Literatura brasileira

share on:

08/01/2018 – FIQUE POR DENTRO

A literatura brasileira conta com mais de quinhentos anos de história. O primeiro documento produzido no Brasil, a Carta de Pero Vaz de Caminha, é considerado também como o primeiro texto literário do Brasil, embora tenha sido escrito por um português.

Confira alguns dos principais títulos da literatura brasileira:

  • Dom Casmurro, de Machado de Assis
  • Macunaíma, de Mário de Andrade
  • Triste fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto
  • Grande sertão: Veredas, de Guimarães Rosa
  • Vidas Secas, de Graciliano Ramos


Entrevista com a escritora, Telma Guimarães. Ela fala sobre a importância da literatura. Confira:

 


Professores de Bangladesh fazem greve de fome

Centenas de professores de escolas particulares de Bangladesh estão em greve de fome há dias para exigir apoio econômico do governo e reivindicar sua inclusão em um programa de salários públicos.

O governo paga o salário mínimo de Bangladesh, cerca de 180 dólares por mês, aos professores de instituições privadas incluídas no Programa de Pagamentos Mensais. Cerca de 80 mil profissionais do ensino trabalham em 5.242 instituições sem receber dinheiro do Estado, alguns deles há décadas.


A obra de suas mãos

Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos (Salmos 19:1).

Dois amigos, um cristão e um ateu, subiam juntos uma montanha. Encontraram uma grande pedra e resolveram sentar-se um pouco para descansar. Enquanto estavam ali, conversaram sobre várias coisas: trabalho, família e até sobre a beleza existente na natureza. De repente, a conversa tomou o rumo da religião. “Eu não acredito em Deus porque não existe nenhuma prova de sua existência”, disse o ateu. O cristão não respondeu imediatamente. Por uns instantes ele virou sua cabeça para o alto, contemplando o céu azul sobre eles. “É verdade”, disse o cristão, “não podemos ver, ouvir ou tocar em Deus, mas podemos saber que Ele existe vendo os resultados de Suas obras”. “Pense sobre todas as magníficas coisas que vimos hoje” continuou o cristão, “montanhas majestosas, centenas de variedades de árvores, flores, insetos, pássaros… e até você e eu! Tudo é muito belo e perfeito”. O Ateu respondeu: “Sim, a natureza é definitivamente incrível, mas, eu acredito que tudo é obra do acaso”.

Novamente, o Cristão perscrutou as densas nuvens acima dele e, então, perguntou: “Nós não podemos ver o ar, não é? Nós sabemos que ele existe porque nós vemos os feitos do ar. Nós vemos o balanço das árvores e o farfalhar das folhas, mas, não vemos realmente o ar nem o vento. As provas da existência de Deus estão por toda a parte. A nós só cabe olhar e comprovar”. E, assim, sem dizer mais nada, o Ateu e o Cristão continuaram sua longa caminhada para o alto da montanha…

No Salmo 19, Deus se revela para ajudar-nos a crer nele. Deus se revela na criação do universo e, a evidência da sua existência é visível a todos. Deus se revela na sua palavra, que guia o homem. Mas, Deus também, se revela ao individuo através das experiências que lhe permite passar.

Através da natureza percebemos a glória de Deus. O universo físico declara a glória de Deus, e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Este é um paralelismo hebraico clássico. A ordem, o esplendor, a complexidade e a exatidão são demonstrações da majestade, do poder e da sabedoria de Deus. Essa revelação se dá continuamente: dia após dia, noite após noite. Essa revelação é singular, pois não há palavras nem som, mas é uma revelação universal.