Música

share on:

04/05/2018

A música é a arte sonora. Sentimos e reagimos conforme a nota. Não existem registros que tracem o período exato em que a música surgiu na humanidade. Sabe-se apenas que algumas obras de arte na Antiguidade já retratavam pessoas fazendo música com o auxílio de alguns instrumentos.

No Egito, os relatos remetem ao ano 4 mil antes de Cristo que apontam para o fato de as pessoas baterem com bastões de metal em discos de madeira. Nos templos sagrados, os sacerdotes já tinham por hábito treinar coros para as festividades religiosas e, na corte, as pessoas cantavam embaladas pelo som da harpa e instrumentos de sopro e percussão.

Na Palestina, o relato histórico da existência da música está na Bíblia Sagrada, que menciona no livro de Salmos instrumentos como a harpa e o canto. Na Grécia, o alfabeto era utilizado para representar as notas musicais, que eram agrupadas em tetracordes, uma sucessão de quatro sons.

O povo romano copiou as teorias musicais e as técnicas de execução da Grécia, mas criou outros instrumentos como o trompete reto ou tuba. Foi em Roma também que surgiu o primeiro órgão de tubos, o hydraulis. Nele, o fluxo de ar constante em cada tubo era mantido por meio de uma pressão de água.

No decorrer da história, chega-se ao século 20 que marca a liberdade musical e o experimento de gêneros e formas que desafiaram os dogmas de períodos anteriores.

Fonte: Sala de Artes

 


Entrevista com os músicos do grupo BNova. Confira:

Rússia lança usina nuclear flutuante e gera controvérsia

A Rússia lançou ao mar uma usina nuclear flutuante. Seu destino final é uma cidade do círculo polar ártico chamada Pevek, no extremo nordeste do país, onde começará a gerar energia no verão de 2019.
Uma vez instalada, a usina será a geradora de energia nuclear mais setentrional do mundo, fornecendo eletricidade para cerca de 100 mil pessoas. Também ajudará a abastecer plataformas de exploração de petróleo e gás natural.
Aos olhos do governo russo, a usina nuclear flutuante representa uma oportunidade de explorar novos mercados, assegurar energia para zonas remotas do país, e garantir a proteção do entorno, já que não emite gases poluentes ou de efeito estufa.
No entanto, alguns críticos temem seu impacto ambiental. O Greenpeace chamou a empreitada de “uma ameaça para um ambiente frágil”. Outros se referem à usina como um “Titanic nuclear” e “Chernobil flutuante”.

Fonte: Exame

 

Sesc da Avenida Paulista apresenta exposição do artista contemporâneo Bill Viola

O Sesc da Avenida Paulista, na região central de São Paulo, passou a funcionar de terça a sábado das 9 da manhã às 10 da noite, e domingos e feriados, das 10 da manhã às 7 da noite.

Além da vasta programação cultural, a unidade tem vista privilegiada da capital, com um café na cobertura do prédio de 17 andares. O edifício fica na esquina com a Rua Leôncio de Carvalho, no começo da avenida, próximo à Casa das Rosas.

No Sesc, há salas de espetáculos e oficinas culturais, espaço para exposições, sete clínicas odontológicas, espaço de brincar, biblioteca, comedoria, bicicletário com 40 vagas e local para amamentação.

Na programação de artes visuais, a unidade tem uma exposição do artista contemporâneo norte-americano Bill Viola, pioneiro em videoarte e imagem em movimento. As obras ficam na programação do Sesc até setembro.

Fonte: G1

Adoradores

“Deus é Espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade” (João 4.24).

Respondendo à mulher samaritana onde era o lugar correto da adoração, Jesus disse: “os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores.” Jesus corrige aqui um grande problema que existia na mente daquela mulher e que ainda existe na mente de muitos nos dias de hoje.

Deus é o objeto da adoração. Veja que Jesus disse: “adorarão o Pai ”. Deus é a razão do nosso louvor e da nossa adoração. Nós não louvamos “mais ou menos” a Deus. Assim, devemos refletir constantemente se Deus está sendo adorado em nosso viver diário e em nossas celebrações.

A verdadeira adoração é em espírito – Em espírito, porque Deus é espírito. Isso significa que o culto é inspirado e dirigido pelo Espírito Santo. A adoração é conduzida de tal maneira que Deus se agrade dela, porque o Espírito Santo conhece a mente de Deus e sabe o que ele gosta na adoração.

A verdadeira adoração é em verdade – Também pela mesma razão acima, ou seja, porque Deus é verdade. Deus não quer que nenhuma pessoa se apresente a ele e o adore tendo mentiras em sua vida. É incoerente adorar o Deus da verdade, tendo a vida enlameada no pecado da mentira.
Deus está procurando verdadeiros adoradores. Veja, então, que Deus não está procurando uma grande banda evangélica, um grande compositor sacro, um bom baterista, uma grande organista… Deus não está procurando uma igreja que cante hinos ou uma igreja que cante músicas contemporâneas. Ele está procurando pessoas que o adorem em espírito e em verdade.

Aprenda com Jesus como deve ser a verdadeira adoração e comece a praticar no seu dia a dia. Sua vida vai ser bem melhor!