Marmita

share on:

06/09/2017 – FIQUE POR DENTRO

Marmita está na moda! As chamadas quentinhas são, muitas vezes, mais saudáveis, seguras e, principalmente mais baratas. E quem não quer economizar nos dias de hoje? As pequenas porções de comida levadas pelos trabalhadores brasileiros para o trabalho ganham cada vez mais adeptos.

Uma pesquisa recente da rede mundial de ideias mostra que a busca de usuários por sugestões de como montar a marmita teve um aumento de 110% nos últimos três meses. Além disso, houve avanço de 40% em julho no número de pessoas que procuram receitas simples para levar ao trabalho.

Saladas no pote, marmitas low carb, na versão tradicional de metal, em vidro ou ainda em plástico ou silicone. Os tipos são os mais variados.


Entrevista com a nutricionista Katia Camargo. Ela fala sobre o tema de hoje. Confira:

 


Testamento Vital
Existe um documento que contém as suas diretrizes antecipadas de vontade sobre cuidados à vida. O documento funciona em uma situação em que você não tem condições de tomar as próprias decisões ou expressar a sua vontade. O nome dele é testamento vital. O objetivo é assegurar a dignidade, qualidade, significado e valor da vida diante de uma situação de doença grave, incurável, fora de possibilidade de tratamento de cura ou de prolongamento da vida. Esse testamento assegura ao paciente cuidados de conforto durante o tempo de vida até a hora da morte digna, sob a perspectiva do próprio paciente.

Elas servem para auxiliar a família e o médico a tomarem decisões de cuidados com a vida que permitam respeitar o que você considera de maior valor na sua existência. Embora pouco se fale sobre isto, a elaboração e o registro do testamento vital são recomendadas pelo nosso Conselho Federal de Medicina e tem pleno suporte legal no nosso país. Vale ressaltar, que optar por fazer o testamento vital, não quer dizer que o paciente escolha por eutanásia ou suicídio, e sim um caminho de dignidade e respeito às leis naturais da vida.


Série Charlottesville – Ku Klux Klan volta a assombrar os Estados Unidos

Nascida das cinzas do derrotado Sul após a Guerra Civil Americana, a Ku Klux Klan ressurgiu antes de perder a luta contra os direitos civis nos anos de 1960. Então, as inscrições minguaram, o grupo se dividiu e alguns de seus integrantes foram para a prisão por uma série de assassinatos de negros. Muitos presumiram que o fantasma do ódio e da violência, tinha morrido, mas o grupo de supremacista branco vê a política do país ir ao seu encontro.

A afirmação é concreta, após uma pesquisa realizada pela a agência de notícias “Associated Press”, expor que a mentalidade política de “nós contra eles” vêm ganhando terreno em todo o território norte americano. Eles apontam, por exemplo, que interromper ou limitar a imigração, que é um desejo do clã é uma causa maior do que nunca. E destacam ainda que as inscrições aumentaram durante o fim do mandato do ex-presidente Barack Obama.

Outro ponto de preocupação é a forma como uma pessoa pode juntar-se ao clã. Embora a Ku Klux Klan de hoje ainda esteja envolvida em atrocidades, como essa ocorrida em Charlottesville, ela não é de forma alguma tão violenta quanto à dos anos 1960.


Astronauta
O astronauta norte-americano James Irwin foi tripulante da Apolo 15, o oitavo homem a caminhar na lua e o primeiro a dirigir um jipe lunar.

James Irwin dizia-se cristão e não tinha grandes entusiasmos pelo trabalho da Igreja, mas ao voltar, as coisas mudaram. Ele confessou que quando estava na lua, lembrava-se especialmente do Salmo 121: “Elevo os meus olhos para os montes; de onde me vem o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a Terra”.

Em consequência desta experiência, ele revelou ter sentido a presença de Deus e descoberto a fragilidade do planeta e a necessidade de protegê-lo. Após aposentar-se, James Irwin dedicou sua vida à pregação do Evangelho, campanhas evangelísticas que realizou pelo mundo, falando de sua experiência com Deus na Apolo 15.

Quando questionavam a importância deste novo projeto, ele respondia: “A propagação da mensagem de Jesus ao redor do mundo é a coisa mais importante para mim. Não posso desejar bênção maior, e me sinto realizado quando posso contar o que Cristo tem feito na minha vida”.

Um dia alguém lhe perguntou: “Como voar até Deus?” A resposta foi: “Preparando-se espiritualmente. Com esperança em Cristo, o filho de Deus. Assim estaremos nos preparando mesmo para o voo mais alto que todos devemos fazer, sem trajes espaciais, sem nave especial.”

Esse voo final, maior e mais glorioso, o ex-astronauta fez aos 61 anos de idade, no dia 10 de agosto de 1991, ao falecer de problemas cardíacos, no estado de Colorado, EUA.

Ficou o testemunho de um cientista que temeu e honrou o Criador.