Funcionamento do intestino

share on:

16/05/2017 – FIQUE POR DENTRO

Muita gente se queixa de desconfortos no intestino. Cólicas intermitentes, gases, crises de prisão de ventre, diarreia, sensação de que não é possível esvaziar o intestino completamente com a evacuação. Esses sintomas de problema no intestino são comuns a muitas doenças que podem ocorrer na região.

Especialistas acreditam que as doenças inflamatórias intestinais surgem da interação de 4 fatores fundamentais: ambiental (que é o tabagismo, dieta, hábitos higiênicos), genético, microbiano (como resposta anormal do sistema imunológico contra a microbiota intestinal) e imunológico (principal responsável pelo desenvolvimento de inflamação).

Os sintomas de cada uma das doenças no intestino podem variar dependendo de qual segmento do tubo intestinal foi comprometido e da gravidade da inflamação.

Entrevista com o gastroenterologista, Décio Chinzon. Ele fala sobre intestino preso. Confira:


Países se reúnem em Manaus para discutir proteção de botos

Considerado um dos símbolos da Amazônia, os botos, tanto o rosa quanto o tucuxi, ainda são considerados um mistério pelos pesquisadores que estudam o bioma. Apesar de serem vistos com alguma frequência e serem fonte de diversos mitos dos povos tradicionais, ainda existe pouca informação científica disponível e confiável sobre esses animais.

Na lista vermelha de espécies ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza, um banco de dados que mostra o status de conservação de diversas espécies animais do mundo, o boto é classificado como “dados insuficientes”.

Para tentar resolver este problema e também garantir a conservação desta espécie, um grupo de 10 pesquisadores, de 5 países amazônicos, entre eles o Peru, Bolívia, Colômbia, Equador e o Brasil, se reúnem em Manaus, para pensar em maneiras inovadoras de gerar conhecimento científico sobre a espécie.

O objetivo do encontro é obter mais informações sobre os botos, além de identificar as possíveis ameaças aos habitats e à sobrevivência da espécie.

Casa Porto das Artes Plásticas

A Casa Porto das Artes Plásticas está instalada em um prédio histórico de 1903, é um local para exposições de artistas locais e nacionais. Além de incentivar o trabalho dos artistas, a Casa Porto estimula a apreciação das obras pelo público e contribui para a maior compreensão acerca da arte visual.

O espaço abre também uma oportunidade para que os visitantes conheçam um pouco mais sobre a história de Vitória, do Espírito Santo e do Brasil. A primeira exposição de artes plásticas foi realizada no local em 1999, ano em que o prédio passou a funcionar como espaço cultural, e homenageou os 448 anos de Vitória.

O museu é responsável pela conservação das obras de arte que fazem parte do acervo da Prefeitura de Vitória, hoje com mais de 200 títulos. O acervo é diversificado e inclui trabalhos de importantes artistas do modernismo brasileiro, como Tarsila do Amaral, Cícero Dias e Alfredo Volpi, doados pelo Banco Central do Brasil à Secretaria de Cultura.

A Casa Porto das Artes Plásticas fica na Praça Américo Poli Monjardim, 66 no Centro em Vitória, Espírito Santo. Mais informações: (27) 31-32-52-95.

Tão-somente creia!

Jesus disse ao dirigente da sinagoga: “Não tenha medo; tão-somente creia” (Marcos 5.36)

Em Marcos 5.21-43, lemos a narrativa de duas ações milagrosas de Jesus: a cura de uma mulher que tinha uma hemorragia há 12 anos e a ressuscitação da filha de Jairo, um chefe de Sinagoga.

Aos olhos do povo, em princípio, Jesus era um simples carpinteiro, vindo de Nazaré, filho de José. No entanto, suas palavras de sabedoria, libertação e esperança, sua misericórdia e suas ações milagrosas fizeram com que sua fama se espalhasse por diversos povoados.

Quando lemos o evangelho de Marcos podemos perceber que, aparentemente, a fama de Jesus tinha chegado mais longe do que ele queria. Agora era o chefe da sinagoga, um importante e influente judeu na comunidade, que numa atitude humilhante para alguém de sua posição, ajoelha-se perante Jesus e implora pela cura da sua filha.

Trata-se do pedido de um pai aflito por causa da filha, cuja saúde se esvaía e a vida já estava por lhe abandonar, humilhando-se diante do carpinteiro de Nazaré, implorando por seu socorro. No entanto, Jairo foi surpreendido por outro pedido de socorro.

Quando estavam a caminho da casa de Jairo, onde estava a menina doente, Jesus permitiu-se atrasar por causa de uma mulher também enferma. Era uma hemorragia que já durava 12 anos. Por causa da cultura dos judeus, aquela mulher teve que esconder essa doença por 12 anos. Jesus se sensibilizou pelo caso dela. Interrompeu a caminhada em direção à doente filha de Jairo, e deu toda a atenção para aquela mulher.

Para Jairo deve ter sido um “balde de água fria”. Foi como se o tempo tivesse congelado. Aos olhos de um pai aflito, com a vida da filha em jogo, o pior estava por vir. E veio. A notícia era que a menina tinha morrido e que já não precisava mais de oração ou cura. Estava tudo acabado?

Nessa hora Jesus Cristo apresenta duas ordens a Jairo: “não temas” e “tão-somente creia”. Essas ordens de Jesus vieram no momento em que o medo de Jairo aumentava e a fé diminua.

Será que o problema tinha sido o tempo? Será que o suposto atraso de Jesus foi o responsável pela morte da menina? Será que Jesus poderia ter seu poder limitado pela nossa contagem de tempo? De antemão, aprendemos que nunca devemos subestimar a Deus.

Jesus tomou a menina pela mão e disse: “Menina, levante- se!” O espírito dela voltou, e ela se levantou imediatamente. Os pais dela ficaram maravilhados, pois tinham esperança numa cura, mas o que viram foi impressionante: sua filha morta voltou à vida.

Você crê que Deus pode fazer muito mais do que você espera? Então, não tema; tão-somente creia.

Gilberto Gaeta