Mesada

share on:

02/10/2017 – FIQUE POR DENTRO

Entre tantos ensinamentos e valores que devemos passar aos nossos filhos ao longo da vida, lidar com o dinheiro é um deles. Muitos pais têm dúvidas sobre o tema, pois afinal “qual o melhor momento para começar a dar mesada para os filhos?” ou “qual a melhor hora de falar sobre dinheiro com as crianças?”.

Há quem diga que a criança tem coisa muito mais importante para aprender do que sobre dinheiro. Mas aí, quando adulto, lidar com dinheiro é essencial e o pessoal chega sem saber nem que só pode gastar menos do que ganha. Até mesmo em crises econômicas, é preciso falar sobre dinheiro.


Entrevista com o consultor financeiro, Álvaro Modernell. Ele fala sobre educação financeira para crianças. Confira:

 

Preços de mensalidades no ensino superior sobem mais do que a média no segundo semestre

Os cursos de ensino superior presencial tiveram em média um reajuste de preços de 1,2% no segundo semestre desse ano. Segundo um levantamento do Quero Bolsa, o valor está maior em comparação com o mesmo período do ano passado. No ensino a distância, o reajuste das mensalidades foi maior, da ordem de 3,8%.

Embora tenha havido aumento de preços, os reajustes ficaram abaixo do aumento de custos no setor. Segundo o órgão acadêmico, o aumento das mensalidades se dá devido os salários dos professores e os gastos mensais com a estrutura das universidades.

Além disso o abandono dos cursos têm sido também um dos motivos que elevaram as mensalidades. Segundo o Censo da Educação Superior, divulgados no final do ano passado, pela primeira vez em 25 anos, o número de alunos na rede particular de ensino caiu no Brasil.

Entretanto, mesmo com o aumento superior dos cursos presenciais, o mesmo censo revelou a busca por cursos a distância tem se intensificado ao longo dos anos.


O que pesa na hora da decisão?

Dizem que tomar decisões é a marca da maturidade. Nascemos, passamos pela infância, chegamos à adolescência e, mal saímos dela quando a sociedade e a família nos obriga a tomar decisões que ditarão o rumo de nossas vidas no sentido profissional e, em muitos casos, amoroso e familiar.

Mal temos informações necessárias e já somos obrigados escolher o curso superior, pensando, é claro, na profissão que pretendemos exercer pelo resto de nossas vidas. Tomar decisões também é algo que nos acompanhará até o fim da vida.

Se a tomada de decisão é uma parcela tão importante e permanente em nossas vidas, penso que nossa atenção precisa ser redobrada quanto ao que pesa na hora da decisão. Ou seja, com quais critérios tomamos nossas decisões? Algumas pessoas nunca pararam para pensar nisso. No entanto, decisões foram e estão sendo tomadas a todo momento, sejam elas em relação a grandes e decisivos momentos da vida, ou nos pensamentos e ações do dia a dia.

Os seus critérios para tomar decisões vêm de onde? Você pensa em quem na hora de decidir? Você se reporta a quem pelas decisões tomadas? Busca conselho aonde? Com quem? Essas perguntas precisam de respostas.

Jesus de Nazaré nos ensinou a tomar decisões pensando em primeiro lugar nos outros, e nunca em nós mesmos. Ele disse que nós deveríamos fazer para os outros o que gostaríamos que eles fizessem para nós.

Em seus ensinos também encontramos uma verdade contundente principalmente nos tempos em que vivemos. Ele ensinou que não se deve decidir pelo dinheiro. Tomar decisões por causa do dinheiro é o início da ruína; é depositar a vida em coisas transitórias e perecíveis; é muita tolice.

Na hora da decisão, Deus deve vir em primeiro lugar. Ele nos ensinou que quando aprendermos a decidir pelo Reino de Deus e sua justiça, então Deus cuidará das nossas necessidades.

Lembre-se de que as decisões que você toma hoje trarão consequências para o seu futuro, dirão como você será lembrado depois de sua morte e determinará sua vida futura, na eternidade.

Por: Israel Mazzacorati