Metabolismo

share on:


23/01/2019 – FIQUE POR DENTRO

Quando o assunto é emagrecimento, muito se ouve falar em metabolismo. Em boa parte das vezes, ele é apontado como culpado pela dificuldade de eliminar os quilos extras. Mas será que você sabe o que é o metabolismo e como ele funciona? E aquele papo de que “meu metabolismo não trabalha da forma que deveria” ou “eu engordo porque meu metabolismo é lento”, faz sentido ou é só uma desculpa de quem vive lutando contra os ponteiros da balança?

Por definição, o metabolismo é o conjunto de reações químicas e hormonais que acontecem no nosso corpo para gerar energia e mantê-lo funcionando. Ou seja, é a quantidade de calorias que o seu corpo queima para se manter ativo. O organismo gasta calorias até quando está em repouso, porém trabalhando para manter suas funções vitais, como respiração e funcionamento cardiovascular.

Devido à influência destes fatores, cada pessoa possui um gasto diferente e precisa de energia de forma diferente para emagrecer, ganhar peso ou simplesmente manter o peso atual. A velocidade com que o corpo queima calorias (chamada de taxa metabólica) determina o ritmo em que o corpo vai trabalhar e a tendência a ganhar ou perder peso. A taxa metabólica é definida, em grande parte, por características genéticas.

Um metabolismo lento leva ao acúmulo de gorduras. É por isso que algumas pessoas têm dificuldade em emagrecer e de se manterem magras. Outras são privilegiadas e têm um metabolismo acelerado. É importante ressaltar que, em qualquer caso, é possível aumentar a taxa metabólica, eliminando mais calorias para manter a boa forma.

Para saber quantas calorias são necessárias em um dia, é preciso considerar peso, idade, sexo e nível de atividade física. Os homens, por exemplo, possuem mais massa muscular e menor quantidade de gordura se comparados às mulheres, por isso têm o metabolismo mais rápido. A prática de atividade física também aumenta o metabolismo, enquanto o avanço da idade diminui.

A massa muscular presente no corpo também influencia o gasto energético, já que é um tecido ativo e quanto mais presente no corpo, mais calorias gasta. Embora seja determinado geneticamente, é possível acelerar o metabolismo com algumas atitudes que ajudam a perder alguns quilinhos e ainda dão maior disposição.

A primeira delas é não ficar muitas horas sem comer ou fazer só duas ou três refeições exageradas ao dia. Isso deixa o metabolismo ainda mais lento e o corpo acaba estocando gordura. O ideal é comer de pouquinho em pouquinho, fazendo pequenas refeições a cada três horas e sempre nos mesmos horários.

Outra forma de acelerar o metabolismo e a perda de peso é comer mais proteínas e menos carboidratos. Os peixes, a carne bovina, frango, ovos, leite e derivados são ótimas fontes de proteína e podem ser incluídos na dieta. Invista nos alimentos ricos em fibras, pois eles exigem maior esforço do organismo desde a mastigação e em todo o processo de digestão. Dessa forma, o gasto energético é muito maior, auxiliando no emagrecimento.

Para evitar a desidratação e estimular o metabolismo, beba muita água. O ideal é ingerir de oito a dez copos por dia. Dormir bem também é fundamental para manter todo o organismo funcionando em um ritmo adequado. Então, procure dormir oito horas por dia.

Fonte: dicasdemulher.com.br


Entrevista com a nutricionista Ana Maria Rossetti Delospital, do Centro Terapêutico AKTA LIV. Confira:

Mais informações: aktaliv.com.br

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Img_FiquePorDentro_Saude_680px_v1.jpg

Metade das prefeituras gasta menos de 403 reais ao ano na saúde

Cerca de 2 mil e 800 municípios brasileiros gastaram menos de 403 reais e 37 centavos na saúde de cada habitante durante o ano de 2017. É o que revela um levantamento feito pelo Conselho Federal de Medicina. A análise mostra que esse foi o valor médio aplicado por gestores municipais com recursos próprios em Ações e Serviços Públicos de Saúde declaradas no Siops (Sistema de Informações sobre os Orçamentos Públicos em Saúde).

De acordo com os números, municípios menores, em termos populacionais, arcam proporcionalmente com uma despesa per capita maior. Em 2017, nas cidades com menos de 5 mil habitantes, as prefeituras gastaram em média 779 reais e 21 centavos na saúde de cada cidadão. Isso é quase o dobro da média nacional identificada. Os municípios das regiões Sul e Sudeste foram os que apresentaram maior participação no financiamento do gasto público em saúde — consequência, segundo o CFM, de sua maior capacidade de arrecadação.

Com apenas 839 habitantes, Borá, em São Paulo, lidera o ranking de gastos per capita na saúde, com 2 mil 971 reais e 92 centavos. Em segundo lugar aparece Serra da Saudade, em Minas Gerais, cujas despesas em ações e serviços de saúde alcançaram 2 mil 764 reais e 19 centavos por pessoa. Na outra ponta, entre os que tiveram menor desempenho na aplicação de recursos, estão três cidades de médio e grande porte, todas situadas no Pará: Cametá (R$ 67,54), Bragança (R$ 71,21) e Ananindeua (R$ 76,83).

Entre as capitais, Campo Grande assume a primeira posição, com gasto anual de 686 reais e 56 centavos por habitante. Em segundo e terceiro lugares estão São Paulo e Teresina, onde a gestão local desembolsou, respectivamente, 656 reais e 590 reais por habitante naquele ano. Já as capitais com menor desempenho são Macapá, com 156 reais; Rio Branco, com 214; Salvador e Belém, ambas com valores próximos de 245 reais por pessoa. A lista completa de municípios que participaram do levantamento pode ser acessada em portal.cfm.org.br.

Fonte: UOL

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Img_FiquePorDentro_MomentoRefflexao_680px_v2.jpg

Fazer rapidamente

O que as suas mãos tiverem que fazer que o façam com toda a sua força. (Eclesiastes 9:10)

O cristianismo está se tornando uma religião cheia de formalismos. As pessoas vão à igreja aos domingos e creem que com isso cumpriu com as suas obrigações para com Deus. Todo o desenrolar da semana assume outra característica e pouco se pensa na igreja ou no reino de Deus. Por que esta situação? Uma das causas da apatia encontrada em muitas vidas é por causa da falta de entendimento daquilo que Deus requer de cada pessoa. Quando fomos chamados das trevas para a maravilhosa luz de Deus, nós fomos também vocacionados para uma tarefa específica. Nem todos são pastores, professores, evangelistas, missionários, etc. Mas todos têm uma parte a cumprir na expansão do reino. Você sabe qual é a sua? Se você não sabe, ore a Deus e peça que ele lhe dê oportunidades de realizar algo para o seu nome. Se você sabe o que Deus requer da sua vida, então atente para o ensino da Palavra de Deus e faça depressa.

Realize conforme a sua possibilidade. Deus capacitou-o para certas tarefas e ele não exige que você faça algo além das suas forças. Lembre-se de que a graça do Senhor está com você. O seu problema e também o meu, é que ficamos sonhando com as grandes realizações e não nos damos conta das pequenas coisas ao nosso redor e que precisam ser feitas imediatamente.

Quem é fiel no pouco, vai ser fiel também no muito, e quem é infiel no pouco também vai ser infiel no muito. O desafio a todos nós é que olhemos ao nosso redor, aqui e agora, e realizemos sem demora a nossa tarefa. Depois da morte virá a prestação de contas de tudo o que fizemos e de tudo o que deixamos de fazer. Você está pronto para aquele dia? Eu espero que sim!