Transformação de vida e geração de oportunidades

share on:

Em Benjamin Constant (AM), município de cerca de 42 mil habitantes, no Alto Solimões, região em que o Brasil se encontra com a Colômbia e o Peru, vidas têm sido alcançadas por projetos evangelísticos e de incentivo à cidadania com apoio da Rádio Trans Mundial. Em parceria com a Missão Evangélica Cuagü (MECUAGÜ), coordenada pelo pastor Clauber Quadros, projetos de ensino por meio de reforço escolar, de geração de renda (com  oficinas de costura e uma feira do produtor), uma clínica médica, de formação e capacitação de pastores e líderes, além de programas de rádio em português e Ticuna são desenvolvidos. O objetivo principal: fazer com que as pessoas ouçam sobre Cristo e tenham as vidas transformadas.

Em abril, celebra-se o Dia do Índio (19/04). Manauara de nascimento, Quadros morou no Rio de Janeiro por mais de uma década antes de ir ao interior do Amazonas no começo dos anos 2000. Em 2010, a Missão Cuagü e a RTM selaram parceria para o desenvolvimento dos trabalhos com indígenas. O foco em Benjamin Constant é com os Ticunas, uma das grandes tribos em solo brasileiro. “O povo Ticuna é a maior população indígena do Brasil. Entre a povo indígena que mora na região do Alto Amazonas, eles representam cerca de 80% dos habitantes. Os outros 20% se dividem em outras etnias como Cokama, os Cambeba, Mayuruna entre outras”, comentou.

Números da missão

  Treze missionários trabalham todos os dias para fazer com que os projetos realizados no Alto Amazonas tenham prosseguimento. Eles se dividem em diferentes áreas de atuação.

Na parte educacional, por exemplo, em média, 180 crianças são atendidas, por dia, das 8 da manhã às 17 horas, com as aulas de reforço escolar, esportes e  aulas de música, nos contraturnos. Além de terem lições complementares às que são ensinadas nas escolas da região, eles ouvem sobre a melhor notícia de todos os tempos: as boas novas de Jesus. “Em cada uma de nossas atividades, nós direcionamos a Cristo Jesus. Desta forma, a criança aprende, se alimenta, já que servimos refeições a elas e ouve mensagens que falam do amor de Deus”, disse o pastor.

Outro projeto que tem ajudado a levar uma mensagem de conforto e edificação à vida das pessoas recebeu o nome provisório de “Costurando Vidas”. São 34 mulheres costureiras que fazem do aprendizado da costura o seu ofício. “Aqui, além do objetivo principal que é pregar o Evangelho a elas, ensina-se um ofício. É um projeto também de geração de renda”, explicou Quadros. 

Peças produzidas pelas costureias atendidas pela missão com os Ticunas (divulgação MECUAGÜ)

A Missão tem trabalhado na profissionalização destas mulheres de modo a possibilitar que prestem serviços ao poder público local com a costura de uniformes escolares. A coordenação da missão negocia um treinamento intensivo para que elas se tornem profissionais. Vale ressaltar, que por ser uma ampla área de proteção de mata nativa, o Amazonas tem baixo número de indústrias, o que impacta negativamente no estímulo a outros setores como comércio e serviços. A fonte de renda acaba por se dividir entre os empregos junto às administrações públicas ou programas sociais de redistribuição de renda. “Estamos ajudando a gerar oportunidades”, acrescentou pastor Clauber.

Outro projeto (ainda sendo idealizado) da Missão parceira da RTM é uma Feira do Produtor. A iniciativa reunirá produtores e artesãos da região. O objetivo é inseri-la na rota de passagem de turistas que visitem a região.

A clínica médica, projetada e financiada pela parceria entre a RTM e uma instituição alemã, ficou pronta no início de 2019. A unidade, com médicos e outros profissionais de saúde voluntários, ajuda a amenizar a demanda por saúde pública das aldeias e comunidades indígenas e ribeirinhas do Alto Amazonas.

