Cesárea

share on:

26/10/2018 – FIQUE POR DENTRO

A cesariana é um procedimento cirúrgico que, quando realizado por razões médicas, pode salvar a vida de uma mulher e de seu bebê. No entanto, muitas delas são realizadas sem necessidade, o que pode colocar em perigo o bem-estar das mães e de seus filhos tanto a curto quanto a longo prazo. Esses riscos são maiores entre mulheres com acesso limitado a cuidados obstétricos integrados. As cesarianas também são caras e altas taxas dessas intervenções desnecessárias podem, portanto, utilizar recursos de outros serviços essenciais de saúde, particularmente em sistemas sobrecarregados e com falhas.

Em todo o mundo, as taxas de cesariana têm aumentado, sem benefícios significativos. Reconhecendo a necessidade urgente de abordar o avanço sustentado e sem precedentes dos indicadores, a Organização Mundial da Saúde publicou uma nova orientação sobre intervenções não clínicas projetadas para reduzir as cirurgias desnecessárias. A nova recomendação incorpora opiniões, medos e crenças de mulheres e profissionais de saúde sobre cesarianas. Também considera as complexas dinâmicas e limitações dos sistemas e organizações de saúde e as relações entre mulheres, profissionais da área e serviços.

Um levantamento realizado em 169 nações mostra que o número de nascimentos por cesárea quase dobrou em 15 anos, passando de 16 milhões de operações no ano 2000 para 29 milhões e 700 mil em 2015. Os dados foram coletados pela OMS e pelo Unicef. Em 60% dos países pesquisados, o número de cesarianas ultrapassou a média de 10 a 15% de cirurgias necessárias por razões médicas. Uma análise mais detalhada mostrou uma relação entre renda, escolaridade e a opção pelo método.

No Brasil, vice-campeão do mundo em cesarianas, 54,4% das operações envolveram mulheres com elevado nível de escolaridade, contra 19,4% de mulheres com menos estudos. Outros países com altas taxas de cesarianas (mais de 40%) são República Dominicana, Egito, Turquia, Venezuela, Chile, Colômbia e Irã.

Os dados impressionam se comparados com os da África Subsaariana: 4,1% dos partos por cesariana em 2015. Na América Latina, o índice é de 44,3%. A Ásia teve um aumento de 6% por ano, subindo de 7,2% a 18,1 entre 2000 e 2015. Na América do Norte (32% em 2015) e na Europa ocidental (26%), o aumento foi de 2% por ano. Na França, a taxa permanece a mesma desde 2010: 20,4%.

Fontes: paho.org e br.rfi.fr


Entrevista com o ginecologista e obstetra Alberto Guimarães. Confira:

 


Ziraldo, o eterno ‘Menino Maluquinho’, ganha exposições em São Paulo

Quem é das décadas de 80 a 2000 provavelmente vivenciou o sucesso da “Turma do Maluquinho”, a série de histórias em quadrinhos que se tornou o maior sucesso editorial de Ziraldo. Sem esquecer “A Turma do Pererê”, “Supermãe”, “Jeremias”, entre outros. Considerado um dos maiores cartunistas do Brasil, o artista ganhou duas exposições simultâneas em São Paulo: “Ziraldo… de A a Zi”, no Sesc Interlagos, e “Os Planetas de Ziraldo”, na Casa Melhoramentos. Em celebração aos seus 80 anos de carreira, as mostras apresentam diferentes ângulos do desenhista, que teve a capacidade de agradar públicos de todas as idades, além de trazer críticas sutis ao sistema político e sociedade brasileira.

“Ziraldo… de A a Zi”. Dividida em cinco espaços, a exposição viaja por oito décadas de carreira do artista, desde suas primeiras criações até obras atuais. Entre mais de 500 itens, é possível apreciar obras originais do acervo de Ziraldo, ilustrações de livros, charges, cadernos de infância e registros de família. O acervo traça um panorama do nascimento e evolução dos trabalhos do cartunista, que trabalha com marcas registradas como mãos e pés grandes e corpos retangulares. A atração fica no Sesc Interlagos até 4 de agosto de 2019, de quarta a domingo e feriados, das 10 da manhã às 5 da tarde. A atração é livre e gratuita!

“Os Planetas de Ziraldo”. A exposição na Casa Melhoramentos se conecta com o fascínio do cartunista pelo universo, tema presente em trabalhos como “O Planeta Lilás” e “O Pequeno Planeta Perdido”. Suas tirinhas cósmicas foram lembradas até por Neil Armstrong, primeiro homem a pisar na Lua: “O espaço inteirinho cabe dentro de um quadrinho”. A mostra fica disponível até 22 de dezembro, na Rua Tito, 479, na Vila Romana, em São Paulo.

Fonte: Catraca Livre


Arrependimento e nascer de novo

O arrependimento nada mais é do que reconhecermos que somos falhos, pecadores e com isso, humilhar-se perante Deus, pedindo perdão através de Jesus, que nos purifica de todo pecado. A partir do reconhecimento do pecado que nos domina, mudamos radicalmente de atitude, nos submetendo a Jesus Cristo.

Há diversas ocasiões onde pecamos contra Deus sem perceber, porque muitas vezes agimos sem a direção do Espírito Santo, ou seja, agimos pela intuição.

Você sabe como receber o perdão? O texto bíblico diz: “ mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus seu Filho nos purifica de todo pecado”.

A palavra de Paulo, o apóstolo, sobre a vida de alguém que se arrependeu e nasceu de novo é a seguinte:

“…Vivam pelo Espírito, e de modo nenhum satisfarão os desejos da carne. Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam. Mas, se vocês são guiados pelo Espírito, não estão debaixo da Lei.

Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem; idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. Eu os advirto, como antes já os adverti: Aqueles que praticam essas coisas não herdarão o Reino de Deus.

Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei. Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos. Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito.” (Gálatas 5.16-25)