Expectativa de vida

share on:

09/03/2017

Em 2030, a expectativa de vida vai atingir o índice mais alto da história, quebrando a barreira dos 90 anos. É o que diz uma pesquisa realizada pelo Imperial College London, em parceria com a Organização Mundial da Saúde, em 35 países emergentes e desenvolvidos, o Brasil não está nessa lista.

O resultado mostrou que os sul-coreanos estão no topo do ranking da longevidade. Pesquisadores preveem que uma menina nascida na Coreia do Sul em 2030 pode viver 90,8 anos. Já um menino chegaria a 84,1 anos.

Entre os países desenvolvidos, os Estados Unidos vão atingir um dos menores índices de expectativa nos próximos 13 anos, com homens e mulheres chegando na casa dos 79,5 e 83,3 anos, respectivamente, números bem semelhantes ao de países de renda média, como a Croácia e o México. Entre os fatores que pesaram nas estatísticas americanas estão às altas taxas de homicídios, de obesidade e de mortalidade materna e infantil.

Para os pesquisadores, os resultados representam grandes desafios para a política mundial. Os governos já devem começar a pensar em como fortalecer os sistemas de saúde e de assistência social para acompanhar as múltiplas necessidades que acompanham o envelhecimento.

 


Com o pesquisador do IBGE, Fernando Albuquerque. Ele fala sobre expectativa de vida.

 

 

NASA quer lançar campo magnético para tornar Marte habitável

A descoberta de que um dia Marte já teve lagos e correntes d’água em sua superfície não é nova. No entanto, segundo os cientistas, tempestades solares acabaram com a atmosfera do planeta, fazendo com que ele passasse de um ambiente quente e úmido para frio e inóspito.

Agora, o plano da NASA, anunciado semana passada, é recriar as condições habitáveis de Marte. Para isso, os cientistas pretendem lançar um campo magnético ao redor do planeta que pode, lentamente, recuperar sua atmosfera. Se bem sucedida, a tentativa pode levar à futura instalação humana no planeta vermelho. O planeta poderia tornar-se habitável nos próximos 100 anos.

Embora o projeto pareça ambicioso e pesquisadores não tenham dado detalhes de como o campo magnético seria lançado e formado, os cientistas afirmam que já existem pesquisas envolvendo “escudos magnéticos” em miniatura para proteger astronautas e espaçonaves da radiação cósmica, e eles acreditam que uma tecnologia semelhante em larga escala poderia ser utilizada para criar o campo magnético em Marte.

 

A Dádiva da Exuberância

Estudos da Universidade do Texas sugerem que pessoas “com atitudes positivas” envelhecem mais devagar do que as pessimistas. Uma equipe de pesquisadores que estudou 1.558 pessoas idosas relatou que as mais alegres eram as menos frágeis. Os estudos consideravam que emoções positivas podem afetar diretamente a saúde, alterando o equilíbrio físico do corpo.

Você já ouviu falar em “dádiva da exuberância”? Uma médica americana escreveu um livro sobre isso. É como uma força propulsora da descoberta, criatividade, liderança e da própria sobrevivência. A exuberância nos leva a pensar e agir de forma ligeiramente diferente da usual, nos leva a correr riscos, tolerar sofrimentos e reveses que seríamos incapazes de enfrentar. Nos dá otimismo para crer no futuro e nas possibilidades daquilo que somos e do que fazemos.

Não é difícil reconhecer exuberância nas pessoas que a possuem. O rei Salomão, que reinou sobre Israel na Antiguidade, concordaria totalmente com as conclusões desta escritora sobre o valor e a importância da exuberância em cada uma das facetas do viver cotidiano. Seus escritos no livro de Provérbios fornecem fortes indícios disto. Vejamos alguns exemplos:

“Um coração alegre produz um sorriso em sua face; um coração triste torna difícil atravessar o dia” (15.13).

“Um coração infeliz significa uma vida infeliz; um coração alegre enche o dia de canções” (15.15).

“Uma disposição alegre é boa para sua saúde; condenação e melancolia deixam seus ossos ressequidos” (17.22).

Lembre-se: o ferreiro nada pode fazer quando seu fogo se apaga. De igual modo, quando nossas chamas internas se apagam, nossa disposição e entusiasmo pela vida, pelo trabalho, relacionamentos, até mesmo pelas atividades rotineiras do dia a dia, começam a murchar. Precisamos “reavivar nossa chama”.