Importância das frutas

share on:

15/11/2017 – FIQUE POR DENTRO

Aproveite seu próximo passeio na feira para encher o seu carrinho de frutas. Além de saborosas, elas contêm fibras e fitoquímicos que são capazes de reduzir os riscos de diversos tipos de câncer, além de constituírem importantes aliadas na luta contra o envelhecimento.

Porém, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, o hábito de comer frutas ainda é pequeno no Brasil. Os dados indicam que apenas 18,9 por cento da população consomem 5 porções diárias, o equivalente aos 400 gramas recomendados pela Organização Mundial da Saúde.


Entrevista com a nutricionista, Danielle Andrade. Ela fala sobre a importância das frutas. Confira:

 


Imunidade adquirida na dengue ajuda a proteger contra o zika, diz estudo

Estudo publicado na última segunda-feira, apontou que a imunidade adquirida após uma infecção pelo vírus da dengue pode ajudar a proteger contra o vírus da zika.

Em testes em camundongos, o estudo identificou que cobaias imunes à dengue também desenvolveram proteção cruzada contra o zika. Depois, pesquisadores identificaram também que tipos específicos de células de defesa.

O trabalho teve como primeiro influenciador o Instituto de Arboviroses da Universidade de Wenzhou, na China. Os achados são particularmente importantes para a tentativa do desenvolvimento de uma vacina contra o zika e a dengue em todo o mundo.

Uma segunda importância do estudo é que ele indica preliminarmente que a dengue não aumenta a gravidade de infecções por zika, ou uma possível interação entre infecções cruzadas, que é uma hipóteses levantadas durante o início da epidemia por zika no Brasil.


Série: crise política na Catalunha – Quem foi Francisco Franco?

Francisco Franco começou a ganhar reconhecimento na década de 1920, por sua atuação no campo de batalha em campanhas na África. Ele foi promovido a general de brigada em 1926. Com a proclamação da República em 1931, perdeu cargos de responsabilidade. Voltaria a ganhar cargos de hierarquia militar em 1933, com a ascensão de um governo de direita.

Com a conquista eleitoral da Frente popular em 1936, em novas eleições, Franco perdeu a influência militar. Não aceitando essa realidade e com apoio de vários grupos dentro da Espanha, liderou o golpe político.

Depois do golpe de Franco, grande parte das cidades e regiões industriais permaneceu ligada ao Governo Republicano, que havia vencido as eleições em 1936. Assim, a Espanha encontrava-se dividida. Dessa forma, inicia-se a Guerra Civil Espanhola, que foi até 1939.

O governo de Francisco Largo Caballero, do Partido Socialista Operário Espanhol, passou a sofrer ataques constantes do movimento liderado pelo general Francisco Franco, que venceu a Guerra Civil.

Foi então, que se instaurou a ditadura por toda a Espanha, incluindo as regiões autônomas, vivendo sob a repressão por décadas. Madri, a capital da Espanha, concentrou todos os poderes políticos. Uma das consequências dessa ditadura foi a proibição oficial do uso do idioma catalão.

Caminho Eterno

“Vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno” (Salmos 139.24b)

A vida é cheia de caminhos. Todos os dias precisamos fazer escolhas.

O maravilhoso salmo 139 foi escrito pelo Rei Davi, e fala que Deus nos conhece, conhece o nosso coração, os nossos movimentos, as palavras que nós ainda não pronunciamos.

Deus conhece nossos pensamentos antes de nós. Este salmo descreve um Deus que está presente, em todos os lugares, que tem o nosso destino em suas mãos e que tem pensamentos preciosos sobre as nossas vidas.

O Deus criador, cujo Espírito esteve presente na hora da criação, não poderia estar ausente em nenhuma parte do universo. Ele é onisciente, onipresente e onipotente.

Deus esquadrinha nosso tempo de vida na terra, antes da nossa existência, quando determinou os nossos dias.

O salmo é uma fonte inesgotável de aprendizado e satisfação ao andarmos em seus retos caminhos. É também exortação para não escolhermos caminhos de pecados achando que nunca seremos vistos ou descobertos.

Davi se expõe como um homem que conhece a grandeza de Deus e sua limitação. Ele declara que suas origens fazem parte da providência divina e para isso pede a Deus que o leve pelos retos caminhos. Ele agradece a Deus pela forma que foi formado e usa as seguintes palavras: “Visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem…” v.14

Aqui temos um ponto interessante e confortável. Sabermos nossa origem e depositarmos toda a nossa confiança com palavras como estas: “e a minha alma o sabe muito bem;…”.

Usando o exemplo de Davi, surge uma pergunta: Há no seu coração o mesmo sentimento do salmista, e um grande desejo de andar nos retos caminhos do Senhor?

Se a resposta é não, reconsidere sua história de vida e aceite este Deus criador e maravilhoso. Se a resposta é sim, louvado seja Deus! O próximo passo é pedir a ele uma sondagem completa, profunda e verdadeira em sua vida. É maravilhoso saber que os retos caminhos são caminhos eternos.

Pr. Paulo Cirelli