Mini chefs

share on:

12/10/2018 – FIQUE POR DENTRO

Você sabia que enquanto você está seguindo uma receita, sem perceber, vai experimentando diversas áreas do conhecimento? É verdade! A matemática é um exemplo. Quando se mede ou pesa um ingrediente, utiliza-se conceitos relacionados às unidades de medida de volume e peso. Enquanto você espera o forno cozinhar uma determinada mistura, é necessário observar o relógio e calcular os tempos exatos para não comer cru e nem queimado.

Segundo pesquisa elaborada por psicólogos infantis, o ato de criar cozinhando, trabalha a concentração, a organização, a autonomia, a voracidade, a capacidade de esperar, o desenvolvimento do paladar e, principalmente, da autoestima. Além disso, pode despertar na criança desde cedo cuidados com higiene, com o que ela põe dentro de seu corpo e a experiência de testar seus quitutes.

Outro fator benéfico é a própria leitura da receita, uma excelente ferramenta para conhecer novas palavras e ampliar o conhecimento do vocabulário. Sem falar nos ingredientes que a criança passa a conhecer e que permitem equilibrar os nutrientes e vitaminas para obter um prato saudável e nutritivo. Cozinhar é ainda uma aventura pela cultura mundial! Aprendemos sobre os hábitos e costumes dos povos que inventaram aquela receita, recuperamos a história dos antepassados e seus pratos típicos e descobrimos os vegetais, frutas e animais que cada região produz. Portanto, cozinhar pode ser um motivo de diversão familiar.

É importante lembrar que, para que a criançada aproveite a cozinha e consiga preparar comidas deliciosas, é preciso ter alguns cuidados e um mínimo de organização. E não esqueça: lave bem as mãos, use avental para proteger a roupa e prenda os cabelos longos. Ninguém fica muito feliz quando encontra um fio de cabelo na comida, não é mesmo?

Antes de colocar a mão na massa, tenha o livro de receitas em mãos. Faça uma leitura prévia da receita. Separe todos os ingredientes necessários: vasilhas, xícaras, colheres, formas e recipientes que serão utilizados. Ah! E lembre-se que com fogo não se brinca. Peça ajuda aos adultos da casa se for manipular objetos cortantes e também na hora de acender o fogo. Tudo pronto? Então, mãos à obra!

Fonte: EBC


Entrevista com a chef de cozinha Paula Weber. Confira:

 


Dia das Crianças: rolês mais legais do que comprar presente

Que tal passar o Dia das Crianças ao ar livre, curtindo a natureza em um parque? E mais: deliciando-se com churros de diversos sabores. Essa é a promessa do Festival de Churros que ocorre entre até 14 de outubro no Parque CERET, no bairro do Tatuapé, em São Paulo. Além das barracas e food trucks com estes doces maravilhosos, quem for ao evento também pode aproveitar as brincadeiras e jogos, os brinquedos infláveis e as oficinas do Primeiro Festival Criança Feliz. Vai perder essa? A entrada é gratuita.

Em tempos de consumo consciente, que tal incentivar a troca? Hoje, do meio-dia às 5 da tarde, a Praça Major Sertório, na Vila Buarque, na capital paulista, recebe uma feira de troca de brinquedos. A ideia é proporcionar a interação entre as crianças e promover a reflexão sobre os apelos ao consumismo na infância.
O Museu de Arte Moderna também oferece uma série de vivências de graça para os pequenos. Tem oficina de música, percurso poético, piquenique e até construção de brinquedos. A distribuição das senhas ocorre com 30 minutos de antecedência.

A próxima dica é para aproveitar com as crianças nos sábados até o dia 3 de novembro. Para aproximar os pequenos do universo teatral, o Sesc Ipiranga recebe a Leitura de peças inéditas. Cada uma explora um estilo: tem adaptação literária, teatro musical, escrita a partir da cena e dramaturgia clássica. É tudo gratuito!

Essas e outras dicas bacanas você encontra no site catracalivre.com.br.

Fonte: Catraca Livre


Como Criança

No elevador social lotado de um grande Shopping, uma mãe entrou com uma criança em um carrinho e com mais outras duas ao seu lado.

Como todos tiveram que se deslocar para o carrinho entrar, ela agradecia e dizia alto: “Eu não sei quem foi inventar criança. Quem foi? O garoto maior com seus seis e que havia entrado primeiro, ficou sério, olhou para a mãe e em seguida respondeu: “Foi Deus!”

Foi um perfeito louvor ao Deus Criador de todas as coisas!

Todos abriram o rosto em um sorriso! Um casal bateu palmas. Ele ficou vermelho. O elevador era grande, estava cheio, mas o espírito da resposta mexeu com todos. Foi um novo e agradável ar no ambiente! Deus foi louvado, proclamado como criador e responsável por todas as coisas através da boca daquela criança.

Deus silencia os grandes através dos pequenos. Ele é verdadeiramente louvado pela boca dos que ainda não conhecem a tabuada.

O próprio Jesus disse: “Eu lhes asseguro que, a não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças, jamais entrarão no Reino dos céus” (Mt 18.2).