Idosos

share on:

01/10/2018 – FIQUE POR DENTRO

A população do Brasil vai continuar em crescimento até atingir 233 milhões e duzentas mil pessoas em 2047. A partir deste ano, entrará em declínio gradual chegando a 228 milhões e 300 mil em 2060. Os dados são do IBGE. Conforme estudo, em 2060, um quarto da população (25,5%) terá mais de 65 anos. No total, para cada 100 pessoas com idade de trabalhar, o país teria 67 indivíduos acima desta faixa ou abaixo de 15 anos. No nível do Brasil, o índice em 2018, indica que o país tem 43 crianças de até 14 anos para cada 100 idosos com 65 anos ou mais.

O levantamento mostra que, em 2029, o Rio Grande do Sul deverá ser o primeiro a ter uma proporção maior de idosos do que de crianças de até 14 anos. Mas em 2033, o Rio de Janeiro e Minas Gerais deverão ter relação semelhante. Com comportamento diferente, o Amazonas e a Roraima vão continuar com mais crianças do que idosos até o limite da projeção em 2060.

O rápido processo de envelhecimento populacional representa um dos principais desafios para o sistema de saúde brasileiro. Em 2030, o país terá mais idosos do que crianças pela primeira vez na história. Essa transição demográfica, que na Europa levou 180 anos, deve acontecer em metade desse tempo no Brasil. Isso implicará em mudanças profundas nas políticas públicas de saúde, assistência social e Previdência.

Uma pesquisa do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar aponta que o envelhecimento elevará o total de internações de beneficiários em mais de 30% até 2030. Na faixa etária de 59 anos ou mais, o total de internações vai mais que dobrar no período. Hoje, 12,5% dos cerca de 50 milhões de usuários de planos de saúde têm 60 anos ou mais. Quase 90% têm algum tipo de doença crônica, como diabetes, artroses e câncer.

Fontes: exame.abril.com.br e folha.uol.com.br


Entrevista com o arquiteto Renato Andrade, do escritório Andrade & Mello Arquitetura. Ele fala sobre como construir casas acessíveis para a terceira idade. Confira:

 


Enem 2018 terá cinco vezes mais detectores de pontos eletrônicos

O Ministério da Educação autorizou a distribuição dos 11 milhões de cadernos de provas do Exame Nacional do Ensino Médio pelos Correios. Há 5 milhões e quinhentas mil inscrições confirmadas. Os 70 mil malotes das provas saíram na última quinta-feira (27/09) por meio de um caminhão lacrado e carros do Exército do Quarto Batalhão de Osasco, na Grande São Paulo.

De acordo com o Inep, todos os malotes são fechados por um lacre eletrônico e a segurança foi ampliada em cinco vezes esse ano. As provas já serão encaminhadas aos municípios por via terrestre e aérea. Elas ficam armazenadas nas instalações dos Correios de várias parte do Brasil e depois seguem para os pontos de aplicação.

Este ano, uma das novidades é o processo para solicitação de reaplicação do Enem, que agora poderá ser feito por meio da página do participante. Até 2017, o pedido era realizado por telefone. Em caso excepcional devidamente comprovado, o participante que teve prejuízo no momento da prova, terá cinco dias a partir de 11 de novembro, para solicitar a reaplicação, que ocorrerá nos dias 18 e 19 de dezembro. Somente a última nota é considerada, e não a melhor.

O Enem 2018 vai ocorrer em dois domingos, nos dias 4 e 11 de novembro. O horário de verão começa à zero hora do dia 4. Por isso, o MEC solicitou ao governo federal o adiamento do início do horário de verão para depois da aplicação dos dois dias de prova, mas ainda não houve resposta.

Fonte: G1


Deixando o velho homem

O velho homem está morto? O velho homem é a antiga natureza do cristão, o que nós éramos antes de conhecer a Cristo: pecadores.

O Senhor Jesus é o nosso eterno modelo, o Mestre para as lições da vida, onde não há variação ou mudança, e onde tudo se encerra.

Se definitivamente não nos desligarmos do velho homem, da nossa antiga natureza – maneira como víamos e julgávamos todas as coisas –, será tudo em vão!

Somos exortados a tomar tal decisão dia a dia, bem como moldar e conformar nossa vida exterior ao exemplo de Cristo, mas isso pode se transformar numa bela “casca”.

Se Cristo, pessoalmente, não estiver reinando sozinho no nosso interior, haverá pouco dele em nosso exterior.

Se todos nós abrirmos mão do velho homem pela evidência de Cristo em nós, o mundo saberá o quanto ele é maravilhoso. Não basta crer, acreditando que apenas esse é o nosso papel; temos que procurar agradar ao nosso Pai, mostrando-nos diariamente mais e mais comprometidos, chegando mais perto da semelhança a Jesus .

“(…) vos despojeis, quanto ao procedimento anterior, o velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano, e vos renoveis no espírito da vossa mente, e vos revistais do novo homem, que segundo Deus foi criado em verdadeira justiça e santidade.” Efésios 4.22