share on:

21 de Maio de 2020

Diante da grande crise na saúde e na vida econômica no país o povo está dividido em dois grupos. Quanta gente falando! Brigam discutem! Quem tem razão? Um grupo quer continuar no isolamento. Outro grupo quer voltar as atividades. Claro que são perspectivas diferentes. Um grupo, compreensivelmente tem muito medo do vírus. Isso você e eu, cada uma precisa compreender. A maioria ainda dispões de recursos financeiros para se manter parado. Claro a “economia” pode ficar em segundo plano. Na quarentena tem a oportunidade de refletir, ver filmes, descansar e ainda há o trabalho home office, isto é trabalhar em casa.

O outro grupo, acusado de só pensar em dinheiro também teme o vírus. No entanto está profundamente atingido pela crise e sua preocupação e angustia aumenta cada dia mais. Faltam recursos para a comida, aluguel, remédios. Percebe? O básico está faltando. Seu emprego, casas, negócios, tudo está em vias de cair. Então preferem enfrentar o risco do vírus, com os devidos cuidados de higiene e voltar ao trabalho. Por isso acusam o primeiro grupo a exagerar no pânico e serem torcedores do vírus.

Você e eu precisamos admitir que os interesses são completamente diferentes. Tenha claro: não estamos todos no mesmo barco. Estamos todos sob uma terrível tempestade, mas o barco não é o mesmo. Uns estão como que em “iates” outros em botes. Há ainda os que estão em canoas já afundando.

Diante desse quadro é conveniente cultivar a empatia pelos dois grupos, o respeito por quem clama. O Espirito de Cristo aconselha: “Lembrai-vos dos presos, como se estivésseis presos com eles, e dos maltratados, como sendo-o vós mesmos também no corpo.” 2 Os presos e os maltratados. Não se deixe influenciar pelos que se aproveitam das necessidades de cada grupo para semear discórdia. Promova a paz de Cristo porque ela vem com amor divino.

Esta mensagem responde à pergunta: Quais as implicações de você escolher seu representante?

Tarefa para Hoje: Promova a paz lembrando as condições de cada um e promovendo a paz de Cristo ele traz o amor divino.

Hebreus 13:3 Esta carta exorta os novos cristãos judeus a não observarem mais rituais e cerimônias tradicionais, pois, em Cristo, eles já foram cumpridos. Pouco antes do no ano 70 d.C. quando Templo em Jerusalém foi destruído pelos romanos.