share on:

07 de Abril de 2019

Vou lhe contar uma parábola. Preste atenção! Era uma vez um menino chamado “Silêncio”. Onde quer que ele chegasse as pessoas paravam de falar, os cachorros paravam de latir e até as máquinas paravam de funcionar, parecia que o ar ficava parado. Ele estava sempre em movimento e chegava inesperadamente em qualquer canto da casa. Quem gostava muito dele eram as crianças arteiras, pois junto com ele, elas aprontavam. Por isso, as mães sempre perguntavam quando os filhos estavam em companhia do menino “Silêncio”: “Robertinho, o que você está fazendo? ” Mas perto dos bebês, o menino “Silêncio” permitia que as mães e babás corressem com o serviço da casa.

Ele era um menino calmo e prestativo, mas causava alívio em uns, constrangimento em outros e até medo para muitos. Quando ele chegava, as pessoas tinham que pensar no que tinha acontecido, no que haviam feito, no que estavam pensando ou no que estavam fazendo.  Conclusão: Sempre havia alívio quando o menino ia embora porque se ele ficasse, era sinal de que a morte ia se instalar[. Morte física, morte de afeto, morte de relacionamento, morte na comunicação ou a morte da mentira. ” Por isso muitos afugentavam o menino com todo tipo de barulho e atividade. 

Comparei o silencio a um menino, porque um adulto nos constrange, intimida, mas não um menininho. Quem será que não gosta do “menino silêncio”? Sua presença impede que você sofra o engano promovido pelo barulho, sons e vozes. Quem aproveita o silêncio para ouvir a Deus, voltar-se para Sua Palavra, é renovado por Cristo Jesus.  Este menino acompanhava Jesus quando se afastava da multidão para falar com Deus nos montes ou retirado no jardim. Deus age no “Silêncio”, mas não pode ser silenciado, senão a morte impera. No “Silêncio” sem qualquer outro barulho, pode-se pensar melhor. No “Silêncio” é possível ouvir a si ou a Deus. Deus aproxima-se e ensina aqueles que dão atenção a este menino chamado “Silêncio” antes do dia do Juízo[. Vamos, não tema o silencia, mas quando ele chegar aproveite para conversar com Deus Pai, ouvindo a Cristo Jesus.


Esta mensagem responde á pergunta: O que você percebe nessa parábola do “menino silêncio”?
Aplicação para a sua vida: Aproveite os momentos de silêncio para restaurar sua comunicação com Deus Pai pela oração a Cristo Jesus.


Salmo 94:17 “Se o Senhor não tivera ido em meu auxílio, a minha alma quase que teria ficado no silêncio.” O livro de Salmos é composto de cento e cinquenta cânticos, orações e   poemas compostos por Davi Moisés e muitos outros profetas a mais de 200 anos a.C

Jo 33:31-33 Escuta, pois, ó Jó, ouve-me; cala-te, e eu falarei. Se tens alguma coisa que dizer, responde-me; fala, porque desejo justificar-te. Se não, escuta-me tu; cala-te, e ensinar-te-ei a sabedoria.” Autor desconhecido. Neste livro há a história de um homem chamado Jó e a resposta á pergunta: “ Qual o significado da fé? A principal estimativa é de que foi escrito nos tempos patriarcais, isto é século16 a.C.  

Salmos 83:1 “Ó Deus, não estejas em silêncio; não te cales, nem te aquietes, ó Deus…” Ibidem [1] João 8:8,9 “E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra.  Quando ouviram isto, redarguidos da consciência, saíram um a um, a começar pelos mais velhos até aos últimos; ficou só Jesus e a mulher que estava no meio.” Evangelho escrito entre  80-90 dC  por João, apóstolo. Estilo é reflexivo e cheio de imagens e figuras. Apontapara Jesus como Filho de Deus.