Hábitos

share on:

17/07/2018

Muita gente sabe que, se adotar novos hábitos, pode levar uma vida mais saudável e, assim, viver mais. Mas existem certas mudanças que podem aumentar em até 12 ou 14 anos a expectativa de vida de homens e mulheres, respectivamente. Pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, analisaram prontuários de 123 mil voluntários norte-americanos e chegaram à conclusão de que é possível ganhar mais de uma década de vida.

Com essa pesquisa, os acadêmicos mediram o impacto que determinados comportamentos podem ter sobre a expectativa de vida ou contribuir para o risco de morte prematura. Os resultados são surpreendentes. Os especialistas confirmaram que certos hábitos têm um “impacto enorme” na longevidade. Ainda que o levantamento esteja limitado aos Estados Unidos, os resultados se aplicam a grande parte da população ocidental.

Os cinco hábitos identificados para a longevidade são: não fumar; manter um peso saudável, com um Índice de Massa Corporal entre 18,5 e 25; fazer exercícios moderados por pelo menos 30 minutos ao dia, moderação no consumo de bebidas alcoólicas e alimentação variada e balanceada, com pouca gordura saturada, carne vermelha e açúcar.

De acordo com os pesquisadores, os adultos podem ficar presos num círculo de maus hábitos e achar que é tarde demais para mudar. Mas o que esse estudo sugere é que, se as pessoas quiserem fazer mudanças, os benefícios podem ser “notáveis” em qualquer idade. Os cientistas, no entanto, não dizem por quanto tempo é necessário adotar esse estilo de vida mais saudável para que tenha impacto real e aumente a expectativa de vida.

Fonte: bbc.com

 

Entrevista com João Rilton. Ele é coordenador da pós-graduação em Neurociência e professor de Programação Neurolinguística do Instituto Brasileiro de Formação de Educadores. Confira:

 

IGTV: o que é e como usar o novo formato de vídeos verticais do Instagram

Já reparou que o Instagram agora possui canais e aceita vídeos bem maiores? Eles ficam numa área separada, chamada IGTV, que você pode acessar clicando no botão laranja no canto superior direito do seu app. É uma mudança gigantesca para a rede social que começou permitindo vídeos de, no máximo, 15 segundos. A grande revolução, no entanto, está no formato. Para quem está acostumado com os Stories, não parece ser grande coisa. Mas, ao adotar o vídeo longo na vertical, o Instagram aposta que este será o novo jeito de filmarmos. A intenção é fazer você trocar a TV (e o YouTube) pela rede social.

Com a ascensão de aplicativos como Snapchat e Instagram, milhões de fotos e vídeos passaram a ser gravados na vertical. Daí a necessidade de a plataforma abraçar com mais seriedade o formato. O Instagram já alcançou 1 bilhão de usuários, então está em posição de ditar novos hábitos. Para começar a se familiarizar, clique no botão que tem um ícone de televisão com raio. Ele aparece ao lado do ícone de mensagens inbox do Instagram.

O IGTV possui quatro abas principais: “Para você”, com sugestões que levam em conta o que você curte e contas que segue; “Seguindo”, com o conteúdo dos canais que a pessoa segue; “Populares”, que traz conteúdo em alta entre os usuários; e “Continuar assistindo”, que apresenta o histórico de visualizações. Os vídeos aparecem separados em cards. E, na base do vídeo, sempre tem uma lupa para pesquisa, que permite a busca por palavras-chave.

Para começar a postar, clique na sua foto de perfil e depois no botão +. Todos os seus vídeos salvos no celular que tenham mais de 15 segundos e menos de 10 minutos vão aparecer. Escolha um e divirta-se. Lembrando que o usuário não pode publicar conteúdo violento, de nudez, discriminatório ou de ódio. Cada usuário vai ter seu próprio canal, algo similar ao YouTube, onde os vídeos ficam armazenados. Até o momento, o Instagram só permite postagens pelo celular, mas isso deve mudar. Essa é uma das grandes diferenças do IGTV, onde será possível subir um vídeo por meio do desktop e clipes vão ganhar um link único.

Fonte: UOL

 

Mudança Para Melhor

“Corramos com perseverança a carreira que nos está proposta” Hb 12.1.

Realmente não gostamos de mudanças, principalmente aquelas que causam atropelos em nossas vidas. Nos sentimos bem quando frequentamos os mesmos lugares, sentamos na mesma cadeira, vemos os mesmos programas. A rotina oferece a segurança, e não há nada de errado em sermos rotineiros.

O problema começa quando fazemos da rotina um lugar de escape e assim evitamos enfrentar “as novidades” que surgem à nossa frente.
A nossa rotina vira tradição e a nossa tradição se torna sagrada. Em se tratando de igreja, muitas vezes as nossas tradições são mais sagradas e importantes do que os ensinos bíblicos.

Chega-se a um momento que vamos ter que refletir as nossas tradições e costumes à luz da Bíblia. Na igreja, temos grupos de todas as faixas etárias: pessoas que estão iniciando na fé cristã e outras que já “nasceram” na igreja. Uns gostam de uma coisa, outras gostam de outras Uns não gostam de nada, e outros de criticar sem apresentar sugestões de melhorias.

Nós não podemos seguir os modismos de vários grupos religiosos, mas temos que analisar os novos ventos que sopram na igreja para que não fiquemos à margem do caminho. Toda e qualquer mudança deve refletir o nosso contexto, respeitar a nossa história e levar a repensar a nossa ação missionária no mundo.

Toda e qualquer mudança deve ter como base a busca da honra e glória de Deus; deve levar o ser humano a ter um compromisso mais profundo com o Senhor Jesus Cristo e proporcionar um melhor relacionamento entre as pessoas que se amam.

Acima de tudo, o que se requer de cada um de nós é o respeito a Deus e à sua Palavra antes de qualquer outra coisa. Quando isso está presente em nossos corações, se estenderá também ao nosso relacionamento com as pessoas que pensam diferente do que pensamos.