Doenças da idade

share on:

30/03/2017

A expectativa de vida do brasileiro está em torno dos 65 anos. Quase 4 anos a mais que na última década. A idade avançada, entretanto, trouxe a carga das doenças crônicas. Diabetes, hipertensão ou câncer deixaram de ser sentenças de morte e são contidas com medicamentos e tratamentos.

Com métodos de prevenção de fatores de risco e o desenvolvimento de medicamentos e tratamentos nos últimos 50 anos, é possível controlar e combater as doenças relacionadas ao envelhecimento.

No entanto, algumas delas são profundamente incapacitantes, como o Alzheimer ou o câncer. O limite entre os males que a medicina é capaz de superar e aqueles que ainda são um desafio está, além do investimento em estudos, prevenção e mudança de hábitos, na qualidade de vida que as terapias de combate proporcionam.

 


Com o reumatologista, Marcelo de Medeiros Pinheiros. Ele fala sobre o Dia Mundial da Osteoporose

 

 

Astronautas terminam com sucesso caminhada espacial

Dois astronautas, o francês Thomas Pesquet  e o americano Shane Kimbrough, terminaram com sucesso, sexta-feira passada, uma caminhada espacial para fazer melhorias e a manutenção da Estação Espacial Internacional.

Vestindo volumosos trajes brancos e capacetes, eles retornaram à estação orbital após finalizar seu trabalho, conforme o previsto. Permaneceram no exterior da Estação por 6 horas e 34 minutos.

A saída faz parte de uma série de caminhadas destinadas a instalar um segundo ponto de acoplamento que será utilizado pelas futuras naves espaciais tripuladas. Elas serão fornecidas pelas empresas americanas Space X e Boeing, e que devem começar a levar astronautas para a Estação em 2018.

 

Memória e renovação da vida

Além de um gostoso feriado em meio aos turbulentos dias de trabalho e afazeres mil, a Páscoa tem um significa histórico belíssimo e que precisa ser lembrado.

A Bíblia conta que os hebreus se tornaram escravos do Faraó, no Egito. O livro do Êxodo narra que Deus decidiu livrar o povo da escravidão e levá-los para a terra prometida aos antepassados deles, Abraão, Isaque e Jacó. Através de Moisés, Deus agiu em favor do seu povo escravizado. Ele disse ao Faraó que, caso ele não deixasse o povo sair do Egito, Deus enviaria o anjo da morte e todos os primogênitos das famílias do Egito seriam mortos.

Para que os hebreus não perdessem seus primogênitos, Deus mandou que, na noite da passagem do anjo da morte, eles seguissem rigorosamente suas instruções. As famílias dos escravos hebreus deveriam fazer uma refeição. Tratava-se de um cordeiro que deveria ser sacrificado, assado e comido, acompanhado de pão e ervas. O sangue o animal deveria ser usado para marcar as portas das famílias dos escravos hebreus, de modo que com esse sinal, o anjo da morte pouparia aquela família.

Até hoje os judeus comemoram a Páscoa, como lembrança da libertação de seus antepassados. A Páscoa judaica faz referências históricas ao Êxodo do Egito, de modo que a festa é celebrada com cordeiro assado, pão sem fermento, que simboliza a ausência de impureza; ervas amargas, que simboliza o sofrimento do povo escravizado; e ovo cozido, que simboliza a renovação da vida.

A Páscoa cristã usa como base a Páscoa judaica, no entanto, com algumas modificações. Nos evangelhos lemos que Jesus, ao celebrar a Páscoa com seus discípulos e discípulas, resumiu os elementos da celebração em pão e vinho. O pão simboliza seu próprio corpo, que seria oferecido como sacrifício pelo pecado; e o vinho que simboliza o seu sangue, derramado em favor de todos.

Para que o costume de dar ovos de chocolate não seja sem sentido, lembre-se dessas duas tradições da celebração da Páscoa. Que ao presentear alguém com um ovo de chocolate seu desejo e oração sejam que essa pessoa tenha sua vida renovada e seus valores transformados pela mensagem que essa festa transmite.

Texto de Israel Mazzacorati