Dia Internacional da Síndrome de Down

share on:

21/0/2017

 O dia 21 de março marca, anualmente, o Dia Internacional da Síndrome de Down. Esta data tem como objetivo mostrar a importância da luta das pessoas com Síndrome de Down e dos seus respectivos pais, amigos e parentes, para que tenham direitos iguais.

A Síndrome de Down não é uma doença. É uma ocorrência genética natural que acontece por motivos desconhecidos, na gestação, durante a divisão das células do embrião. É uma alteração cromossômica, quando crianças nascem dotadas de 3 cromossomos 21, e não dois, como o habitual.

Esta alteração genética afeta o desenvolvimento do indivíduo, determinando algumas características físicas e cognitivas peculiares. No Brasil estima-se que 300 mil pessoas tem a Síndrome de Down.

 

Entrevista com a coordenadora do Movimento Down, Maria Antônia Goulart. Ela fala sobre a Síndrome de Down

 

Aplicativo avisa turista sobre possível perigo no lugar que visita

Um grupo de portugueses lançou no mercado o aplicativo “Securis”, que tem como objetivo proteger ou alertar um turista quando estiver em perigo em qualquer parte do planeta. A ideia foi pensada como um guia virtual que qualquer usuário de smartphone pode baixar. Com esse programa, se o turista estiver em uma área não muito aconselhável por falta de segurança, o telefone vibrará para alertar que ele está entrando em uma região mais perigosa.

O aplicativo usa mapas em tempo real e o GPS para que, assim, possa ser utilizado por qualquer pessoa e em qualquer parte do mundo. Ele também oferece imagens divididas em áreas que, por sua vez, ajudam o usuário a circular pelos lugares mais seguros, já que as áreas do entorno têm notificações de maior ou menor segurança.

O “Securis” permite inclusive que o turista, apenas tocando o botão do “pânico”, acione a polícia e informe que se encontra em uma situação de perigo, já que sempre estará localizado pelas coordenadas GPS.

Dada a versatilidade e utilidade do invento, o Turismo do Centro, órgão do governo português voltado especificamente à promoção desta região, decidiu dar ao aplicativo o prêmio principal que concede todos os anos a iniciativas inovadoras e eficazes do ponto de vista turístico.

 

Tratado de Lisboa

Agora que o Reino Unido decidiu, em referendo, o abandono da União Europeia, a primeira-ministra britânica Theresa May deverá seguir as normas do artigo 50 do Tratado de Lisboa, dando assim seguimento ao processo de abandono da União.

O Artigo 50 é a parte do tratado da União Europeia que aborda o procedimento para que um país deixe o bloco, atualmente formado por 28 países. O mecanismo está abordado no Tratado de Lisboa, feito para alinhar a tomada de decisões dentro do bloco.

O Tratado de Lisboa é um documento com acordo e termos elaborados pelos países-membros da União Europeia que pretende reformar ou alterar determinadas características legislativas do bloco. O tratado foi concluído em 2007, quando foi assinado pela maioria dos países europeus e entrou em vigor a partir de 2009.

 

Divertindo-se Com Nossas Limitações

De todos os medos que nos fazem estremecer, para muitos, o maior de todos é o medo de envelhecer. Há alguns meses atingi a marca de 91 anos! Embora alguns considerem que essa é a idade de um “velho”, eu a encaro como o último estágio da grande aventura que tem sido a minha vida. Pense nisto: O último quarto de uma partida de basquetebol é o mais empolgante; por que isso não seria verdadeiro também para a vida?

Já me disseram que existem três fases na vida: juventude, meia idade e “Puxa! Você parece ótimo!” Muitos, porém, deixam de atingir esta terceira fase, pelo menos de maneira significativa e produtiva. Um de meus amigos por exemplo, viu sua vida chegar ao fim aos 50 anos de idade. Pelos padrões atuais ele era relativamente jovem. Outro amigo deixou de viver produtivamente aos 65 anos, virando as costas para uma vida respeitável e uma reputação construída ao longo de seis décadas. Apesar do seu legado ainda não estar totalmente constituído, ele desistiu! Velho demais, cansado demais, ele disse.

Envelhecimento não precisa ser visto como desvantagem, uma deficiência pessoal. E é claro, envelhecimento é apenas uma das inúmeras circunstâncias que podem ser percebidas como desvantagem ou como oportunidade. Eis alguns exemplos de pessoas que venceram suas limitações para realizar grandes coisas na vida, indivíduos que recusaram as muletas de suas pretensas “desvantagens”:

  • O governante romano Júlio César sofria de epilepsia.
  • O compositor Ludwig Von Beethoven era surdo.
  • O compositor Wolfgang Amadeus Mozart sofria de uma doença devastadora, hoje conhecida como tuberculose.
  • O presidente americano Franklin Delano Roosevelt foi vítima da paralisia infantil.
  • A escritora, ativista política e preletora Helen Keller era cega e surda desde a infância.

Na Bíblia, o apóstolo Paulo resumiu em II Coríntios 12.7-9 sua visão da atitude correta diante das fraquezas e limitações: “Para impedir que eu me exaltasse por causa da grandeza dessas revelações, foi- me dado um espinho na carne, um mensageiro de Satanás, para me atormentar. Três vezes roguei ao Senhor que o tirasse de mim. Mas ele me disse: Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim. “

Seríamos sábios se vivêssemos com essa atitude. Nunca use suas limitações como desculpas para o seu fracasso.

Texto de Robert D. Foster (Adaptado)