  Vidas novas

A região da Tríplice Fronteira (Brasil, Colômbia e Peru) é uma das portas para entrada e saída de drogas no Brasil. Ao longo dos anos, com o avanço do tráfico de drogas, o Alto Amazonas viu crescer o aliciamento de seus adolescentes e jovens por parte dos narcotraficantes. “É uma realidade difícil, mas temos trabalhado para evangelizar crianças, jovens e adultos. Mostrar a eles que é possível ter nova vida. E muitos deles conseguem se livrar. Recebemos alguns muito rebeldes, mas que foram impactados e foram alcançados pelo Espírito. Da mesma forma, jovens foram resgatados dos riscos da violência e do caminho das drogas”, comentou Clauber.

Formação de pastores e líderes (CEBIPAM)

  A formação de pastores e líderes é um dos trabalhos mais estratégicos que a missão realiza no Alto Solimões. Eles serão os responsáveis por aprender e levar a Palavra às comunidades indígenas pelas regiões do entorno.

Aula de um dos módulos para formação de pastores e líderes indígenas (divulgação MECUAGÜ)

“Nós temos 46 alunos no Centro Bíblico para Povos Amazônicos (CEBIPAM), um espaço para a formação de pastores e líderes indígenas. O curso ocorre por módulos. Neste projeto, temos uma parceria com a Igreja Presbiteriana de Curitiba. Não são apenas Ticunas, mas também Mayurunas e Cokamas. Os professores vêm de Curitiba (PR) para dar aulas. A cada dois meses, concluiu-se um módulo, com estudos sistemáticos todos os dias, manhã, tarde e noite. Já estamos no 14º módulo. A ideia, se Deus permitir, é que em dezembro venhamos a formar a primeira turma de pastores e líderes indígenas do Alto Solimões. Infelizmente, por conta da pandemia do coronavírus, não teremos o 15º módulo, que estava previsto para começar em 13 de abril. Teremos que deixar mais para frente”, explicou.

O evangelismo pelas ondas do rádio

Pastor Ezequias Macedo, responsável pelo estúdio TO´CÜ (palavra que significa flauta sagrada) onde são gravados os programas em língua Ticuna / divulgação MECUAGÜ

  Pelas ondas da rádio Rios FM, de Benjamin Constant, vão ao ar programas produzidos em português e na língua Ticuna todos os dias entre as 18 e as 19h30, pelo horário local (a região está duas horas a menos que Brasília). “O conteúdo que nós veiculamos aqui são os títulos da RTM Brasil. Temos uma programação dividida entre português e Ticuna. Passamos programas dos pastores Itamir Neves e Luiz Sayão, como o ‘Através da Bíblia’ (originário da Trans World Radio / TWR) e o ‘Rota 66’. Voluntários fazem a tradução ao Ticuna para que pastores e irmãos convidados gravem. Para todo este processo, contamos com a ajuda do irmão Ezequias, um grande parceiro que cuida de nosso estúdio construído na aldeia Filadélfia, onde tudo vira realidade”, comentou.

O coordenador da Missão explica a razão do investimento em programas de rádio. Os índios mais velhos (com mais de 60 anos) foram ensinados pela cultura da oralidade. Eles aprendem pelo falar e ouvir. “É difícil mudar uma cultura e levá-los para sala de aula ou reuniões de estudos. Eles também precisam ouvir sobre Jesus e falamos dele por meio do rádio”, ressaltou.

A equipe analisa a possibilidade de, no futuro, também transmitir conteúdo em espanhol, já que a região fica na divisa de dois países que falam o idioma. Entre os moradores do local, costuma-se de dizer que a fronteira fica a alguns poucos passos. É verdade. A pequenas distâncias, a pessoa sai de solo brasileiro e chega a Islândia (cidade peruana) ou a Letícia (município colombiano).

Você pode contribuir

Se quiser contribuir por boleto ou cartão, você pode ajudar o ministério de Línguas Indígenas da Rádio Trans Mundial por este link. Se preferir, também é possível fazer por transferência bancária. Os dados estão abaixo. Ao fazer a operação bancária, inclua R$ 0,41 (quarenta e um centavos) no valor de sua doação para sinalizar que você está apoiando esse projeto! Ajude-nos a fazer a diferença!

Rádio Trans Mundial

CNPJ: 63.002.729/0001-17

Banco Bradesco

AG: 0451

C/C: 9815-9

Banco Itaú

AG: 9293

C/C: 10186-2