Audição

share on:

13/06/2018

A audição é um dos 5 sentidos do corpo humano e nos permite ouvir. Os seus principais órgãos são as orelhas, que são divididas em três segmentos: externa, média e interna. O fato de possuirmos uma orelha de cada lado da cabeça, nos ajuda a ter uma melhor percepção da localização da origem do som. A orelha funciona como uma concha acústica, que capta os sons e os direciona para o canal auditivo. As ondas sonoras fazem vibrar o ar dentro do canal do ouvido e a vibração é transmitida ao tímpano.

Essa vibração chega até a janela oval, que faz a ligação entre a orelha média e a orelha interna, que como o próprio nome diz, é a que está localizada na parte mais “íntima” do ouvido. Na orelha interna, também conhecida como “labirinto”, a vibração chega até a cóclea, órgão cujo interior possui líquidos e pequenos pelos. Com a vibração, os líquidos e os pelos estimulam o nervo auditivo, causando impulsos elétricos que são interpretados pelo cérebro como som.

Fontes: sobiologia.com.br e todamateria.com.br

 

Entrevista com o Médico otorrinolaringologista Luciano Campelo Prestes. Confira:

 

Campanha de vacinação contra a gripe vai até sexta-feira

Quem tem indicação para a vacina da gripe, tem até esta sexta-feira, dia 15, para ir a um posto e tomar o imunizante gratuitamente. Até início do mês, a campanha tinha atingido 75,8% do público-alvo. Pouco mais de 13 milhões de pessoas ainda devem receber a dose.

Segundo o Ministério da Saúde, crianças entre 6 meses e 5 anos foram as menos vacinadas. Apenas 57,5% foram levadas aos postos. O público com maior taxa de vacinação até o momento são mulheres que tiveram parto recente (86,7%), seguidas pelos idosos (86,6%), professores (85,4%) e indígenas (81,7%).

O governo informa que a escolha desses grupos segue recomendação da Organização Mundial de Saúde, decisão que tem como base estudos científicos.

Fonte: G1

 

A Arte de Ouvir

Um colega de trabalho, membro da família ou professor já lhe perguntou no meio da conversa: “Você está ouvindo?” Existem muitas razões e desculpas para não ouvir: estamos cansados, distraídos com outras preocupações, ou simplesmente não estamos interessados no que a pessoa está dizendo. Nós a “desligamos”. Escutamos mas não ouvimos.

Existe diferença entre escutar – ato de reconhecer o fenômeno físico das ondas de som colidindo com o tímpano – e ouvir. A menos que alguém seja portador de deficiência auditiva, não pode evitar escutar sons. Ouvir, entretanto, é outra coisa. É o ato consciente de receber ondas sonoras, mas também de interpretar os impulsos nervosos enviados ao cérebro. Ou seja, escutar é a resposta involuntária aos ruídos; ouvir é a atividade voluntária, que pode ser considerada também, ato de gentileza e respeito.

Quando alguém conta sobre alguma circunstância que lhe está causando sofrimento pessoal e estamos ocupadíssimos em outra tarefa, apenas “escutamos” o que foi dito, ignoramos ou colocamos tais assuntos de lado, com tempo suficiente para ouvir, pensar sobre o que está sendo apresentado, respondendo de forma apropriada?

Ouvir capacita a chegar ao “X” do problema. Geralmente os problemas que surgem no trabalho são sintomas: a ponta do “iceberg”. Resolvê-los requer que se veja “a história por trás da história”. Não há melhor forma de se chegar lá do que ouvindo. “Os propósitos do coração do homem são águas profundas, mas quem tem discernimento os traz à tona”. Provérbios capítulo 20, versículo CINCO.

Ouvir ajuda a evitar calamidade. Às vezes sentimos que não existe nada mais importante do que o que temos a dizer. Porém, se gastarmos tempo demais falando e não ouvirmos o suficiente, podemos não escutar avisos urgentes que são emitidos. “Os sábios de coração aceitam mandamentos, mas a boca do insensato o leva à ruína”. Provérbios capítulo 10, versículo OITO.

Ouvir nos prepara para receber a correção necessária. Todos gostamos mais da aprovação do que da correção, mas às vezes, a coisa mais sensível e atenciosa que alguém pode fazer é oferecer uma crítica construtiva, mostrando-nos como agir melhor no futuro. A chave está em esforçarmo-nos para ouvir, sem nos tornarmos defensivos, confiando que o que foi dito visa o nosso bem. “Como brinco de ouro e enfeite de ouro fino é a repreensão dada com sabedoria a quem se dispõe a ouvir” Provérbios capítulo 25, versículo 12

Ouvir nos capacita a responder de forma apropriada. Freqüentemente as pessoas compartilham seus sofrimentos conosco, simplesmente porque desejam saber que há alguém que se importa e também para que lhes assegure que ainda há esperança. Se separarmos tempo para ouvir, podemos ser capazes de responder com palavras adequadas para o momento. “O coração ansioso deprime o homem, mas uma palavra bondosa o anima” Provérbios capítulo 12, versículo 25

Sendo assim, da próxima vez que alguém disser alguma coisa, tente fazer mais que simplesmente escutar o que está sendo dito. Tente também ouvir. O que se recebe através dos ouvidos pode nos abrir os olhos!

Por: Robert J. Tamasy