Óculos poderão detectar glaucoma antes do surgimento dos sintomas

share on:

20/09/2017 – FIQUE POR DENTRO

Você é do tipo que se limita a consumir apenas o que coloca no prato ou não resiste a beliscar o que sobrou na mesa ou mesmo repetir a refeição?

Quando percebe que está comendo demais consegue fechar a boca imediatamente ou passa a comer longe dos outros para não repararem?

A maneira como um indivíduo lida com a comida pode denunciar que ele se tornou vítima de um transtorno alimentar chamado compulsão alimentar. Embora a maior parte das pessoas esteja sujeita a episódios esporádicos de gula, a forma como eles são encarados e suas consequências podem indicar a necessidade de buscar ajuda.

Segundo o psiquiatra Adriano Segal, há duas principais definições de compulsão alimentar. A princípio, ela pode ser entendida como um episódio de descontrole, em que são consumidas grandes quantidades de comida com sensação de perda de controle sobre o quanto se come. Em casos mais graves, ela recebe o nome de Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica, quadro que apresenta as características descritas anteriormente, mas com mais frequência e, além disso, gera desconforto.

Fonte:
Minha Vida


Entrevista com a nutricionista, Danielle Andrade. Ela fala sobre compulsão alimentar. Confira:

 


Óculos poderão detectar glaucoma antes do surgimento dos sintomas

Pesquisadores da Universidade Duke e da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, desenvolveram uma tecnologia inédita de realidade virtual capaz de realizar o diagnóstico do glaucoma. O mecanismo acessa as respostas diretamente de ondas cerebrais.

Batizado de nGoogle, o dispositivo assemelha-se aos óculos de simulação 3D e capta as reações do paciente. Isso é feito por meio de eletrodos no lobo occipital, região do cérebro que processa as imagens. As respostas, geradas pela tecnologia de análise de dados. Esses dados são enviadas diretamente para o computador do médico, onde é possível analisar se a pessoa pode ou não desenvolver glaucoma.

A ideia do projeto é ter um dispositivo portátil para facilitar o diagnóstico e o segmento do glaucoma, principalmente em regiões menos favorecidas. Hoje em dia, é muito difícil você ter um aparelho que teste a função visual de forma simples e confortável.


Assembleia Geral das Nações Unidas

O presidente Michel Temer fez ontem o discurso de abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, realizado em Nova Iorque. O evento é um dos 6 principais órgãos da Organização das Nações Unidas, a ONU e o único em que todos os países membros têm representação igualitária.

Durante a Assembleia são debatidos assuntos importantes, principalmente recomendações sobre a paz e segurança, preocupações orçamentais e eleição, admissão, suspensão ou expulsão de membros do bloco.

A primeira sessão da Assembleia Geral da ONU foi convocada em 10 de janeiro de 1946, em Londres, e contou com representantes de 51 nações.

Durante o encontro ocorre uma votação para eleger os 10 membros não-permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas; a mais recente desta eleição aconteceu no dia 6 de dezembro de 2013. Além disso, é na Assembleia Geral que são eleitos os membros do Conselho Econômico e Social, da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial e alguns membros do Conselho de Administração Fiduciária.

Pelo vale escuro

“Pelo vale escuro seguirei Jesus,
Mas por ti seguro vendo a tua luz.
O meu passo incerto Tu dirigirás.
Ao sentir-te perto, nunca perco a paz”.

Eis a primeira estrofe de um hino conhecido escrito em 1897 por Mina Roch. Este hino, letra e música, é uma preciosidade e ao cantá-lo sentimos nossos corações aquecidos.

Quantas e quantas vezes caminhamos por “vales escuros” e nos sentimos fracos, frágeis e inseguros. Passamos por momentos difíceis e sem compreender o que realmente está acontecendo, não sabemos o porquê e nem o resultado que aquele fato nos trará.

No vale escuro não queremos ficar, procuramos pela luz, procuramos exaustivamente sem esmorecer, porque ali não queremos permanecer. No evangelho de Lucas, cap. 24:13 em diante, temos o relato de dois discípulos que caminhavam com destino a uma cidade chamada Emaús. (Significa Águas Quentes -12 km de Jerusalém).

Os dois caminhantes lamentavam os acontecimentos recentes em relação a Jesus e sua morte. Eles estavam vivendo um momento único de tristeza, lamento e desesperança. Estavam caminhando pelo “vale escuro”. Eram discípulos de Jesus e não entendiam o ocorrido.

O relato diz que no meio da conversa, Jesus apareceu e os acompanhou. O relato continua e nos informa que a maravilhosa luz de Jesus através de suas palavras e esclarecimentos “clareou” toda a situação.

Que alegria, agora tudo fazia sentido. O vale escuro havia terminado. A luz do entendimento chegou e colocou ordem e esperança na situação.
Caminhamos por vales escuros, sim. A diferença é que seguimos Jesus.

Jesus é o autor e consumador da nossa fé. Jesus é Senhor e Salvador, aquele que era, que é e o que há de vir. Jesus é o Eu sou.

A Igreja não pode nos livrar de “vales escuros” mas através da Igreja, Jesus nos conduz e nos livra. Só a luz de Jesus pode iluminar nosso futuro, e nos trazer segurança, esperança e paz. “Jesus é o caminho, a verdade e a vida…”Jo 14:6

Considere que uma das promessas de Jesus é que Ele estaria conosco até o fim. E Ele está. Confie e encha-se de esperança. O hino em questão não é de derrota, e sim de vitória.

Pr. Paulo Cirelli