Herança

share on:

23/01/2016

Você já pensou em pesquisar a sua árvore genealógica para saber se é beneficiário de alguma herança? Pois isso agora ficou mais fácil através do trabalho desenvolvido pela Associação Nacional de Caçadores de Herança e outros.

Com sede em São Paulo a entidade tem a missão de levantar e orientar as pessoas que podem ser possíveis beneficiárias de heranças existentes no Brasil. O objetivo da entidade de acordo com o Diretor Flávio Lopes, é reunir um grupo seleto de pessoas e famílias que ainda sonham em “receber” dividendos de várias heranças construídas por seus ancestrais no Brasil, ou comprovar o grau de parentesco com personalidades da história brasileira, através de pesquisas e comprovações.

Existem alguns casos judiciais abertos em que a genealogia tem importante papel na sociedade. Um deles é o caso da história das sucessões do Comendador Domingos Corrêa. Sua imensa fortuna, constante de larguíssimas extensões de terra no Rio Grande do Sul e no Uruguai, é disputada até hoje por milhares de pessoas, passados mais de 100 anos de sua morte.

Com advogado, Leonardo Theon de Moraes. Ele fala sobre planejamento sucessório patrimonial e societário

A obra de suas mãos

Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos (Salmos 19:1).

Dois amigos, um cristão e um ateu, subiam juntos uma montanha. Encontraram uma grande pedra e resolveram sentar-se um pouco para descansar. Enquanto estavam ali, conversaram sobre várias coisas: trabalho, família e até sobre a beleza existente na natureza. De repente, a conversa tomou o rumo da religião. “Eu não acredito em Deus porque não existe nenhuma prova de sua existência”, disse o ateu. O cristão não respondeu imediatamente. Por uns instantes ele virou sua cabeça para o alto, contemplando o céu azul sobre eles. “É verdade”, disse o cristão, “não podemos ver, ouvir ou tocar em Deus, mas podemos saber que Ele existe vendo os resultados de Suas obras”. “Pense sobre todas as magníficas coisas que vimos hoje” continuou o cristão, “montanhas majestosas, centenas de variedades de árvores, flores, insetos, pássaros… e até você e eu! Tudo é muito belo e perfeito”. O Ateu respondeu: “Sim, a natureza é definitivamente incrível, mas, eu acredito que tudo é obra do acaso”.

Novamente, o Cristão perscrutou as densas nuvens acima dele e, então, perguntou: “Nós não podemos ver o ar, não é? Nós sabemos que ele existe porque nós vemos os feitos do ar. Nós vemos o balanço das árvores e o farfalhar das folhas, mas, não vemos realmente o ar nem o vento. As provas da existência de Deus estão por toda a parte. A nós só cabe olhar e comprovar”. E, assim, sem dizer mais nada, o Ateu e o Cristão continuaram sua longa caminhada para o alto da montanha…

No Salmo 19, Deus se revela para ajudar-nos a crer nele. Deus se revela na criação do universo e, a evidência da sua existência é visível a todos. Deus se revela na sua palavra, que guia o homem. Mas, Deus também, se revela ao individuo através das experiências que lhe permite passar.

Através da natureza percebemos a glória de Deus. O universo físico declara a glória de Deus, e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Este é um paralelismo hebraico clássico. A ordem, o esplendor, a complexidade e a exatidão são demonstrações da majestade, do poder e da sabedoria de Deus. Essa revelação se dá continuamente: dia após dia, noite após noite. Essa revelação é singular, pois não há palavras nem som, mas é uma revelação universal.

Como é bom contemplar as maravilhas criadas por Deus. Como é maravilhoso sentir a Sua Presença e descansar sob Seus cuidados. Alguns não creem ou preferem crer que não creem. Ignoram a Deus, mas o buscam nas horas de aflições. Gastam seu precioso tempo tentando provar que não existem provas, mas, em seu interior, sabem que estão perdendo tempo porque as provas são irrefutáveis.

Deus existe… e nós somos muito felizes por isso. Ele nos ama, nos protege, caminha ao nosso lado. A natureza mostra a Sua glória. Como somos abençoados! Deus existe… ele nos chama, ele nos ama e ele nos guarda!

Pr. Itamir Neves

 Apenas 7,7 por cento dos candidatos do Enem tiveram nota mínima para pegar diploma

A edição de 2016 do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, vai servir como diploma do ensino médio para apenas 83.434 brasileiros. Segundo o Ministério da Educação, esse número representa 7,7 por cento dos participantes que fizeram o Enem com essa finalidade. Ao todo 1.076.096 candidatos, tentaram obter o diploma do ensino médio, através do ENEM.

Para conseguir o certificado, é preciso ter pelo menos 18 anos na data do exame, obter pelo menos 450 pontos nas quatro provas objetivas e 500 pontos na redação. A nota máxima em ambas avaliações, é de 1000 pontos.

Mendonça Filho, ministro da educação, confirmou que Enem o não vai mais servir para obtenção do certificado de conclusão do ensino médio.