share on:

Img_IconeBaixar_680px

 

13 de agosto de 2017

Leitura Bíblica: Mateus 7.9-11

Qual de vocês, se seu filho pedir pão, lhe dará uma pedra? (Mt 7.9).

O ser humano tem uma natureza intrinsecamente má. Foi criado à imagem e semelhança de Deus, mas logo na primeira prova desobedeceu e com isso se afastou dos propósitos divinos. Temos uma tendência para o mal: é o que chamamos de natureza pecaminosa. Por conta disso, a humanidade está do jeito que está. O próprio Senhor afirma isso quando diz “se vocês, apesar de serem maus…” (v 11). “Não há um justo sequer”, diria Paulo; “não há quem faça o bem” (Rm 3.10,12).
Mesmo diante de um quadro tão complicado e complexo, há resquícios de alguma bondade. Jesus faz duas perguntas retóricas: “Qual de vocês, se seu filho pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou se pedir peixe, lhe dará uma cobra?” (v 9-10). Esse tipo de pergunta exige uma resposta negativa. Ninguém faria isso!
Tenho uma experiência paterna relativamente recente. Nossa única filha está agora com cinco anos. É claro que alguém poderia concluir que ainda não tenho uma grande bagagem sobre o cuidado e educação de filhos. Mas uma coisa já posso afirmar com certeza: faria de tudo para cuidar e proteger a minha filha, e jamais daria ou faria algo que pudesse lhe causar algum mal. Por isso a conclusão de Jesus é: se o ser humano, apesar de ser mau, sabe dar coisas boas a seus filhos, quanto mais o Pai dos céus dará coisas boas aos que lhe pedirem. Podemos observar, por um lado, que a bondade de Deus é infinitamente maior do que tudo que podemos imaginar, pois ele não apenas faz coisas boas, mas tem uma essência caracterizada pela bondade. Esta bondade é um dos seus atributos.
Por outro lado, há um apelo a ser feito aos pais: observem o tipo de imagem de Deus que estão transmitindo a seus filhos. Muito daquilo que as crianças formam na sua mente sobre a essência divina é definido pelo exemplo dado pelos seus pais. Como pais, temos, portanto, uma responsabilidade enorme e não podemos deixar de fazer a nossa parte. – CK

Como pai, transmita uma imagem correta do caráter de Deus.