Fones de ouvido

share on:

16/11/2017 – FIQUE POR DENTRO

A cada dia, mais jovens estão apresentando perda de audição causada pelo uso irregular de fones de ouvido. O alerta é feito pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia. “Os adolescentes usam esse equipamento de som com volume muito alto. A gente vem notando que a audição deles não é tão normal como antigamente, já tem mais perda. E se continuar a usar esse som alto, eles terão uma perda irreversível, não volta mais ao normal”, disse a presidente do Conselho, Thelma Costa.

Segundo ela, as perdas auditivas por causa de ruído estão aumentando entre a população, tanto por ruído industrial, quanto por equipamentos de som. Ela cita como exemplo o caso dos músicos; lembrando que existem protetores auditivos que selecionam o som.

Thelma orienta os pais e responsáveis a monitorar o volume dos fones de ouvido.

Entrevista com a otorrinolaringologista, Rita de Cássia Cassou Guimarães. Ela fala sobre zumbido no ouvido. Confira:

 


Por que é tão difícil prever um grande terremoto como o que atingiu o Irã-Iraque?

Todo ano são registrados oficialmente mais de 200 mil terremotos em nosso planeta, apesar de milhões deles ocorrerem.

Muitos passam ao largo dos registros oficiais porque são demasiadamente leves para que possamos senti-los ou porque acontecem em zonas remotas que não são monitoradas pelas autoridades.

Dessa forma, e segundo a ciência é impossível evacuar com antecedência as zonas que serão afetadas por um fenômeno como o que ocorreu no Irã, pois na maioria dos casos os terremotos são previstos minutos antes de ocorrer.

A grande razão é que a maioria dos terremotos ocorre pela liberação repentina de uma grande tensão na crosta terrestre.

Essa tensão vai se acumulando gradualmente devido aos movimentos das placas tectônicas, normalmente ao longo de uma falha geológica. Por isso, é impossível prever quando os terremotos vão ocorrer.

Dessa forma, o que os especialistas podem saber é onde há probabilidade de ocorrer um terremoto de grande intensidade, mas não conseguem prever o dia, hora e local com exatidão.

Preparado para a eternidade?

“…,prepara-te, ó Israel, para encontrares com o teu Deus.” Amós 4.12b

O profeta que faz esta advertência, muito séria, é Amós, o boiadeiro de Tecoa, no ano de 760 a.C. para a nação de Israel, que no momento estava cega espiritualmente. Israel estava sendo advertida com secas, pragas e pestes. Disse o Senhor: “Contudo, não vos convertestes a mim…”. Agora o povo de Israel teria de arcar com as consequências. Iria colher o que plantou.

O versículo base, é assustador em alguns aspectos. Haveria um acerto de contas da população com o “…Senhor, Deus dos exércitos é o seu nome”. (Amós 4.13b). Como explicar e justificar as injustiças e a corrupção que vinham praticando? Como se preparar para estar diante de Deus onde a prática da ganância pelas coisas materiais era constante? A idolatria era declarada, havia opressão dos pobres, perversidades sexuais, violência, destruição…

No entanto, surpreendentemente, no capítulo 5, o Deus da advertência, é misericordioso e dá mais uma oportunidade. Ele diz: “Querem viver? Busquem a mim.” E “…buscai o bem e não o mal, para que vivais…” Amós 5. 4 e 14

Com uma série de acusações, Deus mostra a gravidade que estava sendo praticada e também mostra a solução, que é voltar-se para Ele e obedecê-lo.

Como no tempo de Amós, as pessoas procuram e esperam triunfar na vida, ser bem sucedidas e nunca pensam na eternidade, no dia do Senhor. Dia este em que cada um de nós haverá de encontrar-se com Deus.

Que dia terrível será este para os que praticam o mal! Que dia glorioso será este para os que praticam o bem. Morte e vida são dois extremos. Todos os que nascem um dia morrerão. Agostinho disse: “Nada é tão certo como a morte, e nada é tão incerto como a hora da morte”.

Deus envia o profeta Amós para alertar o povo, para deixar os maus caminhos, como um pai que ama e corrige seus filhos. Assim como o Senhor alertou seu povo no passado, Ele nos alerta hoje. Uma das grandes responsabilidades que está depositada sobre os seres humanos, é o fato de possuirmos uma alma imortal. É desta alma que daremos conta.

Os anos de 760 a.C. e este que estamos vivendo,  não mudam a situação das pessoas perante Deus e muito menos as absolve dos erros que são exatamente iguais.

Talvez você pense: Não tenho nada a ver com isso, não cometo estes tipos de erros, estou “limpo” diante de Deus. Qual é a responsabilidade de cada um de nós, diante de tudo que acontece diariamente em nosso país?

Qual a participação de cada pessoa diante de políticos corruptos, malfeitores, pedófilos, assassinos, sonegadores, opressores, que vemos nos noticiários todos os dias? Temos o caráter de Amós que se arriscou e denunciou? Estamos preocupados e fazendo alguma coisa pelos oprimidos, pelos órfãos, pelas viúvas e pelos excluídos? Estamos dispostos a dizer não a tudo isso e sermos chamados de “conspiradores”, como foi com Amós? Estamos intercedendo pelos pecadores e pedindo a restauração do nosso povo?

Que Deus nos dê sabedoria e intrepidez para fazermos sua exclusiva vontade e nos preparemos para encontrarmos com Ele. Que estejamos preparados para a eternidade!

Pr. Paulo Cirelli