Dia da Caatinga

share on:

28/04/2017 – FIQUE POR DENTRO

A Caatinga é um dos biomas mais degradados do país, sendo que cerca de 60% de sua área está susceptível à desertificação. A causa vem de práticas recorrentes como desmatamento, queimadas, monocultura e pecuária praticadas na região e que já resultam em infertilidade do solo e extinção de espécies.

Dados do Ministério do Meio Ambiente comprovam essa realidade. O último levantamento feito pelo órgão federal aponta que, entre 2002 e 2008, foi removida da Caatinga o equivalente a 1,6 milhão campos de futebol.

A Caatinga é o único bioma exclusivamente brasileiro. O que significa que grande parte do seu patrimônio biológico, não pode ser encontrada em nenhum outro lugar do planeta. Este nome decorre da paisagem esbranquiçada apresentada pela vegetação durante o período seco.


Com o biólogo, Mauro Pichorim que fala sobre a caatinga. Confira:

 

Museu Casa de Portinari

Antiga residência de Cândido Portinari, o Museu Casa de Portinari, é uma instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. O local é onde o artista realizou suas experiências com pinturas murais e se aprofundou na técnica ao passar dos anos.

Devido às várias obras em pintura mural nas paredes da casa, e também em uma capela nos jardins da residência, a preservação do conjunto tornou-se imprescindível. Com os esforços da família do artista, do município e do Estado, o museu foi instalado e inaugurado no dia 14 de março de 1970. O complexo é constituído por uma casa principal, e anexos construídos em sucessivas ampliações. A simplicidade típica do interior é a maior característica do museu.

Reserva monitora tartarugas no litoral do Maranhão

A Reserva Extrativista de Cururupu, a Resex deve iniciar, em maio, o monitoramento de tartarugas marinhas na região do litoral maranhense. O trabalho vai se estender até agosto, final do período reprodutivo.

A ação contará com o apoio do Projeto Tamar. A fim de melhorar o trabalho, no mês passado, o Projeto Tamar promoveu a capacitação de uma bióloga para desenvolver os serviços para as espécies.

O treinamento foi ministrado pelo oceanógrafo e analista ambiental do Projeto Tamar em Parnamirim, no Rio Grande do Norte. A ação contou com a parceria de especialistas do Centro de lançamento da Barreira do Inferno e também do Plano de Ação Nacional para Conservação das Tartarugas Marinhas.

É hora de acordar!

E digo isto a vós outros que conheceis o tempo, que já é hora de vos despertardes do sono;  vai alta a noite e vem chegando o dia … andemos dignamente, como em pleno dia … (Romanos 13.11-13).

O que temos feito nesse tempo de nossas vidas? Cumprimos os planos a que nos propusemos no início desse ano ou desse período? Como temos aproveitado o tempo que Deus nos deu até agora? O que realizamos foi o que Deus quis de nós, ou foram apenas a nossa própria vontade?

O salmista orou pedindo a Deus que nos ensinasse a contar os nossos dias para alcancemos sabedoria. O pedido foi feito para que Deus nos desse consciência de quão curta, tão breve, tão rápida é a nossa vida, para que pudéssemos vivê-la com sabedoria.

No texto que lemos fica claro que o apóstolo Paulo nos encoraja a aproveitarmos bem o tempo que Deus nos dá. Ele, então, afirma que: Tendo como alvo a vida de santidade, o cristão deve conscientemente remir o tempo sabendo que ele é breve. E, quando olhamos mais atentamente para este texto percebemos que nele encontram-se três desafios para remirmos o tempo vivendo em santidade.

É necessário vivermos com coerência, pois não somos aqueles que praticam as obras das trevas, pelo contrário, as nossas obras devem ser aquelas que Deus preparou para que andássemos nelas. É necessário vivermos com dignidade, pois a dignidade faz-nos repudiar o viver indigno e a dignidade faz parte da vocação a que fomos chamados. E, também, necessário vivermos revestidos de Cristo, pois, como cristãos não nos é mais possível satisfazer a antiga natureza, pelo contrário, devemos viver como novas criaturas, criadas segundo Deus, em justiça, retidão e verdade.

Será que temos vivido dessa maneira? É hora de acordar, de nos avaliarmos, de verificar o que temos feito e como temos vivido. É hora de recuperar o tempo perdido e com toda força e empenho, dependendo do Senhor vivermos para a sua glória os próximos seis meses que ele nos concederá. Deus nos abençoe nesse propósito.