O desafio de empreender e liderar em meio à pandemia

share on:

Beatriz Araujo

Departamento de Comunicação RTM

O empreendedorismo tem atraído a atenção daqueles que desejam tirar do papel o sonho de abrir seu próprio negócio. O trabalho, porém, é árduo e exige planos precisos, foco e muita criatividade. Nesta entrevista, Maressa Ribeiro, diretora do Move Leaders e apresentadora do “Lidere” e “Influência ao Máximo”, da Rádio Trans Mundial, traz ensinamentos e práticas importantes para empreendedores e líderes exercerem em suas áreas de atuação.

A pandemia trouxe muitos aprendizados, principalmente, aos empreendedores. Quais são esses aprendizados e de que forma eles são importantes para o crescimento do negócio?

Os empreendedores devem sempre estar um passo à frente. Eles não podem se acomodar na zona de conforto, ainda mais quando as coisas estão boas. Precisam pensar no próximo passo. Empreendedores precisam ter o chamado “rival digno”. O autor Simon Sinek diz é importante ter rivais concorrentes que admiramos, para que possamos alcançá-los, e mais, estarmos a frente deles. Não apenas para ganhar, mas para sair do conforto. Empreendedores bem sucedidos são aqueles que nunca se contentaram com o sucesso do presente.

Para os que desejam abrir o seu negócio em meio à pandemia, quais instruções devem ser seguidas? 

Os que querem abrir seu negócio agora na pandemia precisarão ser mais ousados. Não podem pensar apenas no que desejam fazer, mas também na necessidade das pessoas para o atual momento. É isso que Cristo nos convida a fazer: servir as pessoas. É necessário perguntar para si mesmo: ”Quais são as necessidades não atendidas das pessoas e como eu posso oferecer algo que seja bom para elas?”. Os desafios são maiores do que eram antes da pandemia, mas há uma possibilidade de criação.

Quanto ao trabalho de quem está à frente do negócio, empresa ou ministério: o líder. O distanciamento, em decorrência da pandemia, pode prejudicar a liderança?

O distanciamento pode, sim, prejudicar a liderança, principalmente, quando o líder não tem habilidade alguma de gestão a distância. Líderes precisam encontrar formas de se comunicarem com sua equipe, de monitorar o trabalho, oferecer suporte e ajuda. Tudo a distância. Os que já tinham dificuldade de fazer isso no presencial é ainda mais evidente no online, e sofrem mais durante a crise. 

O ideal é que encontrem maneiras se aproximarem de suas equipes. Eu, por exemplo, tenho mais reuniões com minha equipe antes e estou sempre à disposição para eles pelo WhatsApp. É uma rápida maneira de eles tirarem suas dúvida. O líder precisa estar disponível, mas dentro dos limites. O monitoramento, acompanhamento e treinamento da equipe são mais que necessários neste momento, caso contrário, o líder comete o erro de perder sua equipe.

Então, qual é o papel do líder nesse contexto delicado de pandemia?

O líder precisa estar pronto para oferecer as melhores condições para que sua equipe execute o melhor trabalho. Sua postura deve ser de disponibilidade, precisa mostrar que vai fazer o que for necessário para apoiar a equipe na resolução dos problemas que apresentarem. Deve, de fato, focar em construir a equipe e executar algumas ações para o bem estar de todos. 

Poderia dar um último conselho aos líderes e empreendedores?

É hora de vocês se capacitarem. Busquem ferramentas, textos, artigos, livros e documentários que fale sobre inovação. O reservatório de vocês deve estar cheio de conteúdos que possam ajudar você a despertar e a motivar a equipe. Segundo ponto: cuidem-se. Nesse tempo de pandemia é essencial é que tenham tempo para vocês mesmos. Cuidem da saúde e de sua família. Para dar oxigênio à equipe precisam estar respirando bem. 

Por fim, estejam prontos para apoiar a equipe mais do que nunca. Aproveitem as oportunidades. Reinventem-se! Saiam da zona de conforto. E fiquem atentos as dores, preocupações e necessidades da comunidade em que atua. Elas precisam ser resolvidas.