Peixes e frutos do mar

share on:

07/12/2016

Peixes e frutos do mar têm muitas propriedades importantes e nutritivas para o nosso corpo. Isso faz deles um sustento considerado saudável pelos especialistas.

Segundo o Departamento de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, o alimento tem pouca gordura e baixa caloria, além de ser fonte de proteína e ômega-3, um dos ácidos graxos essenciais que o nosso corpo não consegue produzir.

Porém, apesar da sua popularidade, sempre há muitas dúvidas sobre peixes e frutos do mar. Mas se o consumo for moderado, não há riscos para a saúde.

Img_FiquePorDentro_Entrevista_680px_v1

Entrevista com a nutricionista, Anália Barhouch. Ela fala sobre peixes e frutos do mar

 

Img_FiquePorDentro_MomentoRefflexao_680px_v2

Ajustando a balança

Você tem observado práticas ou políticas no seu ramo de atividade que você não gosta? Coisas que lhe parecem erradas ou impróprias e que, no entanto, persistem porque “todo mundo faz”? O que você acha que seria necessário fazer para mudar e corrigir essas práticas?

O livro “Vida Integrada”, de Ken Eldred, aborda circunstâncias como essas, ilustrando-as com algumas pessoas que tomaram posição contra práticas antiéticas nos negócios. Eldred conta de dois comerciantes londrinos na Idade Média que decidiram que a prática comum daqueles dias – uso de balanças e pesos desonestos para pesar carnes e outros itens alimentícios – era inaceitável para Deus.  O que fizeram foi simples: começaram a testar e verificar as balanças um do outro e a prestar contas um ao outro, por adotarem os padrões de Deus como expressos na Bíblia, e não se renderem aos padrões que prevaleciam em seus dias.

Era uma atitude ousada para aquele tempo e a consequência poderia facilmente ter sido o fechamento de suas mercearias pelos concorrentes inescrupulosos. Ao invés disso, Deus honrou o seu compromisso com a integridade e sua fidelidade levou-os a formar as “The Livery Companies”, associações de comércio que continuam atuantes até hoje e ainda cobram de seus membros a adoção de elevados padrões éticos.

Por que aqueles merceeiros estavam tão determinados a combater a trapaça praticada contra os fregueses por meio pesos e medidas incorretos? Devem ter tido inúmeras razões, mas um versículo da Bíblia, Provérbios 11.1, claramente ensina: “O Senhor repudia balanças desonestas, mas os pesos exatos lhe dão prazer”. Aqueles homens assumiram que esse texto significa exatamente o que diz e agiram de acordo com ele.

Um princípio de aplicação mais geral que eles podem ter considerado é a chamada “Regra de Ouro”. Jesus disse a Seus discípulos:  “Assim, em tudo, façam aos outros o que vocês querem que eles lhes façam; pois esta é a Lei e os Profetas” (Mateus 7:12). Os merceeiros devem ter se dado conta de que não gostariam de ser enganados por alguém que usasse medidas que calculassem de forma errada as mercadorias que comprassem. O fundamental para eles não era o ganho, mas o reconhecimento de sua responsabilidade diante de Deus.

Pode ser que as questões que você observou em sua área não envolvam a prática de medidas inexatas. Talvez envolvam promessas e compromissos não cumpridos, faturamento indevido por fornecimentos e serviços ou o não pagamento de obrigações no tempo apropriado. O que aconteceria se você e alguns colegas do ramo de atividade se juntassem para estabelecer novos padrões para seu negócio? Você teria coragem para fazer isso?

Por Rick Boxx (Adaptado por Israel Mazzacorati)

Img_FiquePorDentro_Saude_680px_v1

Buscas sobre saúde na internet explodem no país

A internet, os smartphones e dispositivos pessoais revolucionaram a vida das pessoas de muitas maneiras e agora essa tendência chega à área da saúde. De acordo com a pesquisa Jornada Digital do Paciente, 94% dos respondentes buscam informações sobre saúde na internet, em buscadores como o Google ou em sites especializados. A televisão ficou em segundo lugar como fonte de informação sobre saúde e as revistas em terceiro.

Embora se busque muitas informações sobre saúde, os tópicos mais procurados são alimentação, doenças, sintomas, emagrecimento e tratamentos. Em relação à faixa etária, os mais jovens usam o “Dr. Google” muito mais que os mais velhos e as mulheres mais do que os homens.

Ainda de acordo com o levantamento, realizado com 3.800 pessoas, 78,3 por cento dos respondentes afirmaram buscar informações sobre saúde na internet antes e depois de uma consulta médica.

Img_FiquePorDentro_EntendendoPoliitica_680px_v1

Série: Manifestações no Brasil – Revolta da Vacina

 Nas últimas semanas e até mesmo nos últimos anos, em diversos cantos do país, manifestações vem acontecendo. Com o falso mito de que brasileiro é pacifico, ao longo do Entendo a Política vamos abordar uma nova série sobre Manifestações no Brasil. Nela, focaremos em famosos protestos marcados por lutas do povo brasileiro. Hoje, a Revolta da Vacina.

No início do século 20, o Rio de Janeiro ainda não era a Cidade Maravilhosa. As condições sanitárias e intensas epidemias impediam a chegada de investimentos, maquinaria e mão-de-obra estrangeira.

Para tentar conter a situação, o então presidente da República, Rodrigues Alves, nomeia Oswaldo Cruz como chefe da Diretoria de Saúde Pública. “Dêem-me liberdade de ação e eu exterminarei a febre amarela dentro de 3 anos”, teria dito o sanitarista.

O prometido foi cumprido, mas não sem antes desencadear uma revolta na população. A arbitrariedade das ações, com invasões de lares, interdições forçadas e despejos, levou às ruas mais de 3 mil pessoas. O saldo final da revolta que tomou a cidade entre os dias 10 e 18 de novembro foi de 30 mortos, 110 feridos, cerca de mil detidos e centenas de deportados.

Fonte: Super Interessante