Cotas

share on:

01/08/2018 – FIQUE POR DENTRO

A Lei de Cotas para Pessoas com Deficiência foi promulgada no Brasil há 27 anos, em 24 de julho de 1991. A Lei 8 mil 213 foi uma relevante iniciativa de combate à discriminação. A partir da aprovação da norma, tornou-se obrigatória a contratação de profissionais com deficiência em empresas com mais de 100 colaboradores. A legislação estabeleceu um percentual que varia de 2 a 5% de pessoas com deficiência em relação ao número de funcionários nas companhias.

A Lei de Cotas é um importante marco na defesa e garantia de direitos das pessoas com deficiência no país. No entanto, apesar das conquistas, ainda há muito a ser feito. Dados do IBGE apontam que existem no Brasil mais de 45 milhões de pessoas com deficiência, destas, 24% estão aptas para o trabalho. Por outro lado, apenas 418 mil profissionais estão contratados, o que representa menos de 1%. Entre as pessoas com deficiência empregadas ainda existe um desequilíbrio de oportunidades.

Uma nova medida, que está sendo implementada este ano, promete garantir avanços na inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Trata-se do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas. O eSocial propõe aos empregadores que comuniquem ao governo federal, de forma unificada, as informações relativas ao quadro de trabalhadores e dados fiscais. O sistema pretende “simplificar a vida das empresas e assegurar o cumprimento dos direitos trabalhistas e previdenciários”.

Fonte: Avape

 

Entrevista com Flávio Gonzalez, supervisor do Serviço de Qualificação e Inclusão Profissional da APAE de São Paulo. Confira:

 

Estado de SP antecipa vacinação contra sarampo e paralisia infantil para o próximo sábado

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo vai antecipar o início da campanha de vacinação contra paralisia infantil (poliomielite) e sarampo com um ‘Dia D’ extra no próximo sábado, 4 de agosto. Mais de 4 mil postos de vacinação fixos e cerca de 300 postos volantes estarão abertos das 8 da manhã às 5 da tarde. O objetivo é vacinar 2 milhões e duzentas mil crianças que integram a população-alvo da campanha, composta por crianças com idade entre um e cinco anos incompletos. A meta é vacinar pelo menos 95% desse público.

Não poderão ser vacinadas crianças imunodeprimidas, como aquelas submetidas a tratamento para leucemia e pacientes oncológicos. No calendário nacional, a imunização deve ocorrer entre os dias 6 e 31 de agosto, com um ‘Dia D’ em 18 de agosto. O esquema vacinal do país é composto por três doses da vacina inativada poliomielite (VIP), administradas aos dois, quatro e seis meses, sendo necessários dois reforços com a vacina oral poliomielite (VOP) aos 15 meses e aos 4 anos de idade.

Fonte: G1

A diferença de perspectiva

As pessoas reagem de diferentes maneiras frente aos problemas da vida. Algumas lidam com eles e os enxergam como obstáculos a serem superados. Outras pessoas olham para os problemas da vida e se desesperam; não sabem como lidar com eles; enxergam neles montanhas intransponíveis e acabam se rendendo.

Muitas pessoas que hoje têm sérios problemas psicológicos, viciados em drogas, sexo, jogos, etc., entraram para este mundo sombrio por causa de problemas não resolvidos. São pessoas que não conseguiram superar os dilemas da vida.

Não cabe a ninguém julgar tais pessoas, pois não sabemos qual o tamanho da adversidade que se apresentou a elas no passado; também não sabemos como nós reagiríamos se nos encontrássemos na situação delas. A verdade é que, a cada um de nós a vida se apresentou de maneira diferente, trazendo os seus próprios problemas e preocupações.

E isso tudo nada tem a ver com ser cristão ou não. A vida é a mesma e os problemas são os mesmos para todos os seres humanos. Não há distinção. Mas, há uma profunda diferença em ser cristão quando se trata de situações adversas. Essa diferença se chama “perspectiva”.

O cristão não está isento de problemas e adversidades, mas ele pode ter uma perspectiva diferente sobre a vida quando a encarra sob a ótica de Cristo. Para Jesus, o nosso modelo de humanidade, não há problema intransponível. Há, sim, adversidades mil, mas nenhuma delas terá poder sobre a vida daquele que olha para a vida da mesma maneira que Jesus.

A perspectiva do cristão sobre a vida é altamente positiva. Ele tem propósito, sabe de onde veio e sabe para onde vai. Isso faz com que ele perceba que os problemas que a vida traz, por mais graves que sejam, são passageiros e momentâneos. Nada nesta vida é para sempre. Tudo acaba. E, na perspectiva do cristão, quem tem a palavra final sobre tudo é Jesus Cristo.

Não lide com seus problemas olhando para eles apenas com seus olhos humanos. Vá além, encarando-os e lidando com eles como sendo aflições temporárias e passageiras. No final das contas, Cristo lhe deu uma nova vida, uma nova e libertadora maneira de olhar para a vida. Viva a vida em abundância e não permita que os obstáculos o derrubem. Lembre-se sempre de que Jesus está vindo ao nosso encontro e, em breve, todo sofrimento, toda dor, toda lágrima dos nossos olhos deixarão de existir.

Por: Israel Mazzacorati