Liderança

share on:

13/08/2018 – FIQUE POR DENTRO

A definição de liderança nunca foi estática e, no século 21, é mais importante, cotidiana e colaborativa do que nunca. Assim como o conhecimento humano, que se expande todos os dias, a definição de conceitos de liderança também está em constante atualização. Hoje em dia, o líder é um agente de mudanças, alguém capaz de impactar tanto sua própria realidade quanto a realidade dos outros através do protagonismo e da execução.

Pessoal e profissionalmente, liderança significa saber quem você é, o que quer e como traçar planos para atingir seus objetivos, o que exige autoconhecimento como base e ferramentas e conceitos que o ajudem a estruturar seus planos. O que está por trás do desenvolvimento de um líder é, principalmente, sua maneira de pensar e ver o mundo e sua capacidade de executar e se responsabilizar por suas ações.

A liderança pode surgir de forma natural, quando uma pessoa se destaca no papel de líder, sem possuir forçosamente um cargo de liderança. É um tipo de liderança informal. Quando um líder é eleito por uma organização e passa a assumir um cargo de autoridade, exerce uma liderança formal.

Novas abordagens sobre o tema defendem que a liderança é um comportamento que pode ser exercitado e aperfeiçoado. As habilidades de um líder envolvem carisma, paciência, respeito, disciplina e, principalmente, a capacidade de influenciar as pessoas.


Entrevista com Andrea Deis. Ela é master coach, pedagoga, palestrante, orientadora vocacional e gestora empresarial. Confira:

 

 

Aberto prazo para renovação de contratos do Fies celebrados até 2017

Está aberto o prazo de renovação da participação no programa de Financiamento Estudantil para contratos celebrados até dezembro de 2017. A manutenção do benefício deve ser registrada no sistema do Ministério da Educação até o dia 31 de outubro deste ano. O Fies é o programa de financiamento estudantil voltado a instituições de ensino particulares. Ele oferece empréstimos a alunos que desejam ingressar em cursos nessas universidades, com percentuais variando a partir da renda dos candidatos e de outras variáveis. Para este ano, as regras do programa foram alteradas. A renovação vale para quem está nas regras vigentes até 2017. Ela precisa ser feita pelas Comissões Permanentes de Supervisão e Acompanhamento de cada instituição de ensino.

Os alunos devem acompanhar esse processo por meio do sistema do MEC para verificar se o pedido foi encaminhado, se os dados estão corretos e para validar as informações. O prazo para a confirmação é de até 20 dias após o registro da renovação no sistema. Concluído o processo, o estudante pode retirar um certificado atestando sua situação regular na comissão. Se for encontrado algum problema, será preciso procurar a Comissão de Acompanhamento para solicitar a correção. Caso o aluno decida ou precise mudar as condições de financiamento, como a quantidade ou os valores das parcelas, precisa levar a documentação do contrato ao banco operador do empréstimo. Nesta situação, o prazo é menor e se encerra no dia 30 de setembro.

Fonte: Agência Brasil


O Teste de Liderança: A Próxima Geração

Se perguntássemos a 100 executivos quais são as características de um bom líder, certamente eles dariam 100 diferentes respostas. Contudo, quando se fala em deixar uma herança duradoura, a marca dos grandes líderes é determinada por aquilo que permanece depois que eles saem de cena.

Líderes determinados e decididos a serem bem-sucedidos são capazes de “fazer as coisas acontecerem”, desejosos de transformar sua visão e sonhos em realidade. Entretanto, a melhor forma de avaliar líderes é depois que se vão: sua eficiência em liderar aqueles sob seu comando se revela pelo que permanece.

Em seu excelente livro “Empresas Feitas Para Vencer”, Jim Collins afirma que grandes líderes “desejam que suas empresas alcancem ainda mais êxito na próxima geração, despreocupados diante da ideia de que a maioria das pessoas sequer saberá que a raiz desse sucesso está em seus esforços originais”.

Collins também descreveu líderes “nem tão grandes assim”: “…Preocupados com sua própria reputação de grandeza (eles) frequentemente falham na tentativa de preparar a organização para ser bem-sucedida na próxima geração. Afinal de contas, quer testamento melhor de sua própria grandeza, do que tudo desmoronar depois que você partir?”

É interessante observar como a partida de dois ícones da liderança empresarial afetou as empresas de ponta que fundaram. Steve Jobs, cofundador da Apple morreu em outubro de 2011. Sua visão, criatividade e magnetismo pessoal construíram a Apple, levando-a a ser a mais inovadora empresa de seu tempo. Quando Jobs se afastou da Apple no final dos anos 80, a empresa cambaleou até que ele reassumiu anos mais tarde. Desde sua morte, a Apple tem enfrentado dificuldades e especialistas imaginam se ela voltará a ter a mesma estatura que desfrutou sob a direção de Jobs. Será que ela acabará sendo “ainda mais bem-sucedida na próxima geração”? Isso não tem o intuito de diminuir as realizações de Jobs, mas nem todos os líderes exercem impacto de longo alcance.

A Bíblia apresenta inúmeros exemplos da ideia de “próxima geração”. Moisés passou o cajado a Josué, e Elias literalmente passou o manto a Eliseu. O maior exemplo foi Jesus Cristo que confiou Sua missão a um pequeno número de discípulos. Hoje incontáveis milhões de pessoas se tornaram Seus fieis seguidores.

Provérbios 29.18 diz: “Onde não há revelação divina, o povo se desvia; mas como é feliz quem obedece à lei!” Jesus deu a Seus seguidores uma visão simples: “Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações… ensinando-os a obedecer a tudo o que Eu lhes ordenei…” (Mateus 28:19-20).

Nitidamente eles foram fieis à sua vocação, visto que o sucesso de sua missão hoje se estende a incontáveis gerações.

No seu trabalho existem líderes lançando e delineando visões a serem abraçadas pelas gerações vindouras?

Por: Robert Tamasy