Arte Itinerante

share on:

07/06/2018

Promover arte e cultura nos cantos mais remotos do Brasil não é tarefa fácil, mas tem muita gente engajada nessa missão. Itinerante é um termo com origem no latim cujo significado está relacionado com o ato de se deslocar constantemente, de percorrer itinerários, de viajar.

Um mesmo projeto que pretende abranger pessoas de diferentes locais utiliza a designação “itinerante” para identificar a natureza do mesmo, por exemplo, exposição e feira itinerantes. Por definição da atividade, um circo é itinerante porque nunca está num local de forma permanente. Existe até Museu Itinerante, um projeto de democratização cultural que propõe o ensino das artes como parte do processo de educação.

O termo ‘itinerante’ também se aplica a uma pessoa que percorre diferentes lugares para exercer sua atividade: professor, pregador e vendedor itinerante (ambulante).

Hoje, você vai conhecer o JVnaEstrada, da Missão Jovens da Verdade. A equipe é composta por vários jovens que doam seu tempo para o ministério itinerante de recreação, peças de teatro e pregação do evangelho em acampamentos e congressos por todo o Brasil.

Fontes: jvnaestrada.com e significados.com.br

 

Entrevista com a turma do JVnaEstrada. Confira:

 

Esqueleto de dinossauro carnívoro é vendido na França

O esqueleto de um terópode carnívoro foi vendido nesta semana em um leilão celebrado na Torre Eiffel, o monumento símbolo de Paris, na França. Os ossos do que os cientistas acreditam ser “provavelmente uma nova espécie” parecida com o alossauro, um tipo de dinossauro carnívoro e bípede, foram encontrados durante escavações em 2013 nos Estados Unidos.

O esqueleto, de 150 milhões de anos, 70% intacto, foi adquirido por 2 milhões de euros por um colecionador de arte francês anônimo, que prometeu emprestá-lo a um museu da França. O dinossauro, com mais de 9 metros de comprimento e quase 3 metros de altura, viveu no período Jurássico.

Fonte: G1

 

A Arte de Inclinar-se

“…para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai”. (Filipenses 2.10 e 11).

Estamos caminhando lentamente nesta direção.
Vamos chegar até lá e para tanto é preciso reconhecer duas coisas ao mesmo tempo: a nossa pequenez e a grandiosidade de Deus. Só assim o homem se inclina diante de Deus e ora, e confessa, e adora.

A Bíblia está cheia de exemplos de pessoas que souberam se inclinar diante de Deus: Porque viu claramente a mão de Deus no desempenho de sua responsabilidade, o servo de Abraão se inclinou e adorou ao Senhor (Gn 24.26).

Porque ouviu que Deus os tiraria do Egito, os filhos de Israel inclinaram-se e adoraram (Ex 4.31, 12.27).

Porque viu o Anjo do Senhor impedindo a marcha da jumenta, o próprio Balaão “inclinou a cabeça e prostrou-se com o rosto em terra” (Nm 22.31).

O mesmo fizeram o rei Davi e toda a congregação (1 Cr 29.20), o rei Ezequias e toda a congregação (2 Cr 29.30), o escriba Esdras e todo o povo (Ne 8.6).

A arte de inclinar-se não mexe só com o corpo. Assim como a circuncisão não é apenas física ou assim como o ato de contrição não é apenas rasgar as vestes.

É preciso antes de tudo rasgar o coração, circuncidar o coração e inclinar o coração.

A inclinação do corpo perante o Senhor é mais um sentimento do que uma ginástica. É um sentimento dominante, inteligente, natural e alegre, que acaba com a distância sem acabar com o respeito.