Canto

share on:

14/09/2018 – FIQUE POR DENTRO

Cantar é um daqueles talentos que praticamente todo mundo tem. Claro que algumas pessoas têm habilidades mais naturais que outras, mas até vozes “ruins” podem melhorar por meio da dedicação e do treino. Não importa seu objetivo — cantar melhor no banho ou tentar algo mais profissional —, sempre há algo a se fazer. Organize-se, adquira hábitos saudáveis e trabalhe muito!

Serve para qualquer música: samba, ópera, sertanejo, rock, bossa nova. O segredo é sentir-se bem. Comece a cantar mais e sinta os benefícios que soltar a voz proporciona para qualquer pessoa, até mesmo para as desafinadas!

Comece deixando de lado a vergonha e a autocrítica. Escolha um lugar onde ninguém vai te atrapalhar, como o carro ou o chuveiro. Depois, cante para animais e bebês (que não farão críticas) e, por último, convide sua turma para cantar junto.

Soltar a voz relaxa e alivia a ansiedade, diminui a timidez, turbina a autoestima, melhora a respiração e a postura. Então, está esperando o quê? Bora cantar?

Fonte: mdemulher.abril.com.br


Entrevista com Andressa Marinoni. Ela é musicista, preparadora vocal e mestranda em Fonoaudiologia pela PUC-SP. Confira:

 


Exposição fotográfica de João Machado retrata o sertão baiano

O céu estrelado do sertão baiano, a terra de chão batido, a poeira amarelada, os carroceiros e outras memórias da infância de João Machado na cidade de Xique-Xique, na Bahia, estão registradas na exposição fotográfica “O Sertão de João Machado”, em cartaz na CAIXA Cultural do Rio de Janeiro com entrada gratuita.

Os 40 registros do baiano, um dos grandes nomes da fotografia documental, são um recorte do trabalho desenvolvido por ele nos últimos 15 anos. As fotografias materializam as lembranças e vivências de João Machado quando criança, e também as histórias contadas pelo pai. A curadoria da mostra é assinada por Mônica Maia.

João Machado nasceu em Xique-Xique, na Bahia, em 1969. Deixou sua terra natal aos 19 anos em busca de trabalho na cidade de São Paulo. Trabalhou na construção civil, como ajudante de pedreiro, quando comprou a primeira câmera fotográfica de um colega de trabalho. Buscou conhecimento em revistas especializadas e começou a fotografar em 1993. A curiosidade, determinação e persistência o transformaram no fotógrafo João Machado. Autodidata, teve como referência trabalhos publicados na extinta Revista Iris Foto.

Você pode conhecer “O Sertão de João Machado” de terça-feira a domingo, das 10 da manhã às 9 da noite, até o dia 2 de dezembro. A CAIXA Cultural fica na Avenida Almirante Barroso, número 25, no centro do Rio de Janeiro. Para mais informações, acesse caixacultural.com.br.

Fonte: Catraca Livre


Discípulos

Discípulo é aquele que aprende e segue os ensinamentos do seu mestre. Além dos doze, houve muitos seguidores ocasionais de Jesus. Uns eram sinceros, queriam servi-lo e tinham genuína motivação de aprender com ele; já outros, por mero interesse material. Jesus mostra aos seus seguidores o que na realidade significa ser seu discípulo. Não basta conhecê-lo, é preciso ter compromisso com ele; não basta segui-lo, é necessário imitá-lo; não basta reconhecê-lo como Mestre, é preciso estar disposto a renunciar muitas coisas por amor a ele, ser-lhe obediente e submisso. Não basta cultuá-lo, é preciso ter comunhão com ele, uma pessoa real, que está conosco “… Cristo em vós, a esperança da glória”…(Cl 1.27).

Ser discípulo exige humildade e disciplina – Jesus diz: “O discípulo não está acima do seu mestre… Basta ao discípulo ser como o seu mestre”. (Mt 10.14). O serviço a Cristo exige amor, autenticidade, abnegação e revisão de prioridades.

A atuação do discípulo deve começar dentro da própria casa. O apóstolo Paulo diz que “… se alguém não tem cuidado dos seus, especialmente dos de sua própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente”, (1Tm 5.8). A evangelização começa, portanto, no próprio lar: pai, mãe, filhos, maridos, esposas, sogro, sogra e outros.

Abandonar os da casa não é uma necessidade para quem quer servir a Deus. Portanto, primeiro, os da casa e depois os amigos e vizinhos. A tarefa de semear e regar é nossa. O crescimento e a perseverança na vida cristã quem dá é Deus.

Afinal, quem são os verdadeiros discípulos? São aqueles trazidos a Jesus pelo Pai e por isso conseguem ser perseverantes. São aqueles que confiam plenamente nas palavras de Cristo e as consideram suficientes.
São os que o seguem, não por interesse, mas por amor e gratidão. Os que apresentam o fruto do Espírito: amor, alegria, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão.
São os agentes da paz e da unidade no Corpo de Cristo.