma delas como tema para discussões e estudos. Isto aconteceu no dia 31 de outubro de 1517. Pouco tempo mais tarde, estas propostas foram chamadas de teses e abriram os olhos do povo europeu para a santa verdade da salvação e da justificação somente pela fé em Jesus.

Ao contrário do que a maioria ainda pensa, essas propostas não atacavam a igreja nem o poder político da época, muito menos a liderança das duas partes. Por exemplo: na tese 62 Lutero diz: “O verdadeiro tesouro da igreja é o sacrossanto Evangelho da glória e da graça de Deus”. Na tese 94: “Os cristãos devem ser exortados a seguir a Cristo, à sua cabeça, com diligência…” Na mente e no coração deste homem que se abriu para Deus não existia o desejo de realizar o que hoje conhecemos como: “Reforma Protestante”. Tudo começou apenas com um coração assustado com a santidade de Deus e desejoso de conhecer mais e fazer mais conhecido o seu Senhor e Salvador.

Em 1539 o que foi considerado como Reforma da Igreja dizia que a única fonte de fé é a Bíblia. O único meio de salvação é pela fé em Cristo. As boas obras não são válidas como meio de se obter a salvação. A Igreja é a comunhão dos crentes em Jesus e todos têm os mesmos direitos. O culto consiste na pregação da Palavra de Deus, a Bíblia.

Se você abrir o coração para Deus, ele o usará em algo que você jamais sonhou. Deus conduz todo coração sincero e apegado a ele para atingir pessoas e levar a sua Palavra além do que imaginamos.