Aposentadoria

share on:

15/08/2017 – FIQUE POR DENTRO

O brasileiro se aposenta, em média, aos 58 anos. De cada três beneficiários, dois ganham um salário mínimo. Há dois tipos de aposentadoria mais comuns: por tempo de contribuição e por idade.

Hoje, o Brasil tem mais de 19 milhões de aposentados pelo INSS. Têm direito à concessão mulheres com 60 anos de idade ou com 30 anos de contribuição, e homens com 65 anos ou 35 de recolhimento.

Mas o governo quer mudar as regras para a aposentadoria. Com a possibilidade de aprovação da Reforma da Previdência no próximo mês, o trabalhador que atingiu os requisitos para dar entrada no benefício deve verificar se os dados estão em dia para não ter problemas.


Entrevista com o advogado e especialista em cálculos previdenciários Thiago Luchin. Ele fala sobre a previdência e a aposentadoria. Confira:

 


China treina empresas para censurar conteúdo ‘nocivo’ na internet do país

Atualmente, está cada vez mais difícil dizer até onde a China vai ao que diz respeito a fechar suas fronteiras virtuais e reforçar o Grande Firewall. Depois de promover uma série de medidas para restringir o uso de VPNs no país, o governo chinês está partindo para a censura franca na hora de impedir que seus cidadãos discutam assuntos considerados “sensíveis” pelas autoridades.

Ao que parece agora o país não quer depender apenas de órgãos internos de censura e, por isso, decidiu “adestrar” as empresas estabelecidas por lá para que elas se tornem mais eficientes na tarefa de monitorar o acesso a esses sites.

De acordo com o site de notícias Reuters, o Ministério de Segurança Pública realizou uma espécie de curso intensivo com o objetivo de ensinar os provedores de internet a resolverem esses problemas.

Série Reforma Política – Modelo “Distritão”

A Comissão Especial da Câmara que analisa a reforma política aprovou uma mudança na Constituição Federal que institui o sistema chamado distritão. Foram 17 votos a favor e 15 votos contrários, com duas abstenções.

A aprovação não quer dizer que o distritão entrará em vigor nas eleições de 2018 e 2020. Isso porque precisa passar pelo crivo dos plenários da Câmara e do Senado, e ser promulgado até o dia sete de outubro para valer nas disputas do próximo ano.

O modelo distritão funciona da seguinte maneira: o estado e município se torna um distrito eleitoral e funcionará para a escolha de deputados federais, estaduais, distrital e vereadores. Assim, serão eleitos os candidatos mais votados no distrito, como acontece hoje na eleição dos senadores.

O modelo divide opiniões entre os parlamentares. Quem defende o modelo argumenta que é simples de ser compreendido pelo eleitor, que reduzirá o número de candidatos e acabará com a figura dos chamados puxadores de votos. Já os contrários alegam que o modelo favorece os candidatos mais conhecidos do eleitorado e dificulta a eleição de novos candidatos no cenário político, além de enfraquecer o papel dos partidos.

Riqueza divide!

Então lhes disse: “Cuidado! Fiquem de sobreaviso contra todo tipo de ganância; a vida de um homem não consiste na quantidade dos seus bens” (Evangelho de Lucas, capítulo 12, verso 15)

Um homem pede a Jesus para intervir a respeito de uma briga entre ele e seu irmão sobre a herança, conforme a narrativa de Lucas 12.13-21. De novo no evangelho tem alguém que chama Jesus para resolver um conflito. Este alguém não tem nome próprio no texto. Provavelmente porque cada um de nós é chamado a identificar-se com esta personagem. Na pergunta sobre a divisão da herança aparece uma grande ilusão. A pergunta ilusória é sobre a divisão da riqueza. Este texto nos diz que a riqueza não é dividida, a riqueza divide!

Jesus recusa, neste texto, o papel de mediador do conflito. Na perspectiva da grande ilusão da qual estes dois irmãos são vítimas, a de pensar que a riqueza que divide e violenta possa ser dividida, Jesus não quer ser considerado o juiz conciliador, mas o companheiro de caminhada que quer ajudar a entender e indicar os motivos que determinam o empobrecimento e os conflitos entre as pessoas. Estes motivos se juntam concretamente ao redor do egoísmo e da ganância.

São estes os dois sentimentos que habitam os irmãos deste texto do evangelho e Jesus fala deste sentimento de desejo sem entender o que é necessário desejar. A ilusão, de quem não conhece o que é verdadeiramente necessário e por isto pensa de encontrar no possuir a sua segurança.

Qual é nossa necessária necessidade? Esta é uma pergunta de fundo para a nossa vida.

Desde os tempos antigos da caminhada de libertação no Êxodo, nossos pais e nossas mães na fé tiveram que responder a esta pergunta. No tempo do deserto, no tempo da divisão do poder e da profunda defesa da Vida, seguindo o Deus Libertador, o Povo das tribos no caminho de libertação teve que aprender como dividir algo que não sabiam nomear e por isto chamaram “maná”. Tiveram que aprender a partilhar “segundo a necessidade”.

No Novo Testamento o contrário da ganância é a plenitude em Deus. Por isto Paulo, na carta aos Colossenses, capítulo 3, verso 5, nos diz que a ganância é idolatria!

A ganância faz o nosso coração se dividir entre diferentes desejos, e um coração dividido é um coração idólatra, que perdeu o necessário: o testemunhar em todo o respiro da Vida que a única herança é Deus!

Por: Maria Soave (Adaptado por Israel Mazzacorati)