Intolerância à lactose

share on:

18/01/2016

Não é incomum começar o dia com uma bela xícara de leite, seja com café, achocolatado ou mesmo puro geladinho. Mas o que muita gente não sabe é que com o passar dos anos, a nossa intolerância à lactose vai aumentando.

Na verdade, cerca de 60 a 75% da população mundial é intolerante aos derivados de leite, mas não sabe disso, segundo o Centro Digestivo para Mulheres. E os números são realmente assustadores: de acordo com a Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos, 30 milhões de americanos com a faixa etária de 20 anos possuem algum grau de indigestão ao leite.

Quando você pensa sobre o fato de nós, seres humanos, sermos a única espécie que bebe leite de outro animal quando já alcançamos a idade adulta, não é de se surpreender que a intolerância à lactose seja tão comum.

Com o nutrólogo, Roger Bongestab. Ele fala sobre intolerância à lactose

Ele faz o que for preciso

A Bíblia em linguagem contemporânea, chamada “A Mensagem”, traz a seguinte versão para o Salmo 37.5 e 6: “Abra-se completamente diante do Eterno, não esconda nada dele, e ele fará o que for preciso: Legitimará sua vida à vista de todos e como o sol do meio dia declarará a sua inocência”.

O Deus conhecido e adorado pelos cristãos, revelado nas Escrituras, nos convida a colocar nossas vidas em suas mãos. Significa que esse Deus não está aí para ser simplesmente um provedor, doador de bênçãos e benefícios, movido por nossas orações, petições e rituais religiosos. Não. Ele se recusa a ser visto e compreendido dessa maneira.

Deus está aí para ser companheiro na vida. Ele quer, sobretudo, ter um relacionamento conosco. Criador de toda a humanidade, veio ao mundo através de Jesus Cristo para que o pecador se aproximasse dele novamente. Para quê isso tudo? Para que você e eu pudéssemos ser um com ele. Para que nós vivamos uma nova vida, não mais independente dele, autônoma e egocêntrica, mas uma vida abundante e plena!

Essa vida abundante e plena, conforme Jesus ensinou, é estar junto com ele em comunhão. Aprender dele a viver com um novo olhar sobre o mundo, sobre as pessoas. Um olhar permeado pelo amor; uma vida que promove a paz; relacionamentos que priorizam a solidariedade.

O que é preciso para viver abundantemente? O que é preciso fazer para experimentar a vida em sua plenitude? Como é possível viver intensamente a cada minuto? O Salmo 37.5 nos dá a resposta: “Abra-se completamente diante do Eterno, não esconda nada dele”.

Deus sabe quem você é. Ele conhece as suas limitações, falhas de caráter. Seus segredos mais obscuros não estão escondidos dele. Por isso, ele te convida a encarar esse fato. Abra-se para ele, sem restrições, sem deixar nada de fora. Não esconda nada dele. Entregue-se completamente a ele. O resultado disso? Ele fará o que for preciso. Ele declarará a sua inocência quando você se conscientizar de que é falho. Declare-se culpado e ele irá te inocentar. Isso é GRAÇA!

Israel Mazzacorati

Estudo diz que Alimentação com menos sal poderia salvar milhões de vidas

Uma redução de 10% no consumo de sal permitiria salvar milhões de vidas, revelou um estudo do The british medical journal. O sal aumenta o risco de hipertensão e de doenças cardiovasculares.

A maioria dos adultos consome mais sal do que o recomendado, que é 2 gramas por dia. Isso faz com que 1,65 milhão de pessoas morram, por ano, de doenças cardíacas, segundo a Organização Mundial de Saúde.

Até agora, poucos países avaliaram o custo da estratégia pública para tentar reduzir o consumo de sal. Um grupo de pesquisadores calculou este custo em 183 países, atuando de forma coordenada com a indústria.

Os cientistas também avaliaram o número de anos de saúde perdidos. Com a redução do consumo de sal em um período de 10 anos, seria possível evitar perder anualmente, 5,8 milhões de anos de boa saúde, ou 1,13 dólar por pessoa. O custo dos anos ganhos equivale ao que atualmente se gasta em medicamentos para prevenir doenças cardiovasculares, destacam os pesquisadores.

Comissões Parlamentares

 Na política do Brasil, as Comissões Parlamentares são grupos de legisladores, organizados em função da matéria de sua competência. Eles se reúnem para apreciar projetos de lei e outras propostas normativas, além de exercerem papel fiscalizador. Suas decisões legislativas tanto podem apenas preparar a apreciação pelo plenário, como tramitar em caráter conclusivo.

Em cada uma das duas casas do Congresso Nacional brasileiro, o processo legislativo normalmente tem início por meio de Comissões Parlamentares. Cada comissão possui funções legislativas e fiscalizadoras e é guiada tanto pela Constituição Federal quanto pelos respectivos Regimentos Internos. O objetivo é promover debates e discussões sobre as leis em elaboração, acompanhar as ações administrativas e controlar programas criados pelo Poder Executivo.