share on:

Img_IconeBaixar_680px

 

06 de janeiro de 2019

Leitura Bíblica: Filipenses 4.8

Todavia, lembro-me também do que pode me dar esperança (Lm 3.21).

Tenho guardadas em meu computador fotos dos últimos catorze anos. De vez em quando, gosto de ver estes álbuns e relembrar o que aconteceu. A memória é mesmo fascinante! Basta eu ver uma imagem, e toda a história por trás dela aparece diante dos meus olhos: quem estava presente, o que fizemos, dissemos e até mesmo o que senti naquele momento. Não sei quanto a você, mas rever fotos antigas enche meu coração de alegria e gratidão, pois trago à memória tudo o que Deus tem feito em minha vida.

Certos tipos de conversa me causam o efeito oposto. Parecia ser um bate-papo inofensivo, até que, sutilmente, começamos a falar mal de alguém. Acabo me sentindo superior à pessoa ou sentindo inveja das bênçãos que ela recebeu. Fico ressentida pelo que me fizeram. Começo a me encher de mágoa e minha memória, cheia de lixo, já não tem mais espaço para aquilo que é bom. Fazendo isso, eu me alimento de mentiras, pensamentos injustos, impuros e hostis.

Neste único versículo, Paulo lista oito crivos para aquilo que deve alimentar nosso pensamento: apenas coisas verdadeiras, honestas, justas, puras, amáveis, de boa fama, virtuosas e louváveis. Sendo eu uma filha de Deus, devo me preocupar em viver uma vida que o glorifique – inclusive com meus pensamentos. Para manter este alto padrão, é necessário realizar uma mudança no estilo de vida que levamos, pois nossos pensamentos são alimentados pelo que vemos e ouvimos. Talvez seja preciso até abandonar alguns “amigos”, deixar de frequentar certos lugares, de assistir e ouvir determinadas coisas.

O ano está começando, e quero desafiar cada leitor a incluir em suas resoluções a meta de utilizar estes oito crivos em seus pensamentos. Assim, você estará honrando ao Senhor com sua mente e, como consequência, experimentará profunda alegria e gratidão. – BB

Um pensamento errado gera sentimentos errados, que nos levam a ações erradas.