Dor de garganta

share on:

06/12/2017 – FIQUE POR DENTRO

A dor de garganta costuma ser o primeiro sinal de que ‘algo’ está chegando, seja uma gripe, uma constipação, uma amigdalite ou até mesmo uma faringite. A dor de garganta pode ser bastante penosa, interferindo com a capacidade de comer, falar e até mesmo respirar.

Consultar um médico e tomar o remédio indicado por ele é uma das formas mais eficazes de parar o que causou tal inflamação. Porém, na cozinha estão os ingredientes mais naturais que prometem atenuar a dor e mantê-la bem longe por algum tempo.

A água de alcaçuz, por exemplo, é um dos melhores ‘remédios caseiros’. Um estudo publicado há dois anos concluiu que esta bebida ajuda a reforçar o sistema imunológico, especialmente quando ingerida ao longo de SEIS dias.

O chá também é bem-vindo na hora de cuidar da garganta. Ele com mel, se torna um anti-inflamatório nato altamente eficaz.

O gengibre é um dos alimentos mais importantes para manter ativo o escudo protetor do organismo. A raiz pode ser consumida como condimento ou como um chá.


Entrevista com o otorrinolaringologista do Hospital CEMA, Cícero Matsuyama. Ele fala sobre a retirada das amígdalas. Confira:

 


Cresce interesse por planos de saúde no Brasil

O brasileiro tem demonstrado cada vez mais interesse em migrar para a saúde privada. A Abramge desenvolveu o Índice de Interesse por Planos de Saúde, cujo principal objetivo é medir a busca por produtos de saúde suplementar em um intervalo de tempo.

Após um ano de crise, que derrubou em 3 milhões os beneficiários nos planos de saúde, o setor já dá sinais de recuperação. Entre janeiro e outubro de 2017, o índice de buscas por palavras chave como “planos de saúde”, “planos individuais” e “planos empresariais” e suas variantes aumentou 6,1 pontos no IPS.


O que é o Conselho Nacional de Justiça

Se você detém ou atua em uma empresa ou organização, deve saber como é essencial uma boa administração para que ela exerça um bom trabalho, não é mesmo?

Assim como todo local de trabalho precisa ser bem administrado para que possa prestar um bom serviço a seus clientes, o mesmo acontece no Judiciário. Para que essa esfera de poder possa cumprir de forma justa e com qualidade a função que lhe é atribuída, é preciso que tenha excelentes mecanismos administrativos e financeiros.

E aí que entra o Conselho Nacional de Justiça, ou o CNJ. No início dos anos 2000, foi aprovada a Emenda Constitucional número 45 de 2004, que instituiu o CNJ como um órgão público sediado em Brasília e ligado ao Poder Judiciário. Implementado em 2005, o Conselho tem como objetivo melhorar a atuação administrativa e financeira do judiciário brasileiro, além de controlar o cumprimento dos deveres por parte dos juízes. Tudo isso buscando melhorar a atuação desse Poder, de modo que ele possa atender melhor ás necessidades dos cidadãos no país.


Sede

Ela foi desprezada, colocada à margem da sociedade. Medo e vergonha dirigiam seu coração.

Ele chegou devagar, sol forte, muito calor. Pediu água. Um pedido simples. Ela não entendeu como ele pôde fazer isso. Ela era mulher e de outro povo. Uma conversa improvável.

Logo o Mestre percebeu que no coração dela havia uma sede maior. Sede existencial, sede de Vida, sede do novo.

Ele se apresenta como a Água da Vida, se dispõe a apresentar valores que nem o sexo, nem a origem ou qualquer diferença poderiam impedir.

Com uma breve conversa Jesus oferece a eternidade através de um copo d’água.

Incrivelmente simples. Assim é o Reino, incrível e simples, possível à todos, pois a Fonte é inesgotável.

O Deus revelado em Jesus quebrou os conceitos que condenam e oprimem e através do encontro dele com uma mulher samaritana que nem sabemos o nome, lembramos que a história de todos os homens e mulheres são especiais pra Deus.

Pr. Villy Fomin – Inspirado em João 4:1-18