Jornais impressos

share on:

07/03/2017

Apesar da baixa penetração, os jornais impressos são a fonte de informação mais confiável para a população brasileira, principalmente material noticioso e de publicidade. É o que revela pesquisa de opinião realizada pelo Ibope a pedido da Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

Confira alguns dos que se destacaram e fizeram história:

The New York Times: É publicado desde 1851 e circula quase UM milhão de exemplares por dia.

Diário de Pernambuco: Fundado em 1825, antes mesmo de recife se tornar a capital de Pernambuco. Pode ser considerado o jornal mais antigo ainda em circulação na América Latina.

La Gazzetta di Mantova: É o mais antigo jornal em publicação na Itália, com exemplares datados de 1664 sendo o primeiro jornal local do mundo.

The Guardian: O clássico jornal britânico, famoso e influente, é publicado desde 1821. Noticiou os maiores fatos históricos e foi balizador da época das grandes guerras bem como da Guerra Fria, apesar de ter uma relativa baixa circulação de 350 mil exemplares.

 


Com o presidente da Associação Nacional de Jornais, Marcelo Rech. Ele fala sobre o jornal impresso

 

 

Japoneses criam tecnologia de armazenamento ‘eterna’

Cientistas da Universidade de Kobe, no Japão, trabalham em uma tecnologia de armazenamento de dados que pode atingir períodos extremamente longos, superando a casa das centenas e milhares de anos de vida útil.

A pesquisa visa criar um tipo de mídia que permite o armazenamento de informações de longo prazo em contraste com os métodos atuais: discos rígidos têm vida útil entre 5 a 7 anos. A pesquisa japonesa trabalha com o que foi batizado de nanopontos de metal. Esses pontos minúsculos são então dispostos num substrato de silício em padrões que determinam bits de informação. Depois, uma camada de material protetor é usada para selar os nanopontos.

Basicamente, a informação fica “impressa” em forma binária no silício e pode ser então lida por sensores capazes de identificar a informação. Testes de laboratório, usando câmaras térmicas e de pressão, permitiram aos pesquisadores estimar uma vida útil desses chips superior a mil anos.

Mas qual é a utilidade de se reter informações por escalas tão grandes de tempo? Além de aplicações comerciais importantes, essa tecnologia poderia permitir que bibliotecas inteiras, obras de arte e uma série de conteúdo produzidos por milênios de civilização fossem preservados de forma segura por milênios, criando uma capsula do tempo capaz de preservar a história da humanidade.

 

Embaixadas

A embaixada é a presença oficial de uma nação, instalada dentro do território de outra nação. É seu dever proteger os interesses do País que representa e de seus cidadãos. Além disso, é a primeira instância de negociação com o governo local.

Cabe ao embaixador informar o governo sobre os acontecimentos no país estrangeiro e, promover relações amistosas e desenvolver as relações econômicas, culturais e científicas entre as duas nações. Entre as funções de uma embaixada está autorizar o visto de entrada, expedir passaporte, procurações, testamentos, registros de nascimento, casamento e óbito, e legalizar documentos nacionais para cidadãos do país que representa.

 

O Que Dirá Seu Obituário?

Você costuma ler os obituários, aquelas notas de falecimentos em jornais? Parece que à medida que vamos ficando mais velhos, descobrimos que mais pessoas que conhecemos ou simplesmente encontramos estão aparecendo nessa página. E a verdade é que, um dia, meu nome ou seu nome também estará lá.

Recentemente no jornal apareceu um obituário de quase uma página inteira. Era de uma pessoa com grandes realizações. Além de listar todos os parentes que estavam supostamente tristes e falar das providências para o funeral, o anúncio relatava os feitos acadêmicos e vocacionais dessa personalidade, bem como sua paixão por voar e jogar golfe. Foi então, que a notícia adotou um tom diferente, afirmando que ele havia se casado três vezes e divorciado também três vezes. Aquele homem deve ter sido um tremendo sujeito, mas com mais sucesso em casar do que em permanecer casado. Nunca saberemos ao certo, mas, aparentemente, em meio às suas maravilhosas experiências de vida, ele experimentou, e talvez causou, mais tristezas do que compartilhou.

Pare e pense sobre o conteúdo que sua nota de falecimento terá um dia.

Será que os membros da sua família e os amigos que deixará para trás saberão o quanto você os amou? Será que sua vida terá feito diferença positiva em outras pessoas? Será que sua  presença na terra terá feito deste mundo, ainda que de modo insignificante, um lugar melhor? Talvez estas perguntas soem para você tão importantes quanto tem que ser. Eis alguns pensamentos que a Bíblia oferece sobre o assunto:

Foque nos outros e não em nós mesmos: “Não façam nada por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmos. Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros” (Filipenses 2.3 e4).

Cada um de nós tem dons, habilidades e conhecimentos especiais que poderão ser passados para outros. “Visto que você é precioso e honrado à minha vista, e porque eu o amo, darei homens em seu lugar, e nações em troca de sua vida” (Isaías 43.4).

Manter foco em dinheiro e posses é futilidade. “Não se aborreça quando alguém se enriquece e aumenta o luxo de sua casa; pois nada levará consigo quando morrer; não descerá com ele o seu esplendor” (Salmos 49.16 e 17).

Texto de Robert J. Tamasy (Adaptado)