Hidratantes

share on:

17/05/2017 – FIQUE POR DENTRO

Hidratar a pele pode parecer apenas uma preocupação estética a princípio, mas na verdade, a hidratação é importante também para a saúde. Se bem hidratada, a pele exerce sua função de proteção e evita a entrada de micro-organismos que podem causar infecções.

Normalmente em torno dos trinta anos a pele começa a mostrar os sinais do tempo, porque já houve um decréscimo nas proteínas que formam as fibras de colágeno e elastina, na estrutura e suporte da pele, a derme. A pele não consegue mais reter a umidade eficientemente e começa a perder elasticidade. Por isso, é muito importante o uso de agentes hidratantes para compensar a perda da hidratação natural da pele.

Entrevista com o enfermeiro estomaterapeuta, Antônio Rangel. Ele fala sobre feridas na pele, confira:

 

Série Lei da Migração – vistos humanitários, combate à discriminação e o fim da criminalização

Além de mudanças com relação o mercado de trabalho nacional outras mudanças foram introduzidas pela Nova Lei de Migração. A desburocratização do processo de regularização migratória e a institucionalização da política de vistos humanitários também sofreram mudanças.

Atualmente, os vistos humanitários são provisórios e aplicados apenas a sírios e haitianos. A medida permite que pessoas em situação de risco possam chegar ao Brasil de maneira segura. E, quando chegarem, solicitarem refúgio ou outra forma de proteção humanitária internacional.

A nova Lei institui o repúdio à xenofobia e ao racismo e qualquer outra forma de discriminação como princípios da política migratória do país. O texto também garante aos migrantes o direito de participar de protestos e sindicatos. O documento também amplia o acesso à Justiça e o direito de defesa dos migrantes.

O preceito também acaba com a criminalização por razões migratórias. Dessa maneira, nenhum migrante pode ser preso por estar em situação irregular. O texto prevê anistia aos migrantes que já se encontram em território nacional.

 

Anvisa aprova medicamento contra insuficiência cardíaca

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa aprovou o registro de um novo medicamento contra insuficiência cardíaca. Ele é indicado para pacientes adultos cujos sintomas são desencadeados por atividades cotidianas, mas que ocorrem também quando estão em repouso.

De acordo com um estudo clínico realizado com mais de 8 mil pacientes, o medicamento reduziu em 20% as mortes cardiovasculares de pacientes, em 21% as internações e em 16% o risco de morte. Os resultados também evidenciaram melhora na qualidade de vida tanto de pacientes que apresentam poucos ou muitos sintomas, como daqueles que sofreram hospitalizações recentes.

Além do Brasil, o medicamento já é endossado por diretrizes internacionais europeias e americanas. O novo medicamento será fabricado pela empresa Novartis Pharma Stein localizada na Suíça. O valor da medicação ainda não foi divulgado.

Vítima, jamais!

Nenhum de nós gosta de se ver como vítima. O termo “vítima” traz a imagem de uma pessoa totalmente nula e impotente. A realidade, porém, é que se formos sinceros e honestos conosco, vamos ter que admitir que são frequentes as vezes em que nos colocamos como vítimas emocionais.

Assumimos o papel de vítimas quando damos a alguém a autoridade de definir nosso valor como indivíduos.Passamos a agir como vítimas quando em qualquer tempo permitimos que aprovação, objetos, coisas ou uma determinada atividade passem a ser responsáveis por nosso bem-estar.A partir daí passamos a ser controlados pelas decisões que elas venham a tomar a nosso respeito.

Quando deliberadamente decidimos definir a nós mesmos internamente, mediante nossa conexão com Deus – com base na sua graça e no seu amor – começamos a exercer controle sobre nossas próprias atitudes, trazendo-nos um saudável sentimento de responsabilidade pessoal. Não somos mais vítimas… Deus é bom, amoroso, santo, misericordioso e sempre justo.

Quando os atributos inerentes a Deus são introduzidos na minha circunstância, então, com uma alegria liberta eu posso exclamar: Vítima, jamais!

“Vós na verdade intentastes o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como vedes agora, que se conserve muita gente em vida” (Gênesis 50.20).