Manchas na pele

share on:

15/02/2017

Existem diferentes tipos de manchas que podem aparecer no corpo, porém, entre elas, existe uma característica comum: todas são agravadas com a exposição excessiva ao sol.

A célula responsável pela pigmentação da pele, o melanócito, reage a diversos estímulos e agressões produzindo melanina. Saiba quais são os tipos de mancha que podem ser desenvolvidas:

Manchas senis – são escuras, arredondadas e surgem com o passar dos anos no corpo devido a exposição prolongada ao sol.

Sardas – manifestam-se na face de crianças ou jovens de pele, geralmente, muito clara após exposição em excesso ao sol.

Melasmas – normalmente surgem após a gravidez, uso de pílula ou exposição ao sol e acontece com maior probabilidade na região das maçãs do rosto, buço e testa.

Manchas de pós-acne – aparecem depois do processo inflamatório da acne.

Ceratose seborreica – são lesões ásperas, escuras ou esbranquiçadas. Podem ocorrer na face, couro cabeludo, membros e tórax.

 

Entrevista com o presidente do Instituto Protetores da Pele, Omar Lupi. Ele fala sobre manchas na pele.

 

Cientistas manipulam rato geneticamente para resistir à dependência à cocaína

Cientistas da Universidade de Colúmbia Britânica, no Canadá, manipularam geneticamente um rato para resistir à dependência de cocaína.

O experimento demonstrou que o consumo habitual da droga responde mais a uma questão genética e bioquímica. O rato manipulado pelos cientistas tinha níveis maiores de uma proteína chamada cadherina, que auxilia as células a se manterem unidas. No cérebro, essa proteína ajuda a reforçar as sinapses, as conexões neuronais.

Para realizar o experimento, os especialistas utilizaram dois ratos, dos quais apenas um foi manipulado geneticamente. Aos dois foi fornecida a mesma quantidade de cocaína em uma caixa identificada, de maneira que os animais pudessem associar esse espaço com o consumo da droga.

Após fornecer cocaína às cobaias durante vários dias seguidos, os roedores ficavam livres para passar o tempo em qualquer um dos compartimentos da caixa. Enquanto o rato normal praticamente gravitava em torno do local onde tinha tomado à droga, o outro passou a metade do tempo nesse compartimento. Assim, ficou comprovado que o rato com mais cadherina não tinha criado lembranças fortes da sensação provocada pelo entorpecente.

 

Forças Armadas

As Forças Armadas constituem o complexo das unidades e serviços militares do Estado: seu núcleo tradicional e central é formado pelo Exército, pela Marinha e pela Aeronáutica militares.

O Exército é a força militar típica da terra, preparada e equipada para desenvolver operações de defesa no território nacional e de ofensiva no território inimigo. A sua organização permite operar em todos os terrenos, usando pequenas, médias e grandes unidades.

A Marinha militar atende à defesa das águas territoriais, das infraestruturas portuárias e receptivas e, em tempo de guerra, à proteção das comunicações marítimas e dos comboios comerciais.

A Aeronáutica militar, a última historicamente formada das 3 armas, não só provê ao apoio tático das tropas de terra e dos comboios marítimos, como também opera com aeronaves individuais em operações de reconhecimento e com aeronaves organizadas em esquadrilhas para maior concentração do esforço ofensivo nos bombardeamentos.

 

Chorar sorrindo

Recentemente presenciei uma senhora soluçar em choro, como uma criança, pois sua mãe havia falecido, seu marido foi vítima de uma doença que lhe ceifou a vida em poucos meses, e seus dois filhos estavam a estudar fora do país. Num prazo de um ano, aquela senhora estava completamente sozinha no mundo, obrigada a processar seu luto, pela morte do marido e da mãe, e a lidar com as saudades dos filhos, sem ninguém para lhe oferecer apoio, como se já não bastasse as dificuldades que a idade avançada nos impõe.

A vida é assim: nos golpeia a nos surpreender. E quanto isso acontece, logo nos deparamos com as grandes questões da existência humana, que curiosamente não é: “Deus existe?”, mas sim: “por que” isso está acontecendo? Responder é fácil para quem não vive o problema, para quem, como um observador, vê de longe e pondera sobre as mazelas alheias. A vida é transitória, inconstante e dura. A Bíblia nunca disse o contrário. A propósito, desde o terceiro capítulo do seu primeiro livro já sabíamos o que nos esperava.

É com razão que as palavras de Jesus nos oferecem consolo; nos aquece a alma nos dias frios da saudade, da dor profunda da solidão e do luto. Ele disse: felizes são os que hoje choram, pois serão consolados. Chorar é, portanto, uma resposta aos questionamentos da vida, pois, certas questões não precisam de explicação, pois não há explicação satisfatória que preencha o vazio de um coração inconsolável. O que melhor podemos fazer por alguém que se encontra na situação daquela senhora enlutada é sermos solidários no choro, na dor, na saudade, no luto. Foi a instrução do apóstolo Paulo: chorem juntos com os que choram.

E, enquanto chorava, aquela senhora abria um sorriso. Era um sorriso de esperança, a última que lhe restava. O sorriso não interrompeu o choro, mas poeticamente, aquele sorriso dizia: eu tenho que passar por isso, e nada pode ser feito para que minha mãe e meu marido voltem para mim, e isso me faz chorar. No entanto, eu sei que eles estão com o Pai; sei também que, um dia, estarei com eles, na eternidade, com o meu Senhor, que toda lágrima do meu olhar enxugará; isso me faz zombar do sofrimento; isso me faz sorrir.

Israel Mazzacorati