share on:

30 de Setembro de 2019

O que você pensa quando assiste aquele comercial incentivando as pessoas a serem gentis, ajudarem o próximo, agradecendo os favores, pedindo “por favor”? Ou estão cedendo o lugar nos assentos preferenciais? Já viu?  Sem dúvida tais comportamentos podem fazer diferença em determinados momentos difíceis. Considerei a iniciativa muito oportuna. Há somente um momento onde aquele incentivo tropeça. É quando ele afirma que “não custa nada”.

Talvez queiram incentivar este gesto de cidadania, dizendo que é simples agir assim de modo cordial. Mas é oportuno lembrar que esses gestos em um ônibus ou vagão de trem apertado, na hora do rush, depois de um dia de trabalho não é tão simples assim. Cada pessoa que age de modo correto precisa verificar a própria motivação. Você e eu precisamos ter claro que um gesto só é verdadeiramente útil e cumpre o seu propósito quando surge de uma motivação santa, divina de amor de Deus pelo próximo do contrário torna-se um instrumento de manipulação, chantagem religiosa ou espiritual.

Você e eu sabemos da satisfação humana, pessoal ao se praticar uma boa ação. Será que diante do destino ou de Deus Pai as boas ações são apresentadas como cupons ou créditos que darão descontos em outros momentos da vida? Quantas boas atitudes servem para encobrir, disfarçar outras ações prejudiciais. Por isso a sabedoria popular já ensina: “quando a esmola é demais o santo desconfia”.

Para promover a cidadania, a cordialidade em uma sociedade tão violenta é preciso primeiramente: crer no amor que Deus tem por você. Deus prova que lhe ama a ponto de dar a vida do filho como pagamento para uma reconciliação com você. Então em plena reconciliação com Deus você tem a motivação divina, profunda, santa e justa para tratar o outro, não como ele merece, mas como ele ou ela precisam, assim como Deus faz comigo e com você.

Esta é a base para você e eu amarmos o próximo como amamos a nós mesmos, pois Deus ocupou o primeiro lugar em nossas motivações. Quando você olha para o Senhor Jesus verá que suas boas atitudes custarão pouco pois, Ele se deu por mim e por você. Somente assim é possível ser gentil na verdade.


Esta mensagem responde à pergunta: A natureza das boas ações consistem apenas no que é feito ou nas intenções de quem as pratica?

Aplicação para a sua vida: Não se deixe enganar pelo próprio coração e reconheça quando perceber esse erro. Esse é o caminho direto para a graça de Deus Pai.