Livros e autores

share on:

08/02/2018 – FIQUE POR DENTRO

Apesar do advento da internet e dos diversos meios de leitura, são comercializados todos os dias milhões de livros pelo mundo. O Fique Por Dentro separou alguns dos livros mais vendidos no mundo.

Para alguns livros, como os clássicos antigos, é muito difícil calcular o número de exemplares vendidos, pois na época ainda não havia o conceito de comprar um livro, o que não significa que eles não foram reproduzidos milhões de vezes. Outros títulos acabam sendo difíceis de contar por conterem muitos volumes, o que, se contabilizado como uma obra única causaria uma concorrência desleal com os demais.

Confira então o que mais se aproximam do consenso editorial:

• Bíblia Sagrada
• O Livro Vermelho
• Alcorão
• Dom Quixote (Miguel de Cervantes)
• Um Conto de Duas Cidades (Charles Dickens)
• O Senhor dos Anéis (J. R. R. Tolkien)
• O Pequeno Príncipe (Antoine de Saint-Exupéry)
• Harry Potter e a Pedra Filosofal (J. K. Rowling)
• O Caso dos Dez Negrinhos (Agatha Christie)
• O Hobbit (J.R.R. Tolkien)
• O Sonho da Câmara Vermelha (Cao Xueqin)


Entrevista com o professor e pastor, Itamir Neves. Ele fala sobre aconselhamento. Confira:

 


SpaceX lança carro de luxo ao espaço no ‘superfoguete’

Em clima de show, a SpaceX lançou um carro de luxo ao espaço. O evento é considerado o principal teste do novo foguete jumbo Falcon Heavy, que deverá ser classificado como o mais potente do mundo e o veículo espacial mais poderoso a ser lançado.

Com gritos e aplausos na base de Cabo Canaveral, na Flórida Estados Unidos, diversos espectadores acompanharam o lançamento do foguete. Além disso, para poder atender a todos os públicos, a empresa SpaceX transmitiu o lançamento ao vivo.

Desenvolvido para transportar cargas úteis de muito maior peso do que um carro esportivo, o foguete custa o equivalente a 90 milhões de dólares.

A expectativa é de que a empresa SpaceX, com sede na Califórnia, vai ganhar vantagem em relação às companhias de foguetes comerciais rivais que buscam contratos importantes com a Nasa, as Forças Armadas dos Estados Unidos e empresas de satélites estrangeiros.


O social e o espiritual

O cristão, por ser uma criatura social, se encaixa dentro de uma cultura. A cultura brasileira é formada por uma mistura de vida dominada por patrões, chefes, coronéis, políticos. Estes, pouco se interessam no conforto e bem-estar dos que procuram manter, pelo menos, o mínimo das necessidades fisiológicas e psicológicas para viver.

A vida na roça foi substituída pela vida na periferia das cidades, que aglomeram casas, com o mínimo de conforto. As longas viagens para o trabalho em ônibus lotado tomam o lugar da vida sem futuro no campo. O ato de capinar e colher os frutos da terra enriquece o latifundiário, mas não o trabalhador. Será que melhorou a qualidade de vida na favela?

A. H. Maslow, psicólogo renomado, criou um modelo em forma de hierarquia em que ele imaginou que, enquanto as necessidades básicas do nível mais baixo na pirâmide não são satisfeitas, não adiante tentar suprir as necessidades dos níveis superiores. Segurança, seguida por amor, afeição e sentimento de pertencer a um grupo, somente ganham espaço na mente, quando estas exigências básicas são supridas. Depois destas necessidades secundárias serem alcançadas, o homem se concentra na autoestima e, finalmente, na auto-realização.

Enquanto a preocupação com as necessidades fundamentais, para manter a vida, não for satisfeita, não adianta tentar apelar para seres humanos se entregarem a Deus e se tornarem membros fieis da igreja em busca de santidade e a vida eterna. Maslow não percebeu que fé e esperança para o futuro fazem parte das necessidades humanas mais prementes!

Talvez, não entendamos bem porque o sertão do nordeste brasileiro seja a região em que a porcentagem da população evangélica seja menor, enquanto, na periferia das grandes metrópoles, com sua alta proporção de imigrantes do nordeste, encontramos mais abertura para receber o evangelho. Nas áreas mais abastadas destas cidades encontramos forte resistência ao evangelho.

Na Europa, as igrejas perdem membros, enquanto, no terceiro mundo, o crescimento numérico dos evangélicos supera em muito essa perda. Na Escócia, o abandono da igreja Presbiteriana (a igreja nacional) alcança 400 pessoas por semana. O acréscimo na África ao sul, no Saara e na China, excede as perdas da Europa “cristã”. Há mais anglicanos na Nigéria que em toda a Inglaterra e a América, juntos. Comentou um holandês: “Preciso de Deus para quê? Tenho tudo que preciso…”

Há muitos fatores que levam os pecadores a curvarem diante do Senhor Jesus, que se sacrificou na cruz para os salvar. Provavelmente, um deles é a vida apertada, sem propósito ou esperança. Jesus notou as multidões e teve compaixão delas, porque estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor. O sertão brasileiro tem forte inclinação para a religião popular. A tradição reina. Quanto tempo demorará para todo o Brasil reconhecer sua necessidade de uma fé bíblica, inspiradora e cheia de esperança para a vida eterna?

Pr. Russell Shedd