share on:

11 de Outubro de 2019

Cada vez que alguém chega a você para reclamar de outra pessoa ela espera sua sugestão, seu conselho para vencer a raiva, a frustração a tristeza. E se você fizer as contas agora, quantas vezes você aconselhou que ela perdoasse? O perdão parece a receita mais comum para quem sofreu alguma ofensa. Será que está errado?

Considere comigo uma outra possibilidade chamada RECONCILIAÇÃO. Sem dúvida essa exige que você se envolva naquele relacionamento rompido. O que menos se deseja é envolver-se em conflitos entre pessoas que conhecemos. O mais comum é nos afastar dos dois ou assumir um lado e abandonar o outro. No entanto quando você já percebeu, a espiritualidade cristã está firmada na reconciliação. O perdão é um elemento necessário e bom para qualquer conflito, mas a reconciliação é melhor.

O perdão atende apenas um lado do conflito, o lado que foi ofendido, ferido. A reconciliação trata tanto do ofendido como do ofensor. O cristão logo percebe que tem uma missão de promover a reconciliação não apenas entre o ofendido e ofensor, mas entre Deus Pai e o pecador1. Por isso a reconciliação precisa do DNA divino para se realizar em qualquer conflito entre seres humanos e também com Deus Pai.

O perdão abre a porta para a reconciliação. A reconciliação só se efetiva se há confissão e arrependimento por parte de quem ofendeu. Tenho ouvido as pessoas se referirem mais ao perdão do que ao arrependimento e confissão. Assim quem foi ferido é incentivado a engolir a ofensa, cuidar do próprio ferimento sem qualquer outra ajuda a não ser de si. Essa tarefa é impossível sem o poder de Deus.

A reconciliação é um processo em que não é o tempo que resolve, mas atitudes, providencias conscientes de cada um dos envolvidos e de um mediador. Você precisa conhecer essa questão mais a fundo para lidar com seus próprios relacionamentos e tornar-se um promotor da paz, de reconciliação.2 Note como é verdadeiro o ditado que diz que “errar é humano e perdoar é divino” Sem o componente divino o perdão não se sustenta. Guarde essa frase: “PERDÃO” é bom mas “RECONCILIAR-SE é DIVINAMENTE melhor!


Esta mensagem responde à pergunta: Por que perdoar é bom mas reconciliar é melhor?

Aplicação para a sua vida: Comece a encarar os conflitos pela ótica da reconciliação e não apenas do perdão!


1 2 Coríntios 5:20 “De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamo-vos, pois, da parte de Cristo, que vos reconcilieis com Deus.” Segunda carta do apóstolo Paulo aos cristãos na cidade grega de Corinto no outono de 55,56 ou 57 depois de Cristo defendendo sua autoridade apostólica e apontando os falsos apóstolos na igreja daquela cidade.
2Mateus 5:9 “Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;” : Os fundadores da Igreja declaram que o Evangelho de Marcos foi escrito depois da morte de Pedro, que aconteceu durante as perseguições do Imperador Nero. A maior parte das evidências sustenta uma data entre 65 e 70 d.C