Câncer de mama

share on:

08/10/2018 – FIQUE POR DENTRO

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Há vários tipos. Alguns têm desenvolvimento rápido enquanto outros são mais lentos. Tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma, o câncer de mama responde por cerca de 25% dos casos novos a cada ano. Especificamente em nosso país, esse percentual é um pouco mais elevado e chega a 28,1%. Sem considerar os tumores de pele não melanoma, esse tipo de câncer é o mais frequente nas mulheres das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste.

Apesar de, nas fases iniciais, o câncer de mama não causar sintomas, o principal sinal que pode indicar a presença do tumor é a palpação de um nódulo endurecido, além de dor, vermelhidão ou saída secreção pelos mamilos, por exemplo. O câncer de mama pode ter cura, entretanto isso varia de acordo com o tipo e com o estágio em que se encontra. Por isso, é muito importante a realização da prevenção por meio do autoexame e da mamografia.

Geralmente, o tratamento costuma ser feito com cirurgia, quimioterapia e/ou radioterapia, imunoterapia, além de medicamentos para aliviar sintomas que podem surgir, como enjoo ou dor.

Os testes genéticos podem ser realizados em alguns casos para avaliar se o câncer é causado por mutações genéticas ou para identificar se há risco deste câncer quando existem familiares próximos como pai, mãe, avós, tios ou irmãos diagnosticados com a doença.

O Ministério da Saúde oferece atendimento por meio do Sistema Único de Saúde, o SUS.

Fontes: inca.gov.br e tuasaude.com


Entrevista com o médico Domingos Mantelli. Ele é ginecologista e obstetra. Confira:

 


Programa de apoio à inovação na educação superior terá 500 milhões de reais

O governo federal lançou o Programa de Apoio à Inovação em Educação no Ensino Superior, que oferecerá 500 milhões de reais em financiamentos para projetos de inovação de instituições privadas. A nova linha de crédito terá redução de 1 ponto percentual em relação as linhas já disponíveis pela Financiadora de Inovação e Pesquisa, órgão vinculado ao Ministério da Ciência, que será responsável pelos recursos.

Poderão participar do programa instituições que estejam em funcionamento há pelo menos três anos, com receita operacional bruta superior a 16 milhões de reais. Os projetos devem ser de, no mínimo, 3 milhões. A verba será viabilizada por meio da Finep e oferecida em parceria com o Ministério da Educação.

O prazo para as instituições começarem a pagar o empréstimo será de até 48 meses, dependendo da linha de ação, e para pagar o empréstimo, de até 12 anos. Os projetos deverão envolver personalização e novas metodologias de ensino, utilização de recursos educacionais digitais e criação de ambientes e de estratégias e processos promotores de inovação.

Para solicitar o financiamento, as instituições devem acessar o site finep.gov.br e preencher um formulário. Após a aprovação do cadastro, elas poderão encaminhar o projeto. O tempo para conseguir o financiamento varia de 90 a 120 dias.

Fonte: Agência Brasil


Perdoar para ser curado

Pessoas ao redor do planeta sofrem de diversos males psicossomáticos causados pela dificuldade ou recusa em perdoar. Consultórios de psicologia e psiquiatria são frequentados por uma grande quantidade de pessoas que trazem da infância, adolescência e juventude problemas de relacionamento com os pais e não conseguem perdoa-los por suas falhas na criação. Outras pessoas foram acumulando problemas não resolvidos de relacionamentos e acabam estourando um dia. Um ataque de nervos que os coloca em uma precária situação de vida.

Por que temos tanta dificuldade em perdoar aqueles que nos fizeram mal?

Jesus de Nazaré ensinou sobre o perdão e seu valor terapêutico. Em certa ocasião ele contou uma parábola de um homem que havia contraído uma dívida milionária, mas seu credor o cancelou essa dívida. No entanto, o homem que havia sido perdoado encontrou um outro homem que lhe devia uma pequena quantia, e não pensou duas vezes: lançou-o na prisão até que pudesse pagar a dívida.

Quando Jesus ensinou os seus discípulos sobre a oração, disse que eles deveriam orar, dizendo: “Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores”. Imagine se Deus nos perdoasse na mesma proporção em que concedemos perdão a quem nos deve?

A comunidade cristã é um ambiente em que podemos perdoar e sermos perdoados, pois o Cabeça da comunidade, que é Cristo, é o maior exemplo de perdão que existe. Tiago escreveu: “E se houver cometido pecados, ele será perdoado. Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros para serem curados”. Perdão leva à confissão, e confissão leva à cura, alívio da consciência.

Ser perdoado e perdoar, portanto, são dois lados de uma mesma moeda. Quem conheceu a Cristo experimentou o maior perdão que alguém poderia receber e foi curado de todos os seus pecados. Em resposta ao perdão divino, podemos perdoar a todos que nos tenham ofendido, causado prejuízo ou que estejam em dívida conosco.

Perdoar é experimentar a mesma satisfação que Cristo experimentou quando deu sua vida para que nós fossemos perdoados. Em Isaías 53.11 lemos o seguinte sobre o sacrifício de Jesus: “Depois do sofrimento de sua alma, ele verá a luz e ficará satisfeito; pelo seu conhecimento meu servo justo justificará a muitos, e levará a iniquidade deles”. Perdoe e sinta o alívio da cura.

Por: Israel Mazzacorati