share on:

11 de Fevereiro de 2019

Como você encara a preguiça?

Um homem chegou ao açougue e pediu: “Meio quilo de lin.” O açougueiro perguntou: “De quê?” “Meio quilo de lin!” O açougueiro: “Eu não entendi. O Senhor quer meio quilo de língua?” “Não, De lin.” Açougueiro: “De linguiça?” O freguês finalmente respondeu: “Sim.” Açougueiro: “Por que o senhor não falou logo?” O freguês disse: “Estou com pregui”.


A preguiça, quando um estilo de vida é uma das formas de rebelião contra o Criador. O trabalho é o propósito que leva o ser humano a conhecer, identificar e exercitar cada uma de suas potencialidades. Também revela suas deficiências. No entanto o preguiçoso não considera necessário qualquer esforço para manter a própria vida ou mesmo ajudar a quem quer que seja. Acomodou-se ao continuo receber sem qualquer esforço adicional do apenas pedir ou exigir.


Um provérbio bíblico descreve o preguiçoso assim: “O preguiçoso põe a mão no prato, e não se dá ao trabalho de levá-la à boca!”2. A preguiça, na verdade caracteriza-se por uma aversão ao trabalho. O preguiçoso foge de qualquer oportunidade de aprendizado real. A preguiça, como uma trepadeira, vai impedindo de pensar, de agir e até de sentir. A preguiça sempre deixa para “depois eu faço”. O contrário da preguiça é a virtude da diligência. O diligente é o esforçado, o trabalhador, aquele que “veste a camisa”. Não teme o trabalho envolvido para alcançar qualquer objetivo. Levanta cedo, atua com objetividade. Deus compara o diligente à formiga, trabalhadora quase incansável.


O cristão expressa sua alegria no trabalho, pois o trabalho não é mais maldição, mas parte integrante do seu culto a Deus. Aqueles seis dias em que trabalha e aquele dia em que descansa o cristão tem a justa medida da fé nos propósitos divinos. O cristão não é um viciado em trabalho, mas trabalha com afinco, como expressão da sua confiança e amor a Deus Pai. Não para receber alguma coisa, mas porque recebeu tudo Toda atividade desenvolvida pelo crente em Jesus tem o objetivo de exemplificar as virtudes de Deus. As virtudes cristãs não glorificam o cristão, mas a Deus.


O pecado da preguiça está basicamente na incredulidade, na recusa de que foi criado para cooperar com Deus e não ser servido por Ele. Trabalhe orientando-se pelo amor, justiça e santidade divina. É assim que você está fazendo?


Aplicação

• Esta mensagem responde à pergunta: Você se avalia como alguém com domínio sobre a preguiça ou sofre o domínio desse pecado capital?
• Tarefa para Hoje: Lembre-se que a virtude que se equipara ao pecado capital da preguiça é a diligência, o trabalhador(a) movido pela alegria do trabalho como instrumento de abençoar outros e ter o sustento para a própria vida.


PREGUIÇA nos Sete Pecados Capitais

Proverbios 19:24 Escrito por volta do século X e século VII a.C. aproximadamente 700 A.C .conhecido pela sabedoria que começa com Deus é a base para muitas exortações práticas das epístolas no Novo Testamento.
Provérbios 6:6-11 O Livro (OL)6/8 Vai ter com a formiga, preguiçoso! Observa o seu comportamento e aprende! Ainda que não tenha nem chefe, nem governador, nem superior, contudo sabe que deve trabalhar bem no Verão, juntando alimento em vistas do Inverno.”