Dermatite

share on:

10/09/2018 – FIQUE POR DENTRO

A dermatite é uma doença inflamatória da pele. Ela não é transmitida por contato direto ou por objetos de uso pessoal. Pode surgir em qualquer idade e também pode atingir qualquer parte do corpo. A dermatite geralmente é sintomática e causa tanto desconforto estético como funcional ao paciente, com coceira, desconforto, ardência ou outros sintomas no local. Além da dermatite, há outras dermatoses que possuem sintomas e lesões muito parecidas. Cada uma delas requer atenção, para que você tenha sempre o diagnóstico correto.

Cerca de 20% das crianças e 3% dos adultos são afetados pela dermatite atópica, por exemplo. A doença tem origem genética e é considerada crônica. É mais comum na infância e cerca de 60% dos casos ocorrem no primeiro ano de vida. No bebê as lesões predominam na face (bochechas), pescoço, couro cabeludo e, ocasionalmente, no resto do corpo.

Em crianças maiores, adolescentes e adultos a DA atinge as dobras dos braços e pernas, face (pálpebras) e pescoço. A doença assume forma leve em 80% das crianças acometidas e em 70% dos casos há melhora gradual até o fim da infância.

O médico deve ser sempre consultado, tanto para início do tratamento como para o esclarecimento do diagnóstico, pois o não controle da doença ou a contínua exposição ao agente, pode agravar ou generalizar a dermatite.

Além disso, as dermatites são diagnósticos diferenciais de muitas outras dermatoses de pele tanto de origem infectocontagiosa, imunológica ou até mesmo oncológica, devendo o médico ser consultado para fazer esta diferenciação.

Fontes:Associação Brasileira de Alergia e Imunologia e minhavida.com.br

Entrevista com a médica Márcia Carvalho Mallozi. Ela é coordenadora do Departamento Científico de Dermatite Atópica da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia. Confira:

 


O perigo das fake news na preparação para vestibulares e Enem

Escolas e cursinhos preparatórios para vestibulares e Exame Nacional do Ensino Médio têm demonstrado preocupação com a propagação das notícias falsas, também chamadas de fake news. O temor é que os estudantes acessem essas informações falsas e cometam erros durante as provas.

Um estudo conduzido pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, revelou que a chance de uma informação falsa ser repassada é 70% maior que a de notícias verdadeiras. O sensacionalismo e a manifestação de sentimentos como medo, rejeição e surpresa acabam atraindo o público para o conteúdo mentiroso.

No Brasil, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, por exemplo, manifestou preocupação com as notícias falsas que divulgam dados incorretos e pesquisas nunca feitas. A orientação é buscar outras fontes para ver se a notícia é verdadeira ou não. Dados econômicos e sociais coletados pelo IBGE são comuns nas provas de vestibulares e no Enem.
Em Campinas, no interior de São Paulo, o colégio e curso Oficina do Estudante organizou aulas específicas para tratar de fake news. Segundo o professor Antunes Rafael, que é coordenador pedagógico, a iniciativa partiu dos professores de geografia, filosofia e atualidades.

A intenção das aulas é incentivar uma leitura crítica dos meios de comunicação e das redes sociais, evitando que os estudantes se informem por notícias falsas. O professor Antunes Rafael esclarece que é necessário filtrar as informações, independente do veículo que as publicou, antes de compartilhar.

Fonte: UOL


A mancha que não sai

“Fostes resgatados… pelo precioso sangue, como cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo.” (1Pe 1:18-19)

As pessoas gastam muito do seu tempo com limpeza: varrendo a rua, aspirando a casa, lavando roupas, carro, etc. Não há dúvida que uma boa faxina é necessária de tempos em tempos. Ninguém gosta de sujeira.

Mas há uma mancha que ninguém consegue remover, não importa quanto esforço despenda: a mancha do pecado! Muitos tentam encobri-la com um manto de civilização ou com uma capa de boas obras, mas tudo é em vão. O pecado permanece no coração humano, e Deus o vê com todo o seu horror. Ninguém pode escapar dele. Deus diz isso com muita ênfase em nossa leitura de hoje.

Só Deus mesmo pode remover o pecado, e Ele o faz a todos que clamarem a Ele: “Deus, tem misericórdia de mim, que sou pecador!” O homem nada pode fazer, pois Deus já fez tudo. E que preço Ele teve de pagar! Nada menos que o sangue do Filho de Deus foi oferecido para remover os nossos pecados – Deus “não poupou o seu próprio Filho, antes o entregou por todos nós”, palavras de Paulo em Romanos 8.32.

Cristo levou os meus próprios pecados como se fossem os Seus próprios pecados. Ele se pôs à disposição para tirar os nossos pecados, embora Ele fosse sem pecado. Ele “não cometeu pecado”; “nele não existe pecado”. Quer remover essa mancha da sua alma? Fale com Jesus sobre isso experimente como é bom ser uma nova pessoa.

Presente Diário