share on:

02 de Julho de 2020

Quanto foi a última vez que você esteve em um hospital? Você sabia que entre os gregos antigos o hospital era na verdade um templo? Por volta do século V a.C., havia santuários – como o grande templo de Epidauro – dedicados a um semideus da medicina chamado Asclépio. Nesse templo, as pessoas vinham para passar a noite, e era quanto se dava a cura. Os sacerdotes, chamados de terapeutas, eram encarregados de orientar os
peregrinos que ali buscavam a cura para seus males. Naqueles templos a atração mágico-religiosa era a base da cura.

Hoje, os hospitais têm uma base científica e tecnológica. São inegáveis os progressos da ciência. Para certos males tratar de um paciente grave em casa, longe de todo cuidado e aparelhagem específica é impossível. Hoje o hospital reúne condições para certos tratamentos. Hoje o hospital torna-se, para muitos, um tipo de templo para a restauração da saúde. Quando, no entanto, os médicos dizem aos parentes e pacientes que a ciência chegou ao seu limite e que poderes sobrenaturais se constituem na última instancia e possibilidade de restauração, reconhecem que a ciência, ainda não é a última esperança.

Cabe a mim e a você, compreender a natureza desse limite ao visitar alguém hospitalizado. Ir ao hospital visitar alguém é reconhecer o lugar da ciência e a soberania divina revelada em Cristo Jesus.2 O ser humano
não é apenas um corpo, uma máquina de carne, mas também tem uma dimensão psíquica, invisível que estende-se do cérebro a todo o corpo e existência. Como você sabe, a cura completa de uma pessoa exige
também um restabelecimento de sua dignidade e valor, pela comunhão com Deus Pai. Se os desajustes de consciência contribuem, para agravar o estado de saúde ou mesmo causar algumas doenças, a comunhão e
reconciliação com Deus Pai pela fé de Cristo Jesus restaura o significado da existência humana.

Torne-se a pessoa que com esse discernimento leva a esperança divina aos hospitalizados. Então ouvirá de Jesus no dia do juízo: “Estive doente e foste ver-me”3. Receba de Cristo esse discernimento.

Esta mensagem responde à pergunta: Qual é a história e necessidade do hospitalizado?

Tarefa para Hoje: Faça do hospital um local para você levar conforto e consolo aos doentes com discernimento espiritual.

2 Tiago 5:14 “Entre vocês há alguém que está doente? Que ele mande chamar os presbíteros da igreja, para que estes orem sobre ele e o ungiam com óleo, em nome do Senhor. 15 A oração feita com fé curará o doente; o Senhor o levantará. E se houver cometido pecados, ele será perdoado. 16 Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros para serem curados. A oração de um justo é poderosa e eficaz.” Apóstolo, provavelmente irmão de Jesus foi escolhido como moderador da igreja de Jerusalém após Pentecostes fala com autoridade e sem presunção nos 108 versículos com 54 mandamentos. 3(Mateus 25:36b). estive enfermo, e vocês cuidaram de mim; estive preso, e vocês me visitaram’. Mateus foi o primeiro Evangelho a ser escrito por volta de 60-65 d.C. com o objetivo de mostrar que Ele é o Messias esperado pelos judeus e que traz o Reino de Deus.